terça-feira, 21 de novembro de 2017

FALA AÍ, MANO!


MAIS DOIS JOGOS. DEPOIS, SÓ ESPECULAÇÃO



Em ritmo de férias o Cruzeiro se prepara para uma reorganização administrativa e também de seu elenco para 2018. 2017 praticamente ficou para trás e cabe ao time tão somente definir sua posição final na classificação para saber quanto vai receber da CBF em termo de premiação. O Cruzeiro ainda briga pela vice-liderança, embora tirar quatro pontos em seis possíveis seja praticamente impossível. Considerando-se isso, brigaremos pela quarta, talvez pela terceira posição. Tendo sorte, ganharemos alguns milhões, que hoje tanto fazem falta ao nosso caixa.

Não é demais lembrar que o Cruzeiro fez alguns contratos ruins de uns tempos para cá. O mais cagado, o de Ábila, que se fosse pago, traria uma inviabilidade econômica monstruosa ao clube por anos. Depois dele, Diogo Barbosa também teve um contrato mal costurado e, com pires na mão, o clube não conseguiu manter seu melhor lateral pós-Sorin.

Aliás, preparem-se! O Palmeiras vem quente para levar o lateral Rafinha! Mais uma vez teremos a Crefisa contra nós e o poder econômico diante a miserabilidade financeira. Na briga de Davi contra Golias, não sei se o "gigante" perde essa. Afinal, a loira das verdinhas parece querer comprar o mundo e transformar o Palmeiras numa espécie de Mundo Árabe, inflacionando o mercado de forma perigosa.

E quem vem para 2018? Difícil saber. Não vemos movimentação de bastidores. Não vemos a nova diretoria sequer viajando, fazendo contatos ou anunciando esse ou aquele. Na verdade, nem anuncia chegada e tampouco partida. Rafael Marques contia por aí e outros 20 estão voltando de empréstimos...É... vamos ver a engenharia econômica que a nova diretoria vai fazer para tampar os buracos abertos pela última administração.

Até agora, pura especulação. De certo, somente a permanência de Fábio e Mano Menezes e a chegada de novos diretores. No mais, planejamento interno.

Hudson
Uma conversa está marcada para a próxima quarta-feira envolvendo a permanência de Hudson. O clube estuda um contrato por três anos com o jogador. No entanto, antes disso, tem que acertar a compra dos direitos do jogador junto ao São Paulo por 1,5 milhão de euros.

Dinheiro fora
Rafael Sóbis não deverá ir para o México. O jogador, que tem contrato até 2019, viu o interesse do Quetétaro diminuir. Não se fala mais no nome dele no clube daquele país. Se o Cruzeiro contava com US$ 2 milhões em caixa, conte com ele fora do cofre desde já.

Por: João Vitor Viana

domingo, 19 de novembro de 2017

EMPATE NO BARRADÃO

Arbitragem complica e trave não ajuda. Melhor no jogo, Cruzeiro conquista apenas um ponto

Um ponto no Barradão. Em dias comuns, um bom resultado. Era jogo fora de casa e um empate nunca é ruim. No entanto, o jogo foi diante do pior mandante, um time de muitos defeitos e que briga contra o rebaixamento justamente por não saber jogar em casa. E mais uma vez não soube. Jogou para perder e quase conseguiu. Se o Cruzeiro tivesse um atacante decente, uma vitória aconteceria facilmente. Contudo, entrou em campo com um menino da base, que pouco fez e, depois, com outros atletas por ali, já que Jonata machucou. Uma pena ver um time criar, envolver o adversário e não ter um mísero atleta capaz de por a bola para dentro, ainda que de canela.

Assim, restaram inúmeros levantamentos para a área e chutes de fora. Três bolas acabaram batendo na trave de Fernando Miguel. O time do Vitória - bem à cara de seu treinador - foi envolvido em boa parte do jogo, ficou acuado em seu campo, mas o Cruzeiro não teve a competência a a frieza de definir.

Saiu atrás do marcador, depois de um lance bizarro de Bryan, que meteu o "mãozão" na bola dentro da área e foi buscar o empate, com Alisson, no segundo tempo. De "peixinho", mandou no ângulo do goleiro do Vitória, já no terço final da partida. É de salientar que a arbitragem cometeu erro gravíssimo no primeiro tempo ao não validar um gol de Henrique. O jogo poderia ter tido outro final se o idiota do árbitro de linha soubesse fazer seu trabalho. Mas como é um profissional de péssima qualidade, afirmou, categoricamente ao próprio Henrique que nada havia ocorrido e que a bola não passou da linha. Isso mostra que além de ruim é cego. E pensar que há três anos a Fifa colocou chip nas bolas. O tempo passou e essa herança não ficou. Seria muito melhor ter o chip na bola a por um imbecil na linha do gol.

Por: João Vitor Viana




sexta-feira, 17 de novembro de 2017

FALA AÍ, ARRASCAETA!


FALA AÍ, LEO!


O FUTEBOL E SUAS LOROTAS



O futebol é movido por inúmeras lendas, lorotas e até idiotices. E isso faz com que o imaginário do torcedor saia do céu e vá para o inferno e vice-versa num "passe de mágica". E assim como na política, onde a mentira impera e ela repetida soa como verdade, no futebol, tem dirigente achando que o torcedor é trouxa.

É nítido, claro, cristalino que o Cruzeiro não tem dinheiro nesse final de ano. Nem ganhando Copa do Brasil, nem com boas receitas de estádio, nem com receitas de TV o clube se mantém bem. Tudo bem que é uma atrocidade o que fazem por aqui, fazendo uma divisão pornográfica de cotas. Mas ficar à míngua, igual pedinte? Isso não é coisa de Cruzeiro e tampouco tão cobrado judicialmente como vem sendo. Amadorismo administrativo por completo, que gasta rios de dinheiro com contratações podres e paga megasalários para jogadores que já deveriam ter se aposentado ou deixado o futebol por ética.

Inadmissível quanto dinheiro foi gasto com atletas em a menor qualidade técnica, os altos salários pagos a terceiros, quartos reservas e não ter dinheiro para segurar seus titulares. E pior: criar a ilusão que o clube vai trazer jogador de ponta. A última lorota que saiu na imprensa foi Benedetto, do Boca. O atacante, de 27 anos, tem multa rescisória de 21 milhões de euros e foi convocado recentemente para a Seleção Argentina. Ah, sim. Um time que não consegue manter Diogo Barbosa e que abre uma ingógnita gigantesca sobre Hudson vai trazer um jogador que é titular incontestável do Boca. Vai sim. Igual vai trazer o Lucas, do PSG. Pura lorota! E como tem torcedor que acredita em tudo, as redes sociais sofrem com tanta ilusão.

Pessoal, sejamos sensatos: para o Cruzeiro melhorar financeiramente precisa trilhar dois caminhos: ter um Marketing que traga dinheiro para o clube, com ações pontuais, venda de uniformes, aproximação da torcida e jogadores, programas de fidelização; e uma administração decente, que não pague seis dígitos para reservas ou que moram no DM do clube. Hora de saber gerir um clube e parar de culpar a falta de dinheiro e a crise. Todos passam por crise e a realidade do Cruzeiro não pode ser essa.

É frustrante e diferente de toda a história do Cruzeiro essa situação financeira. Não condiz com toda a glória que temos. E o pior de tudo é que as contas do Maior de Minas jamais foi contestada pelo Conselho do clube. Todos coniventes com administrações bizarras.

Torcedor, não se iluda com Benedetto, Moreno ou outro jogador de nome. Talvez, talvez, muito talvez, o Bruno Silva. No mais, é segundo escalão. Rafinha, Lucas? Melhor tomar uma cerveja.

Por: João Vitor Viana 

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

FALA AÍ, MANO!


EMPATE, MAS COM A MARCA DO ARTILHEIRO DE VOLTA

Judivan, dois anos e meio depois, volta aos jogos. Jogador, de pênalti, anota o segundo tento celeste

Cruzeiro e Avaí fizeram um bom jogo, ontem, no Mineirão. O público pequeno no estádio deve ter gostado do que viu. Obviamente, como mandante, o Cruzeiro tomou as rédeas da situação, criou mais, chegou mais. Contudo, a obediência tática do rival foi um problema durante os 90 minutos.

Thiago Neves, praticamente, criou um duelo com o goleiro Douglas. E se em boa parte do jogo o goleiro do time catarinense levou a melhor, aos 13 do segundo tempo, Thiago igualou a partida, que se iniciou em desvantagem, em pênalti bobo cometido no ataque do Avaí e concluído por Junior Dutra. No lance celeste, Diogo Barbosa deu o passe e o camisa 30 mandou para as redes: o décimo dele no Brasileirão.

O Cruzeiro chegou a virar o marcador, com Judivan. Vários imbecis nas redes sociais pagaram de moralistas, falando que não foi pênalti e que, por isso, o Cruzeiro não merecia ganhar. Realmente não foi pênalti. Contudo, lances assim acontecem a torto e a direito. No primeiro tempo houve um pênalti claro em Rafinha, não dado. Não que devesse compensar, mas foram dois erros. E sim, o Cruzeiro mereceu vencer, pelo volume de jogo e iniciativas de ataque. Uma pena que no final do jogo, em bobeira da zaga, Junior Dutra voltou a marcar. Já eram os acréscimos da partida e o Cruzeiro, após isso, nada pôde fazer. 

O Cruzeiro, por um tempo, chegou a ocupar a quarta posição. Uma pena ter cedido o empate. Hoje, o clube pode ver alguns adversários se aproximando e outros distanciando. Já que o campeonato foi definido ontem (o Corinthians bateu o Fluminense e se tornou heptacampeão), o "título" em jogo, agora, é o vice-campeonato. Afinal, são R$ 11,5 milhões no caixa. E para quem anda com o "pires na mão"... é uma boa salvação de fim de ano.

Por: João Vitor Viana


quarta-feira, 15 de novembro de 2017

FALA AÍ, GALHARDO!


FALA AI, THIAGO NEVES!


SE DIOGO FOSSE DO LADO DE LÁ... NÃO SAÍA!



Diogo Barbosa foi negociado pelo Cruzeiro para o Palmeiras. Segundo o presidente Gilvan, para pagar dívidas e acertar salários. Mas isso é muito controverso. Os direitos do jogador pertenciam ao Coimbra, time controlado pelo BMG, banco de Ricardo Guimarães, e cujo porta-voz é Hyssa Moisés, ambos atleticanos e conselheiros do time do outro lado do lagoa. Certamente se isso tivesse ocorrido com o time de Vespasiano, Diogo não sairía.

Mas o BMG nunca ajudou o Cruzeiro. Quem aí não lembra de 2011, quando o banco, de uma só vez, "passou no cobre" Thiago Ribeiro, Henrique e Gil? Com as vendas, o Cruzeiro pouco dinheiro viu e quase acabou rebaixado no Brasileiro. Parece que as diretorias que entram e saem do Cruzeiro, não emendam e ficam sempre na mão de vigaristas.

O Cruzeiro é muito grande para ficar mendigando. Gilvan se mostra fraco, mais uma vez. Por mais que tenha vencido campeonatos importantes, deixará o Cruzeiro com um cofre ruim, o time como uma verdadeira feira. Parece que é só o time chegar aqui com alguns dólares que pode escolher quem leva. Perder Diogo Barbosa é algo lastimável.

Fake

Um fake de Diogo Barbosa tem postado atrocidades no Twitter. Não acreditem nele. O perfil real do jogador é @diogobarbosa36

Por: João Vitor Viana

INCOMPETÊNCIA DO TAMANHO DA BARRIGA DO PRESIDENTE

Deixaram o Diogo Barbosa ir embora. Quanta incompetência! Como puderem deixar o Palmeiras chegar aqui, por dinheiro nas mãos do pessoal do BMG e levar o nosso melhor lateral dos últimos 10 anos? É muito amadorismo!

Pelo contrato de Diogo, o Cruzeiro tinha o lateral emprestado por dois anos, até o fim de 2018, mas tinha até o final desse ano para comprar mais um percentual do atleta. Essa iniciativa deveria ter sido tomada tão logo Tite citou Diogo em entrevista coletiva. Mas não. Empurraram a situação com a barriga. No barrigão de Gilvan. E hoje a torcida celeste lamenta a saída de um grande jogador.

Ridículo! Simplesmente isso! Uma incompetência gigantesca! Situação que mostra o quão ruim de grana o time está. E tem gente que ainda acredita que o Cruzeiro sondou Marcelo Moreno, Lucas (PSG) e Gabigol. Coisa para inglês ver. Time que não consegue manter jogador no elenco vai trazer outros, de salários astronômicos? Nunca! Deixa de ser bobo, torcedor!

O atual presidente parece querer deixar uma herança maldita para a próxima diretoria. Raiva? Quem sai perdendo é a torcida, maior patrimônio do Cruzeiro.

Quem chega?

Thiago Carleto é o nome mais falado nos bastidores da Toca da Raposa. Bom jogador, que já rodou bem o futebol brasileiro e internacional. Atualmente está no Coritiba. 

Qual o futuro de mais atletas?

A torcida começa a questionar se Hudson vai ficar no clube. Sem dinheiro para pagar salário e tendo que abrir mão de Diogo Barbosa, só mostra que o Cruzeiro não tem as finanças à sua altura. E isso perpassa muito pelo presidente atual. É de se lembrar o tanto de dinheiro rasgado pela atual administração, principalmente quanto à contratação de Riascos, Breno Lopes, Pará, Uillian Correia, Willian Farías e Neílton. Não podemos esquecer de Paulo André, Fabrício, Grolli, Joel, Fabiano, Mena e tantos outros. O ruim é acreditar que vários desses ainda têm contrato com o clube e por um longo tempo. Lamentável como jogam dinheiro fora e, depois, ficam com o pires na mão.

Por: Marcão


segunda-feira, 13 de novembro de 2017

MAIS "DEU NA IMPRENSA"


DEU NA IMPRENSA!


FALA AÍ, MANO!


AINDA NÃO FOI A VOLTA DE JUDIVAN




O atacante Judivan foi relacionado para a partida contra o Fluminense.

A torcida esperava por alguns minutos dele em campo.

Não veio.

Ficou para depois.

Depois de dois anos e cinco meses, o atacante jovem foi relacionado pela primeira vez.

Sentiu a vibração do jogo.

A emoção da vitória.

Mas sua entrada foi adiada.

Quem sabe, para o próximo jogo, contra o Avaí.

A tendência é que seja relacionado novamente.

Seu aproveitamento, no entanto, ainda é uma incógnita.

Há uma temeridade da comissão técnica em não perdê-lo por mais tempo.

Sabem da importância técnica que ele pode dar no próximo ano.

Querem contar com ele para a Libertadores.

E isso pode fazer que haja uma maior rigidez quanto ao seu aproveitamento.

Vamos ver o que vem por aí.

Que Judivan volte logo.

E metendo gol.

Precisamos de um ataque mais eficiente ainda esse ano.

Por: Raposo Sensato

CRUZEIRO 3 X 1 FLUMINENSE - MELHORES MOMENTOS


domingo, 12 de novembro de 2017

MAIS UMA VITÓRIA. AGORA SÃO 54 PONTOS

O Cruzeiro voltou a vencer no Brasileiro. Saiu atrás do marcador mas, ainda que com uma arbitragem tosca, virou o jogo e venceu por 3 a 1. Thiago Neves, principalmente no segundo tempo, ditou o ritmo do jogo. Deu assistência, fez gol e foi o melhor em campo pelo lado celeste.

O árbitro da partida acabou roubando a cena, sendo muito fraco em termos gerais e específicos. Deixou os jogadores mandarem no jogo, fio fraco nas marcações e deixou-se levar pelas reclamações. Faltou pulso! Horrível!

Contudo, o Cruzeiro foi melhor. Depois de um primeiro tempo fraco de ambos os lados, o jogo acabou melhorando na segunda etapa. Frágil, o Fluminense tentava ganhar as coisas na arbitragem. Tentaram anular um gol de Diogo Barbosa e acharam injusta a expulsão de Marlon, mesmo com o lateral metendo a mão na bola de forma acintosa. Time corrupto! Quanto nojo!

O Fluminense deveria ter vergonha de sua história recente, com rabaixamentos indiscutíveis e vencidos na Justiça de forma lamentável. Praticamente acabou com a Portuguesa e continua tentando viver nesse antro de corrupção. Perdeu na bola e teria que perder de mais. Uma pena que Rafael Sóbis perdeu uma chance incrível no segundo tempo. Por mim, seria 4, 5, 6 a 1. Mas os Deuses do Futebol reservaram tão somente o 3 a 1.

O Cruzeiro voltou a vencer. E esperamos que isso continue. Com os placares da rodada, o Maior de Minas distanciou-se do Botafogo e aproximou-se dos três times à sua frente. O vice-campeonato ainda é possível. Vamos, Cruzeiro! Chegamos aos 54 pontos. Queremos mais!

Por: João Vitor Viana 

HOJE É DIA DE CRUZEIRO E DIA DE JUDIVAN



Dois anos e cinco meses depois, Judivan vai poder retornar aos gramados. Pelo extenso período, cerca de 15 a 20 minutos poderão ser dados a ele para que possa, enfim, retornar ao esporte.

Várias cirurgias depois, muito drama e uma incógnita na cabeça. Mas Judivan persistiu e tem tudo para dar a volta por cima. Ele se machucou em 2015, num momento que começava a mostrar toda a sua qualidade. Contudo, uma lesão na seleção sub-20 mudou tudo. Os planos foram adiados e a carreira chegou a ficar sob suspeita. Hoje, diante do Fluminense, às 19h, no Mineirão, Judivan voltará a reescrever sua história no clube. Caso entre, certamente sentirá uma emoção diferente. O estádio pode não estar cheio, o jogo pode não ser uma final. Contudo, para ele, terá um valor inestimável.

E com a volta de Judivan, o Cruzeiro pega o Fluminense. O time carioca ainda pensa em Libertadores, ainda que seja um sonho distante. Meio longe do rebaixamento, apenas uma catástrofe faria o time de Abel ir para a Série B. O clube precisa de mais uma vitória para se safar definitivamente da degola. Que não seja hoje. Já o Cruzeiro, precisa somar o maior número de pontos possível para chegar num patamar mais alto e ter uma bonificação financeira maior. O vice-campeonato, por exemplo, vale R$ 11,5 milhões.

Por: João Vitor Viana

CRUZEIRO X FLUMINENSE

Cruzeiro
Fábio; Ezequiel, Manoel, Murilo e Diogo Barbosa; Romero, Lucas Silva, Robinho, Rafinha; Thiago Neves e Rafael Sobis
Técnico: Mano Menezes

Fluminense
Diego Cavalieri; Lucas, Henrique, Renato Chaves e Marlon; Orejuela, Wendel, Douglas, Gustavo Scarpa e Marcos Júnior; Pedro
Técnico: Abel Braga

Motivo: 34ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Mineirão
Data e hora: domingo, às19h
Cidade: Belo Horizonte, Minas Gerais
Árbitro: Andre Luiz de Freitas (CBF/GO)
Assistentes: Bruno Raphael Pires (Fifa/GO) e Leone Carvalho Rocha (CBF/GO)

sábado, 11 de novembro de 2017

RETA FINAL: TEXTOS TENDEM A SER IGUAIS

Hoje não iremos falar da imprensa mineira, o tanto que ela é nojenta e parcial. Falaremos daquele que nos orgulha: o Cruzeiro. O atual campeão da Copa do Brasil terá cinco jogos até o final do ano e, segundo jogadores e treinador, irá buscar a melhor posição possível na tabela.

O título já tem dono, é questão de tempo o Corinthians confirmar. Só uma catástrofe para tirar as duas mãos de cima da taça. Mas o vice-campeonato, que vale R$ 11,5 milhões vale muita coisa. Principalmente para time que precisa se reforçar para o ano que vem e não tem tanto dinheiro em caixa para fazer contratações de impacto. O Cruzeiro conta com a grana da premiação para anunciar, ao menos, dois reforços de peso: um atacante e um lateral.

E quanto àquilo que formos falar até o final do Brasileiro, dificilmente iremos fugir do mesmo. Textos bem parecidos, porque a meta do Cruzeiro é uma e os testes irão ocorrer. Mano afirmou que pensa em usar Diogo Barbosa no meio, com Bryan na lateral; que quer ver Galhardo na lateral-direita, entre outras observações. E vai ser isso até o final do Brasileiro. Na reta final, textos iguais. O que vai variar são as análises jogo a jogo, uma vez que cada partida tem uma história diferente.

O próximo jogo do Cruzeiro será contra o Fluminense. Henrique, suspenso, será substituído por Lucas Silva. Leo volta a ser relacionado, mas tende a ficar no banco. No ataque, a maior dúvida de Mano: Rafael Marques? Esperamos que não. O meia-atacante Rafinha volta ao time.

Por: João Vitor Viana

FALA AÍ, MANO!


FALA AÍ, LUCAS SILVA!


sexta-feira, 10 de novembro de 2017

IMPRENSA, AGORA JÁ DÁ PARA PARAR!



O nosso rival não cai mais.

Depois de virar para cima do "lanterna fodástico papão de títulos", já se pode ver fora da Série B em 2018.

Por um momento, iludi a mim mesmo sobre a chance, ainda que remota, de ver o meu rival novamente enfrentando CRB, Luverdense e cia.

Mas tudo bem. 

Quem sabe em 2019?

Mas já que esse filme não vai rolar por agora, que tal a imprensa parar de falar mal do Cruzeiro?

O único time de Minas que ganhou alguma coisa esse ano de nível nacional foi o Cruzeiro.

Mas custa a descer para alguns jornalistas de "meia-tigela".

Sabem aqueles retardados que acordam com vontade de somente xingar e escrever um monte de merda?

Então...

Todos os dias querem denegrir a imagem do Cruzeiro.

Talvez porque o time do lado de lá estava ainda ali nos 40 e poucos pontos.

Agora, com 45, está fora de mais um vexame.

Peço à imprensa chata que mude o disco.

Da mesma forma que me cansa ler esse tipo de matéria nesse site de merda, também me cansa escrever, diariamente, contra esse tipo de publicação.

Torço para que agora a imprensa seja menos parcial.

Já encheu o raio do saco.

Por: Marcão e Raposo Sensato


quinta-feira, 9 de novembro de 2017

IMPRENSA CHATA, METIDA A COBRADORA

Dívida e mais dívida. O Cruzeiro deve? Sim. Contudo, a imprensa mineira, de forma espalhafatosa e grotesca, insiste em fazer disso um estardalhaço total. É algo chato? Sim. E ainda mais chato quando um ou outro site faz disso uma pauta diária.

Nem citarei o site, conhecido por ser de temática atleticana. Mas está demais. Diariamente falam de processos que o Cruzeiro sequer foi condenado. Baseiam as cobranças em dívidas. Só um detalhe: ninguém deve nada antes de uma condenação. Muito pelo contrário, o time dos torcedores (parece que o jornalismo fica em segundo plano) deve até as cuecas. Inclusive há um tempo não tão distante, fez um condomínio de credores para ir pagando na medida do possível. O time com fama de mal pagador, em Minas Gerais, nunca foi o Cruzeiro. Mas o site em questão parece querer virar a fama a todo tempo.

Mas não faz mal. Cruzeirense que se preza, aos poucos, vai debandando dessa porcaria. Para encobrir as deficiências do próprio time, colocam a pauta para ganhar cliques, numa tática vexaminosa por centavos diários. Vai ver por isso que o veículo maior, que paga os integrantes do site, vive há anos uma crise financeira sem precedentes. 

O mais engraçado - se é que podemos falar isso - é que durante a matéria, vai se esclarecendo que não é bem assim. Até pessoas competentes e letradas em Direito dão o "veredicto" sobre a questão. Mas isso não se vê nem no título nem no primeiro parágrafo, nitidamente escritos com a má fé de chamar o Cruzeiro de "caloteiro".

Se o público de fora soubesse como o veículo atrasa salários dos funcionários... 

Vai ver que é por isso que eles escrevem tanto sobre dívidas.

Saco cheio desse tipo de matéria chata, tosca, repetitiva e nojenta. 

O Cruzeiro deve? Que pague! Mas quem deve cobrar é quem tem o direito de receber, não essa imprensa porca, que se acha no direito de enveredar na vida de cobrador de tributos e dívidas, mais parecendo o Senhor Barriga indo à casa do Seu Madruga diariamente.

Por: Marcão

domingo, 5 de novembro de 2017

VITÓRIA PARA FIRMAR NO G-5

O Cruzeiro descolou dos times que se aproximavam do pelotão da frente ao vencer, neste domingo, o Atlético-PR, por 1 a 0, no Mineirão, gol de Arrascaeta. Firme do G-5, o time de Menezes está a apenas cinco pontos do segundo colocado, hoje o Santos, que tem 56. O Corinthians, que bateu o Palmeiras por 3 a 2, distanciou um pouco mais de alguns concorrentes. Do líder estamos distantes 11 pontos. Difícil crer em algo nesse sentido.

Quanto ao jogo, o Cruzeiro teve bons momentos. Quando exigido, Fábio fez duas boas defesas. Mas foi uma partida em que o Cruzeiro pouco sofreu. Soube controlar as ações do rival e mais ameaçou que foi ameaçado. No primeiro tempo, três importantes finalizações. No segundo, o time não se acomodou com a vantagem, mas acabou não conseguindo fazer o segundo e "liquidar a fatura".

Quanto aos placares da rodada, o Botafogo e o Flamengo acabaram sendo derrotados e isso facilitou para nos mantermos bem posicionados na parte de cima da tabela. O Vasco, que almeja algo ali nas últimas vagas da Libertadores, acabou tropeçando em casa, ao empatar com o Vitória. 

OFF

Comentando outras partidas, o São Paulo parece ter dado um bicudo no rebaixamento, ao bater o Atlético-GO, que aguarda o tempo para pegar a passagem para a Série B. O Avaí parece querer entrar na mesma barca furada: tomou de quatro do Coxa, time fraquejado, mas que melhorou nos últimos dois jogos, vencendo os dois e saindo, um pouco, ali de baixo. Mas nada que impeça de voltar. Time fraquíssimo. Dois times, o Atlético-PR e o Mineiro, tomaram ferro e ficaram ali no meio. Deverão ficar naquela zona de Sul-Americana ou naquela que não disputa nada. 

Por: João Vitor Viana

sábado, 4 de novembro de 2017

NÃO BASTA JORNALISTA BOSTA. PRECISA EXISTIR TORCEDOR JACU!

A internet trouxe muita coisa boa, dentre elas, a velocidade de informação. No entanto, o despreparo das pessoas é tanto que uma facilidade acaba virando um inimigo. Um fato pode virar um problema e uma frase pode virar um motivo de crítica. E como alguns torcedores são jacus e ignorantes, transformam coisas pequenas em verdadeiros maremotos. Não bastasse termos em Minas e no Brasil, um nível geral de jornalistas fracos, ainda temos que nos sujeitar a comentários infames de verdadeiros débeis mentais, que se não são letrados, são debilóides em termos de interpretações.

E antes que falem que sou preconceituoso com os deficientes mentais, digo que não sou. Sou preconceituoso, sim, com gente burra, que não sabe interpretar um fato simples, que não enxergam um palmo na frente do nariz e que adoram sensacionalismo barato. É assim na imprensa, é assim em parte de nossa torcida.

Facebook, às vezes, cansa. Um retardado chegou a pedir a saída de Thiago Neves por ele ter declarado que, hipoteticamente, pudesse escolher, que jogaria no Corinthians. Mera hipótese! Mas fizeram disso um alarde e alguns idiotas começaram a falar que o atleta - um dos principais do Cruzeiro no ano - era isso ou aquilo. Seu vagabundo, ignorante que não sabe ouvir e que vê chifre em cabeça de cavalo, vá à merda!

Thiago Neves - e não falo isso em sua defesa - apenas disse algo dentro de um contexto, que pessoas burras não entendem. Na mesma semana que vemos uma imprensa inventando moda, de fofoquinha, dizendo que o Cruzeiro aceitou "mala branca" para dificultar as coisas para o Palmeiras, vem torcedores debilóides atacando o próprio patrimônio: o clube e o jogador.

Comentários inócuos de pessoas ignorantes têm virado uma tônica em redes sociais e proliferam com a mesma velocidade que discursos idiotas de políticos safados. É impressionante como uma mensagem falada várias vezes toma tom de verdade! É por isso que nosso país é esse buraco: liderada por crápulas, que só estão lá porque idiotas, como esses que inventam mentiras na internat, votaram em lixo!

Peço a você que antes de compartilhar algo no Face ou alguma outra rede, verifique se aquilo é realmente verdade. Thiago Neves tem contrato conosco até 2019, não teve mala branca e ponto final. Aos jacus de plantão, uma banana! Enfiem onde quiser!

Por: Marcão

FALA AÍ, ROBINHO!


FALA AÍ, ARRASCAETA!


sexta-feira, 3 de novembro de 2017

FALA AÍ, LUCAS SILVA! VOLANTE CONFIRMADO PARA O JOGO CONTRA O ATLÉTICO-PR!


VAMOS SAIR DO POLITICAMENTE CORRETO, JOGADORES?

As entrevistas coletivas, ao menos no Cruzeiro, parecem que acabam virando palco para pseudojornalistas nervosinhos ficarem fazendo perguntas idiotas aos jogadores. E, infelizmente, vários não se assemelham ao Rafael Sóbis, esse sim, um exemplo de bom entrevistado.

A maioria fica no politicamente correto e isso, às vezes, irrita. A entrevista coletiva de Lucas Silva, esses dias, ilustra bem isso que digo. Um debilóide (com todo o respeito aos deficientes mentais), perguntou ao Lucas se ele continuava pescando e porque não parava de jogar, já que conquistou muita coisa no futebol. Custei a acreditar nisso. De onde esse idiota tirou essa pergunta? Talvez porque o time dele esteja ainda com risco de rebaixamento ou porque a esposa dormiu de calça jeans. No lugar de Lucas, eu teria perguntado ao repórter o porquê de ele estar ali trabalhando, já que há tantos outros, melhores, que poderiam estar fazendo um trabalho melhor. Nessas horas, ser politicamente correto é ruim.

Logicamente deve haver um respeito entre entrevistado e entrevistador. Mas alguns jornalistas cadastrados para estar ali, no Cruzeiro, são torcedores de outros times e deixam isso bem claro quando fazem as perguntas. Alguns, como esse imbecil, tenta tumultuar e jogador, às vezes, não percebe ou, constrangido, tenta responder sem ser ofensivo. Lucas, você perdeu uma boa oportunidade de por esse energúmeno em seu lugar.

Em Minas Gerais, assim como no Brasil, a imprensa se deteriora por si só. E é uma pena. Eu tenho orgulho de ter esse diploma. Contudo, alguns jornalistas colocam toda uma classe na merda fazendo um trabalho porco, de péssima qualidade.

Não sou a favor de cerceamento de imprensa, mas a diretoria de comunicação atual bem que podia acionar o veículo que os "cretinos de plantão" estão lotados e questionaram o posicionamento deles ou saber qual a pauta do dia. 

Gostaria, muito, que os jogadores dessem respostas no mesmo nível das perguntas. Seria sensacional.

Por: João Vitor Viana

FALA AÍ, TINGA! NÃO TEVE MALA BRANCA!


FALA AÍ, FÁBIO!


quinta-feira, 2 de novembro de 2017

MAIS MUDANÇAS NO CRUZEIRO: SAEM KLAUSS E MENDES

Mais dois profissionais deixarão o Cruzeiro ao final da temporada; Klauss Cãmara, diretor de futebol, e Guilherme Mendes, diretor de comunicação, não irão trabalhar no Cruzeiro em 2018. Marcelo Djian entra no lugar de Klauss e Marco Antônio Lage assumirá o comando da comunicação celeste ao lado de Marcone Barbosa. Serginho, que está no Alterosa Esporte, deverá ser assessor do presidente Wagner Pires. O cargo, no entanto, ainda não foi anunciado. 

As mudanças deverão ser as últimas quanto à antiga diretoria. Já deixou a direção o vice-presidente de futebol, Bruno Vicintin, e já anunciou a sua saída o gerente Tinga, que tem propostas de Internacional e Palmeiras para o próximo ano. Quanto a Klauss e Mendes, o futuro é incerto. Enquanto o primeiro chegou a ser sondado pelo rival, Guilherme, que há mais de uma década está no clube, deverá considerar outras alternativas. Klauss, no entanto, não deverá ir para o Atlético. Sérgio Sette Câmara, possível presidente do clube nos próximos três anos, confirmou que Alexandre Gallo, ex-técnico do próprio clube e também das divisões de base da Seleção Brasileira, será o "homem forte" do lado de lá. Assim, Klauss vai seguir outro caminho.

Opinião

Trata-se de dois ótimos profissionais. Enquanto Guilherme Mendes tem um extenso currículo no jornalismo, por décadas na Rede Globo e servindo o Cruzeiro desde a gestão Perrella, coordenava muito bem a comunicação celeste, principalmente quanto à aproximação da torcida com o clube, promovendo, inclusive, o Midia Day, dia em que blogueiros e imprensa independente podiam acessar o clube e entrevistar jogadores. A partir de janeiro, essa comunicação muda e não se sabe como será essa interação e como o clube vai trabalhar sua imagem. 

Quanto a Klauss, foi uma grata surpresa o desempenho do profissional, que é cria do clube e desenvolvia um bom trabalho na base. Ascendendo ao profissional, foi peça determinante para a contratação de Thiago Neves e outras conversas. Sai mostrando serviço. Esperamos que Marcelo Djian assuma e continue o bom trabalho desempenhado por Klauss. Desde a época de Alexandre Mattos não tínhamos um profissional decente na função. Inicialmente, Gilvan se autointitulou diretor de futebol e meteu os pés pelas mãos. Depois, buscou outros profissionais no mercado, que se mostraram despreparados. Isaías Tinoco foi um "aborto da natureza"; Thiago Scuro, uma aposta horrível. Enquanto o primeiro parecia viver em outro planeta, o segundo sequer atendia telefonemas da imprensa. Isaías Tinoco, nas poucas vezes que falou à imprensa, disse besteira. Nem comento o fato de ele ser gago e isso ser um fator ainda mais dificultador na transmissão de suas falas. O conteúdo que saía da sua boca era lastimável. Já Thiago Scuro conseguiu fazer um contrato de merda para o Cruzeiro trazer Ábila. Não só obrigou o clube, posteriormente, a se livrar do atleta, pois fez uma dívida imensa, que tornaria o Cruzeiro quase insolvente nos próximos três anos, como também não agregou em nada ao clube. Sua saída demorou bastante. Aliás, não deveria nem ter vindo. 

Em meio a tantas mudanças, estranhamos o fato de ninguém comentar o cargo de Benecy Queiroz, outro que em nada agrega ao clube e que, tempos atrás, soltou um verdadeiro absurdo num canal de TV, que era motivo não só de demissão, como de investigação e prisão. Mas puseram panos quentes, protegeram o amigo e deixaram tudo por isso mesmo, tirando o profissional de cena, colocando-o em cargo administrativo e mantendo o salário dele no mais alto nível. Verdadeiro absurdo.

Por: João Vitor Viana e Marcão