terça-feira, 22 de agosto de 2017

VEM SER FELIZ NA TOCA, MATTOS!



O diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, vive dois dramas em São Paulo. O primeiro, de ser questionado, pressionado pela própria diretoria, insatisfeita com os resultados do clube; o segundo, de ser ameaçado de morte pela torcida do próprio time, o que é lastimável.

Infelizmente, no Brasil e em algumas partes do mundo, torcedor leva o futebol como religião, no pior sentido da palavra. Se todas as religiões, no fundo, pregam o bem ao próximo, o auxílio a quem precisa e outras coisas boas, alguns deturpam aquilo que é pedido e fazem de sua crença, um verdadeiro martírio. Se discordam, a morte acaba sendo a saída mais "simples".

E é nesse fogo-cruzado que Alexandre Mattos, ídolo do Cruzeiro está. Certamente está infeliz por lá. E é nisso que todos nós, cruzeirenses, fixamos nosso pedido: volta para o Cruzeiro, Mattos. Vem ser feliz de novo por aqui! Respeitamos o Klauss e as boas intenções dele. Mas Mattos é Mattos.

Por: João Vitor Viana

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

PÓS-JOGO: FALA AÍ, MANO!


MELHORES MOMENTOS DA VITÓRIA CELESTE: 2 A 0


PARA QUARTA: SÓBIS OU RANIEL?

O Cruzeiro quebrou uma sequência de empates em casa, ao bater o Sport por 2 a 0. O foco, agora, é total no Grêmio, quarta-feira. O jogo vale uma vaga na final da Copa do Brasil. Com estádio lotado, o Cruzeiro terá que reverter a vantagem do clube gaúcho. Coincidentemente, se repetir o placar diante dos pernambucanos, estará na próxima fase.

E com que time ir a campo? Quem vai comandar esse ataque? Sóbis, que não marca há 901 minutos, ou Raniel, que entrou bem diante do Sport e deixou sua marca. Vamos com a experiência ou com a juventude? Ou com os dois? Mano Menezes não dá pistas de quem entra. Mas garante que o Cruzeiro vai jogar para virar a vantagem gremista. Ontem, após o jogo, até arriscou o placar de quarta: 3 a 1. Será?

Nos bastidores celestes ainda é comentado o possível aproveitamento de De Arrascaeta, que melhorou muito da lesão que teve e vem treinando num ritmo considerado acima do esperado. Não seria surpresa ele estar na relação para o segundo jogo da semifinal.

Na sua opinião, quem deveria começar o jogo na quarta? Devemos jogar essa responsabilidade sobre Raniel? Sóbis vai, finalmente, sair desse jejum? Sóbis sempre foi jogador de decisão e sempre marcou diante do Grêmio. Por outro lado, Raniel parece viver uma fase melhor. Comente esse post!

Por: João Vitor Viana

domingo, 20 de agosto de 2017

ENFIM, G-6!

Cruzeiro bate o Sport, conta com outros bons resultados e assume a sexta posição no Brasileiro

O torcedor celeste imaginava que o Cruzeiro fosse entrar em campo, hoje, pensando no jogo de quarta-feira. Bom, se entrou, não saberemos. No entanto, foi a campo com boa parte dos titulares, mandou na partida e saiu de campo com a vitória por 2 a 0. O resultado foi suficiente para o time subir na tabela, encostar no grupo de cima e descolar da confusão. Ao menos, por enquanto.

Com Thiago Neves e companhia em campo, o Cruzeiro tomou as atitudes do jogo. Em uma hora ou outra, o Sport tentou assustar, mas nada que provocasse maior interferência de Fábio, mero espectador do jogo. As jogadas do Cruzeiro foram fluindo de acordo com as investidas.

Em jogada pela direita, Ezequiel cruzou na cabeça de Sassá, que abriu o placar, definindo o placar do primeiro tempo. A vantagem aumentou no segundo tempo. Após jogada de Thiago Neves, Raniel entrou no meio da zaga e fuzilou Magrão. 2 a 0 e a sexta posição no colo.

Placares amigos

Botafogo e Palmeiras tropeçaram, perdendo seus jogos. O clube paulista levou de 2 a 0 da Chape, em casa, enquanto o carioca perdeu por 2 a 1 para a Ponte, em Campinas. O Atlético-PR, mais cedo, também não venceu: empatou por 0 a 0 com o Grêmio, no Rio Grande do Sul. Os placares fizeram o Maior de Minas subir três posições na tabela e encostar no G-4. Terminamos a rodada na sexta posição. O placar de Fluminense contra nosso rival, nessa segunda-feira, em nada afeta nossa posição. Para cima deles, Cruzeiro!

Por: João Vitor Viana

DOIS OLHOS NA QUARTA

Vamos sair do politicamente correto? Porque é assim que deveremos analisar o jogo de hoje. O Cruzeiro vai, obviamente, entrar em campo para vencer. Mas podem ter certeza que o foco está na quarta-feira. É insano pensar que um jogo diante do Sport, por mais importante que seja, pois leva o Cruzeiro para próximo ao G-6, é mais importante que a partida que nos leva à final da Copa do Brasil. O Cruzeiro vai entrar focado, mas já pensando na quarta-feira, quando mais de 45 mil pessoas, com certeza, estarão no mesmo palco desta tarde, empurrando o time para cima do Grêmio. No mais, o jogo de hoje tem um caráter importante mas, fatalmente, a cabeça dos atletas está no encontro de daqui três dias.

E não é uma visão somente dos jogadores, mas também do treinador. Tanto que vários atletas serão poupados hoje para que possam estar próximo aos 100% na quarta-feira. A escalação ainda não saiu, sendo conhecida tão somente momentos antes do jogo. Apesar de todos estarem concentrados, boa parte dos titulares devem ficar como opção. O foco é, de fato, quarta-feira.

Hoje são esperados 10 mil torcedores no estádio. Não acredito em partida corrida, de muitas chances de gol. Isso, pelo lado celeste. O Sport não tem nada com isso, não joga outra competição paralela e quer mais é pontuar. Já o Cruzeiro, que precisa dos três pontos, pois está naquela "meiúca", onde se encontra um verdadeiro "bololô", precisa se desgarrar para ficar cada vez mais longe do Z-4.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO X SPORT
Local: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 20 de agosto de 2017, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Assistentes: Vinícius Melo de Lima (RN) e Jean Márcio dos Santos (RN)
CRUZEIRO: Rafael; Ezequiel, Leo, Murilo e Bryan; Hudson, Nonoca, Rafinha e Elber; Alisson e Sassá.
Técnico: Mano Menezes
SPORT: Magrão; Samuel Xavier, Ronaldo Alves, Henríquez e Mena; Rithely, Patrick e Diego Souza; Everton Felipe, Lenis e André.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Cruzeiro Online, o blog site que não se preocupa com mimimi de torcedor na internet.

Por: João Vitor Viana

TOMA, IMPRENSA PAULISTA!

Não sou defensor do Vagner Mancini.

Aliás, detesto a passagem que ele teve pelo Cruzeiro.

Saiu daqui se vangloriando do time não ter caído.

Um trabalho péssimo feito por aqui.

Mas ontem, deu um coice na imprensa paulista.

Imprensa que enche o ego do Corinthians e endeusa os jogadores de lá.

Imprensa que coloca o próprio time num pedestal e, simplesmente, nega os demais times do Brasileiro.

Imprensa covarde, parcial, bairrista e tendenciosa.

Grande resposta que Mancini deu num tal repórter.

"Eu sou paulista, nascido em Ribeirão Preto, e você, como jornalistas, deveriam respeitar as equipes que não são de São Paulo. O Brasil é muito grande".

O Vitória merece nossos aplausos e a resposta de Mancini, devíamos por num quadro.

São poucos os jogadores e treinadores que peitam esses profissionais de merda, que põe o clube à frente de tudo e que supervalorizam o futebol do "eixo" em detrimento às outras regiões do Brasil.

Que essa não seja a única derrota do Corinthians, em casa.

Que venham mais, inclusive para times de fora do "eixo".

Às vezes é necessário uma derrota para toda uma lama vir à tona.

Toma, imprensa paulista!

Cruzeiro Online, o blog site que não se preocupa com mimimi de torcedor na internet.


ARMOU-SE O CIRCO. E NELE, UM TORCEDOR PALHAÇO

Nessa madrugada, segundo relato de um paseudotorcedor, perseguidor de atletas, um atleta do Cruzeiro encontrava-se em uma boate de Belo Horizonte. Não vamos, aqui, nos ater a nomes, mas eles são facilmente encontrados em outras mídias, que adoram fazer da vida do atleta um verdadeiro circo. Mas diante dos fatos, iremos nos posicionar.

Não vamos entrar no mérito se o dia que o atleta frequentar boate é certo ou errado. Na verdade, o que jogador faz fora de campo, se bebe, se fuma, se transa, se faz isso ou aquilo, pouco importa. E é isso que algumas pessoas tem que se dar conta. Ficar noticiando a vida de jogador, querendo aparecer e sendo pseudotorcedores, "defensores dos bons costumes" é coisa tão somente de fofoqueiro que não tem nada a mais para fazer. Pessoas que saem à noite deveriam procurar formas de se divertir, uma vez que estão pagando para estar num lugar. Ainda mais estando acompanhado. Vai beijar, beber, dançar. Mas tudo muda quando avistam um jogador de futebol que, pelo visto, deve ser um ser incólume, que àquelas horas deveria estar deitado em casa, debaixo da coberta, de pijama e já ter rezado para "Papai do Céu". Ah, pelo amor de Deus!

Um cidadão, essa noite, vendo um jogador apenas presente a uma casa noturna, que fotografá-lo para mostrar para amigos e conhecidos em suas redes sociais que um jogador do Cruzeiro estava ali. Atitude completamente imbecil, típica de gente que precisa de tratamento mental. Se você está em um lugar para divertir, o que você menos quer é ser incomodado. Ainda mais se você é conhecido. Sinceramente, esse debilóide que tanto quis e quer aparecer não teve o "troco" necessário.

Não, não estou, aqui, defendendo qualquer tipo de violência. Mas, cá para nós, ficar sendo importunado por um desconhecido em momento que você quer arejar a cabeça, estar com pessoas próximas e se divertir é, no mínimo, incômodo. E quando alguém ainda insiste, fica pior. Na situação, o chato ainda quer se passar por vítima. Se esse energúmeno não tivesse enchido o saco do jogador, ambos poderiam ter curtido muito mais o ambiente. No fim das contas, a atitude do "fofoqueiro de plantão" em nada foi benéfica e ele fica pagando de vítima para alguns meios de comunicação, árduos por polêmica e por criar crise no Cruzeiro.

Cidadão, quando você estiver em um lugar e nele estiver gente conhecida, tire foto de longe, se for o caso. Mas não vá até a pessoa, incomodá-la. Ela não está ali para ser centro de atenção. Esteja no mesmo lugar, se divirta e, depois, vá para a casa. Jogador, ator, cantor, presidente, governador, caixa de supermercado, lixeiro, promotor, juiz, advogado, jornalista, pintor, vendedor e desempregado é tudo igual. Todos têm o direito de sair, se divertir e estar com as pessoas que elas quiserem. Ponto. Fiscal da vida alheia, além de ser muito chato, é ridículo. No circo, o único palhaço é o senhor inoportuno.

Cruzeiro Online, o blog site que não se preocupa com mimimi de torcedor na internet.

Por: Marcão Anti-Franga (E anti-fofoqueiros)

sábado, 19 de agosto de 2017

VAI FICAR PEQUENO!

O Mineirão vai ficar pequeno para o segundo jogo das semifinais da Copa do Brasil. O torcedor entendeu que é preciso a sua presença ao estádio para empurrar o Maior de Minas para cima do Tricolor Gaúcho. E, por causa disso, o site de vendas de ingresso chegou a travar. Bom sinal!

A venda dos ingressos foi iniciada às 7h desse sábado, mas os problemas técnicos não tardaram. Em entrevista a um portal mineiro, o diretor de tecnologia de informação do clube, Aristóteles Loredo, afirmou que a queda do servidor se deveu à alta procura. As reclamações atingiram as redes sociais.

Histórico

O problema ocorreu também no ano passado, na mesma situação de semifinal da Copa do Brasil. Para o jogo diante do nosso maior rival, esse ano, também houve o mesmo problema. Ou seja, é a velha história e nada se resolve. Quem comanda essa parte de vendas deveria, ao menos, se atentar para o tamanho do Cruzeiro e também de sua torcida.

Saiba as condições!

Cativo (em dia): Além da entrada garantida, tem direito a comprar UM ingresso adicional com preço de inteira em seu setor;

Cruzeiro Sempre: pode comprar UM ingresso com 50% de desconto e UM com preço de inteira;

Papafilas: pode comprar UM ingresso com 10% de desconto e UM com preço de inteira;

Time do Povo: pode comprar DOIS ingressos sem desconto;

Venda online: disponível pelo APP oficial do Sócio do Futebol e pelo site www.sociodofutebol.com.br até seis horas antes da partida ou até que os ingressos se esgotem.

Confira o valor dos ingressos (preço sem desconto):

Inferior Vermelho: R$ 20

Inferior Amarelo e Laranja: R$ 30

Superior Amarelo e Laranja: R$ 40

Superior Vermelho: R$ 50

Superior Roxo: R$ 100

As vendas físicas para a partida contra o Grêmio começam às 10h, da próxima segunda-feira. Não se sabe, porém, o percentual de ingressos que restará. Nessas horas, o importante é ser sócio do clube.

Por: João Vitor Viana


sexta-feira, 18 de agosto de 2017

COM QUE TIME... EU VOU?

Que time levar a campo, domingo, diante do Sport, no Mineirão? Mistão? Reservas? Bom, como dizia um cara por aí, "nunca antes na história desse país" fez tanto sentido poupar atletas. E, nesse sentido, Mano deverá preservar aqueles que podem fazer a diferença a favor do Cruzeiro.

Diferença que digo, é a positiva. Negativa temos aos montes. O banco diante do Grêmio estava uma lástima. Tanto que os três que entraram em nada acrescentaram. O menos ruim ali era Élber e o único bom, de verdade, era Rafael. No mais, ninguém se salvava, em se tratando de jogador de linha.

Mano não sinaliza o que vai levar a campo. Romero dificilmente joga, com pancada no tornozelo. Na zaga, Murilo ou Leo podem ser poupados. Bryan está de sobreaviso para assumir a lateral. No meio, Hudson deve entrar, poupando Henrique ou Lucas Silva. Thiago Neves tende a jogar apenas um tempo. Assim, Rafinha pode reaparecer no time, para o desespero de vários torcedores. Pelo menos, no ataque, Sassá volta. Ali está a nossa chance de vencer a equipe de Luxemburgo.

O time, por enquanto, é um mistério.

Por: João Vitor Viana


quinta-feira, 17 de agosto de 2017

FIM DA LINHA PARA ARIEL

Fim da linha para Ariel Cabral. Vai ter que operar e só volta a jogar no ano que vem. Motivo:trauma torcional no tornozelo esquerdo. Por isso, já não atuou nos últimos quatro jogos do Cruzeiro. Após a cirurgia, o atleta ficará afastado, pelo menos, por três meses. Até voltar, fazer fortalecimento e se condicionar, acabou o ano. Assim, Ariel só em 2018.

A cirurgia foi aconselhada após o jogador não suportar testes de maior impacto nos últimos dias. Para a função, Mano Menezes tem, agora, quatro especialistas: Lucas Silva, Lucas Romero, Henrique e Nonoca. No entanto, Romero tem sido aproveitado como lateral, haja vista que os atletas para esta função não tem condição física ou técnica de ter uma sequência no Cruzeiro, o que é um verdadeiro absurdo.

Problema

Lucas Romero passará por avaliação para saber o estado de seu tornozelo direito. Ele saiu com muitas dores diante do Grêmio, o que provocou a entrada bizarra de Ezequiel no time. Possivelmente não pega o Sport, domingo, no Mineirão. E é dúvida para o jogo de quarta-feira, diante do Grêmio, na decisão da vaga à final da Copa do Brasil. Problema à vista.


Cruzeiro Online, o blog site que não se preocupa com mimimi de torcedor na internet.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

FALHA FATAL

Não é o caso de responsabilizar Fábio, individualmente. Mas é fato que ele falhou no gol do Grêmio. O chute dado a gol era de defesa fácil, mas o goleiro espalmou para o meio do campo onde, livre, Lucas Barrios estava e apenas escorou para o gol vazio. Foi o lance determinante do jogo, foi um erro fatal. Mas outros erros também colaboraram para mais uma derrota celeste no ano, a segunda na Copa do Brasil. O placar está em aberto. 1 a 0 não decide nada. Mas o Cruzeiro vai ter que mudar sua postura se quer chegar à final da Copa do Brasil.
Claramente jogando pelo empate e exagerando na "ensebação", o Cruzeiro pretendia "fritar" o Grêmio em seus próprios nervos, jogar no contra-ataque e jogar por uma bola. No entanto, o Grêmio é um time que é centrado, focado e de toque de bola. Time que não sai daquela tática do passe e do ataque premeditado. Tentou tanto que conseguiu. Fábio salvou duas bolas importantes antes de levar o gol de Barrios. Defendeu bem uma cabeçada do próprio paraguaio e um chute diagonal do ataque gremista. No entanto, falhou de forma primária no gol de Barrios, no final do primeiro tempo.
O gol parece ter acendido a luz do Cruzeiro, que voltou bem melhor na segunda etapa, numa postura que a torcida queria ver desde o início. Diferente da covardia demonstrada nos primeiros 45 minutos, o Maior de Minas mostrou força logo no início, finalizando com perigo em duas oportunidades, antes dos 5min de jogo. Tudo o que o time não fez na primeira etapa, conseguiu fazer em pouco tempo. Foi um time mais ativo, jogando melhor, mas se complicando nos próprios passes. Insistiu, em demasia, em jogadas pelo meio. Thiago Neves e Robinho estavam bem marcados e pouco produziam. Com as jogadas concentradas no "miolo", as alas pouco participaram. Foi assim com Alisson, Diogo e Ezequiel, que substituiu Lucas Romero logo no início do segundo tempo. O argentino sentiu uma contusão no tornozelo direito.
Mais bem postado, o Cruzeiro parou no "paredão gremista". Bem postado, o time de Renato Gaúcho ousou dentro da sua "zona de conforto", quando o time sabia que poderia assustar. Foi assim que quase chegou ao segundo gol. Mas o árbitro, acertadamente, voltou a marcação de um pênalti e anotou falta aos mandantes. O replay da jogada mostrou o acerto da arbitragem, que foi bem na partida.
Mano tentou algo com Ezequiel, Elber e Raniel, mas o banco celeste, antes mesmo do jogo, não era algo que pudéssemos nos vangloriar. Fraco, pouco foi alterado. 
Jejum mantido
Rafael Sóbis, mais uma vez, vez uma partida bem ruim. Antes de entrar em campo, eram 836 minutos sem balançar as redes. Hoje, mais 71 minutos. Total: 901 minutos sem fazer gols. Será que isso será quebrado na partida de volta, dia 23? O Cruzeiro só tem Sóbis e Raniel para a função. Então, que assim seja. O jogo desta quarta-feira não foi bom. Amarrado no início, por covardia e incompetência tática do Cruzeiro, e truncado no segundo, por excesso de bolas pelo meio e poucas finalizações certeiras ao gol de Marcelo Grohe.

GRÊMIO 1X0 CRUZEIRO

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Edílson, Geromel (Bressan, aos 37min do 2ºT), Kannemann e Cortez; Michel, Arthur, Ramiro, Luan e Pedro Rocha (Fernandinho, aos 39min do 2ºT); Lucas Barrios (Everton, aos 26min do 2ºT)
Técnico: Renato Gaúcho

CRUZEIRO
Fábio; Lucas Romero (Ezequiel, aos 2min do 2ºT), Leo, Murilo e Diogo Barbosa; Henrique, Lucas Silva, Robinho (Elber, aos 37min do 2ºT), Thiago Neves e Alisson; Rafael Sobis (Raniel, aos 26min do 2ºT)
Técnico: Mano Menezes

Gol: Lucas Barrios, aos 45min do 1ºT (GRE)
Cartões amarelos: Ramiro, aos 13min, Pedro Rocha, aos 38min do 2ºT (GRE); Rafael Sobis, aos 42min do 1ºT. Robinho, aos 5min, Ezequiel, aos 17min do 2ºT (CRU)
Motivo: jogo de ida das semifinais da Copa do Brasil
Estádio: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Data: quarta-feira, 16 de agosto de 2017
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP/CBF)
Assistentes: Anderson José de Moares Coelho (SP/CBF) e Bruno Salgado Rizo (SP/CBF)
Assistentes adicionais: José Cláudio Rocha Filho (SP/CBF) e Ibert Estevam da Silva (SP/CBF)
Pagantes: 41.711
Presentes: 45.102
Renda: R$ 1.758.042,00

QUE COMECEM OS JOGOS

O campeão da Copa do Brasil será conhecido em quatro jogos que ocorrerão dentro de um período curto, uma vez que a final se dará no final de setembro. Mas para se chegar até ela, a semifinal tem que ser conquistada. E hoje, às 21h45, o Maior de Minas enfrenta o Tricolor Gaúcho, na Arena Grêmio, em clima de revanche. Afinal, ano passado foi o próprio Grêmio que nos eliminou na mesma semifinal. Hora do Cruzeiro mostrar sua força e que tem qualidade para levantar um título importante ainda nessa temporada.
Diferentemente do ano passado, quando o Cruzeiro vinha pressionado pela posição ruim no Brasileirão - estava brigando contra o rebaixamento -, dessa vez, ainda que não esteja em situação confortável, está à frente de muitos times, mais próximo do G-6 que do Z-4. Assim, o papo no vestiário já começa diferente.
Sem conquistar um título importante desde 2014, o torcedor celeste quer ver em campo um time inteligente, que saiba aproveitar as chances criadas e que surpreenda o Grêmio em seu campo, trazendo para Belo Horizonte, um resultado favorável. Queremos ver o Cruzeiro dos primeiros 45 minutos contra o Palmeiras e do segundo tempo diante do próprio Grêmio, no Campeonato Brasileiro. Que comecem os jogos!

GRÊMIO X CRUZEIRO

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Edílson, Geromel, Kannemann e Cortez; Michel, Arthur, Ramiro, Luan e Pedro Rocha; Barrios
Técnico: Renato Gaúcho

CRUZEIRO
Fábio; Lucas Romero, Leo, Murilo e Diogo Barbosa; Henrique, Lucas Silva, Elber, Thiago Neves e Alisson; Rafael Sobis
Técnico: Mano Menezes

Motivo: jogo de ida das semifinais da Copa do Brasil
Estádio: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Data: quarta-feira, 16 de agosto de 2017
Horário: 21h45
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP/CBF)
Assistentes: Anderson José de Moares Coelho (SP/CBF) e Bruno Salgado Rizo (SP/CBF)
Assistentes adicionais: José Cláudio Rocha Filho (SP/CBF) e Ibert Estevam da Silva (SP/CBF)

terça-feira, 15 de agosto de 2017

SEXTO ENCONTRO

Para aqueles que gostam de números e são supersticiosos, aí vai uma boa estatística: amanhã, Cruzeiro e Grêmio iniciam o sexto encontro entre eles em competição de mata-mata. Até aqui, vantagem mineira: 4 a 1. Até então, Cruzeiro havia batido o Grêmio quatro vezes: Taça Brasil (quartas de final) de 1966, Copa do Brasil (final) de 1993, e Copa Libertadores de 1997 (quartas de final) e 2009 (semifinal). No ano passado, a vantagem diminuiu, uma vez que o Grêmio eliminou o Cruzeiro nas semifinais da Copa do Brasil, com vitória por 2 a 0, no Mineirão e empate sem gols, em Porto Alegre.
Recordando desde o começo dos confrontos, o primeiro encontro das equipes se deu nas quartas de final da Taça Brasil, em 1966. Após empate por 0 a 0, no Olímpico, então estádio gremista, o Cruzeiro venceu, de virada, a equipe gaúcha. Vieira abriu o marcador já na segunda etapa. Marco Antônio empatou e Tostão, ainda antes dos 20min, pôs o Cruzeiro em vantagem. Aquele campeonato, que era o Campeonato Brasileiro da época, acabou sendo conquistado pelo Maior de Minas, que ainda passou por Fluminense e Santos para sagrar-se o melhor do Brasil.
A próxima decisão só viria quase 30 anos depois, pela final da Copa do Brasil em 1993. E a exemplo da decisão de outrora, mais um empate sem gols no primeiro jogo. Mas o placar de 2 a 1 acabaria ocorrendo no segundo jogo, novamente, dessa vez, sem virada. O Cruzeiro saiu na frente, com Roberto Gaúcho. Pingo pouco tempo depois, igualou a partida. Mas o predestinado Cleison, ao seu estilo, de cabeça e na raça, decretou o placar final do jogo. Ali o Cruzeiro sagrava-se, pela primeira vez, campeão da Copa do Brasil.
Novo embate ocorreria quatro anos mais tarde, pela Libertadores de 1997. Pelas quartas de final, o Cruzeiro venceu o primeiro jogo por 2 a 0, gols de Elivelton e Alex Mineiro. Na volta, vitória gremista, por 2 a 1. Neste jogo, Fabinho acabou sendo o herói do jogo. Machucado, matou um cruzamento que veio da esquerda no peito e, de pé canhoto, fuzilou o goleiro adversário. Mais uma eliminação gremista e mais um título para o Barro Preto.
2009 reservaria, ainda, mais um encontro de dois dos times mais vitoriosos no século XX no país. O Cruzeiro, mais uma vez, eliminou o Grêmio. Contudo, perdeu a final para o Estudiantes. Ano passado, pelas semifinais, o Cruzeiro acabou sendo eliminado pelo time gaúcho. Na final, o Grêmio liquidou nosso rival e sagrou-se penta da Copa do Brasil. 
Em 2017, a gente quer que a escrita volte, com eliminação gremista e título para o Cruzeiro. Que isso possa começar a ser desenhado amanhã, quando as equipes se enfrentam na Arena Grêmio. 
Jejum
O  Cruzeiro terá um difícil adversário pela frente e um tabu pessoal a ser quebrado. Rafael Sóbis não marca a mais de 800 minutos, mais precisamente, 838 minutos sem balançar as redes. Artilheiro do Cruzeiro na Copa do Brasil, com cinco gols, Sóbis não marca desde os 19 minutos de jogo da partida diante do Coritiba, dia 25 de junho.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

FOCO NA COPA DO BRASIL

O apito foi amigo do São Paulo? Foi. Teve jogador que jogou muito mal naquela partida? Teve. Mas chorar pitangas e ficar lamuriano de nada adianta. A questão agora é outra: mudar o foco e buscar o penta da Copa do Brasil.
Alguns jogadores, no entanto, não poderão ajudar o time nessa "decisão". Sassá e Digão não estão inscritos na competição e torcerão de longe por uma vitória celeste ou, ao menos, por um bom resultado em Porto Alegre na próxima quarta-feira, 16, na Arena Grêmio. Em contrapartida, Lucas Silva se juntou ao grupo. O técnico Mano Menezes disse que vai a Porto Alegre  visando a vitória. "Vamos a Porto Alegre lutar por uma vitória, como tem sido todos os nossos jogos de primeira passagem na Copa do Brasil. A gente sabe que as equipes estão muito parelhas em termos de qualidade de jogo. Vamos jogar contra um dos dois adversários de melhor rendimento no Brasil – Grêmio e Corinthians. Mas o Cruzeiro vai a Porto Alegre pensando em fazer uma primeira volta de semifinal como fez as outras. Não podemos abrir mão de nada. O resultado pode ser construído lá, como fizemos em outras oportunidades. E é pensando assim que vamos a Porto Alegre".

Delegação do Cruzeiro no Rio Grande do Sul

Goleiros: Fábio, Lucas França e Rafael
Laterais-direitos: Ezequiel e Lennon
Laterais-esquerdos: Bryan e Diogo Barbosa
Zagueiros: Arthur, Leo e Murilo
Volantes: Henrique, Hudson, Lucas Romero, Lucas Silva e Nonoca
Armadores: Elber, Rafinha, Robinho e Thiago Neves
Atacantes: Rafael Sóbis e Raniel

DECEPÇÃO NO APITO

Quando um lance determina o placar final de uma partida, deve ser cobrado. Perder para o São Paulo, assim como ganhar, em Belo Horizonte, não é de de assustar. Mas perder com apito amigo... aí complica.
O Cruzeiro perdeu suas chances, inclusive um pênalti, com Sassá. Mas na adversidade, buscou o gol, chegou a virar a partida, com dois gols do mesmo Sassá, mas viu o São Paulo crescer, nas alterações de Dorival Júnior, que abdicou da defesa para tentar o ataque. No segundo gol do time da casa, Hudson falhou e Arboleda empatou. Minutos depois, um pênalti muito mal marcado de Ezequiel em Gilberto determinou o placar. Hernanes bateu e fez 3 a 2. O meia, que chegou há pouco tempo ao clube paulista foi o jogador que inaugurou o marcador, no Morumbi.
O Cruzeiro, que chegou a estar na frente, chegando aos 30 pontos, estaciona nos 27, perdendo uma bela chance de se juntar ao grupo de cima do Brasileirão. Continua ali, na "confusão". Uma pena que a derrota se deveu ao apito amigo do senhor Rafael Traci, do Paraná. Vai pegar gancho de uma, duas rodadas? Muito bem, CBF! O Cruzeiro perdeu três pontos e isso vai na sua conta.
SÃO PAULO 3X2 CRUZEIRO

SÃO PAULO
Renan Ribeiro; Buffarini (Gilberto, aos 20min do 2ºT), Arboleda, Rodrigo Caio e Edimar; Militão (Jucilei, no intervalo), Petros (Denílson, aos 20min do 2ºT), Hernanes e Marcos Guilherme; Marcinho e Lucas Pratto
Técnico: Dorival Júnior

CRUZEIRO
Rafael; Ezequiel (Rafinha, aos 41min do 2ºT), Leo, Digão e Bryan; Hudson (Henrique, aos 28min do 2ºT) e Nonoca (Thiago Neves, aos 39min do 2ºT); Rafael Sobis, Robinho e Alisson; Sassá
Técnico: Mano Menezes

Gols: Hernanes, aos 46min do 1ºT e aos 36min do 2ºT. Arboleda, aos 26min do 2ºT (SPFC); Sassá, aos 5min e aos 11min do 2ºT (CRU)
Cartões amarelos: Lugano, aos 47min do 1ºT. Lucas Pratto, aos 28min do 2ºT (SPFC); Leo, aos 47min do 1ºT. Ezequiel e Bryan, aos 35min, Digão, aos 51min do 2ºT (CRU)
Cartões vermelhos: Lucas Pratto, aos 47min do 2ºT (SPFC); Digão, aos 52min do 2ºT (CRU)
Motivo: 20ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Morumbi
Data: domingo, 13 de agosto de 2017
Árbitro: Rafael Traci (PR/CBF)
Assistentes: Ivan Carlos Bohn (PR/CBF) e Pedro Martinelli Christino (PR/CBF)
Assistentes adicionais: Adriano Milczvski (PR/CBF) e Edina Alves Batista (PR/FIFA)
Público: 56.052
Renda: 1.623.971,00

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

NOVELA MESSIDORO

Paciência: essa é o que Messidoro, Cruzeiro e torcida terão que ter para que a inscrição do argentino no clube aconteça. Diferentemente do que chegou a ser circulado em alguns meios de comunicação - que Messidoro apenas aguardava aval da CBF para começar a ser relacionado por Mano Menezes -, o fato é que ele aguarda o desfecho dos últimos detalhes da transferência de Ábila ao Boca Juniors para que possa ser inscrito. Ou seja, o Cruzeiro não contará com o atleta enquanto toda a burocracia argentina ocorrer. Naquele país, Ábila tem feito seguidos testes e os clubes têm acertado como tudo vai acontecer. Fato é que Ábila jogará no Huracán até o fim desse ano, por empréstimo e, em 2018, segue para o Boca. Contudo, até tudo estar no papel, Messidoro vai treinando no clube a espera de poder estar à disposição.
O Cruzeiro até registrou um pré-contrato do jogador na entidade maior do futebol brasileiro. Contudo, mas isso não é suficiente para por o jogador em campo. É necessário, além do contrato oficial, a documentação do atleta, pertencente ao Boca Juniors e emprestado até o final de 2018. Segundo informações da argentina, até mesmo uma revisão jurídica do contrato entre Boca e Huracán vem sendo feita, a fim de que não haja problemas futuros.
No entanto, é esperado que até o final desse mês tudo se resolva e Messidoro possa estar á disposição.
De olho em 2018?
Uma notícia envolvendo o meia Zé Rafael, do Bahia, vem circulando na Internet, afirmando que Cruzeiro, Santos e Corinthians já estariam monitorando o jovem, de 24 anos, que tem se destacado em alguns jogos do Bahia. O Cruzeiro, como sempre, não se manifesta sobre especulações. A respeito do jogador, que tem feito boas partidas, não passa de um atleta mediano. Infelizmente, no Brasil, um jogador que faz um ou outro jogo bom já é rotulado de jovem em potencial, futuro craque ou até gênio. No atual elenco, ele não passaria de uma sexta ou sétima opção para o elenco. Nessa situação, melhor dar chance àqueles formados no clube. Para 2018, o Cruzeiro deveria enxugar a folha, liberar atletas que pouco jogam e dar mais chance aos atletas da base. Sinceramente, não é entendível a contratação de Rafael Marques, uma vez que o clube possuía, em sua base, atletas promissores como Tonny Anderson e Rick Sena.

O QUE FALTOU?

O primeiro turno do Cruzeiro foi marcado por inúmeros desperdícios, principalmente contra equipes menores ou de pior elenco. Foram muitos os pontos deixados pelo caminho, o que, no final, poderia ter favorecido, e muito, uma melhor posição na tabela ao final de 19 rodadas. Faltou muita coisa e sobraram razões para tais equívocos. O G-6, diferentemente dos últimos dois anos, era uma realidade. Mas escapou pelos dedos.
2015 e 2016 foram anos complicados. Num ano, o Cruzeiro terminou o returno na zona de rebaixamento; no outro, a três pontos no Z-4. Dessa vez, com a corda bem menos frouxa no pescoço, esteve em sétimo, podendo ter ficado em quinto, se não fosse o tropeço na última rodada. Aliás, se não fossem os tropeços, não seria demais dizer que poderia estar até entre os três ou quatro primeiros. Perder pontos para Chapecoense, Botafogo e Vitória, no Mineirão, por si só, já é um enorme erro, principalmente pelas circunstâncias. Foram sete pontos só aí.
O que faltou? Em vários jogos, humildade. Diante da Chape, uma soberba fez o time jogar de forma completamente incompetente, sendo envolvido e dominado por um time completamente desfigurado. Diante dos reservas do Botafogo, por pouco não perdeu a partida. Marcos Vinícius, no fim do jogo, perdeu chance incrível de levar os três pontos.. Contra o Vitória, a ineficiência ofensiva fez com que a bola não entrasse. Culpa da bola? Fatalmente que não. Esse papo que "a bola não quis entrar" é algo que não entra na minha cabeça e deveria sair da mente dos jogadores. Se trabalhar, se insistir, se criar, consegue. Pode ser que por azar ou falta de capricho isso não ocorra. Mas jamais será porque "a bola não quis".
Para uma melhor colocação no primeiro turno faltou competência. O Cruzeiro, pelo tamanho que tem, não pode se contentar com um sétimo lugar. Na verdade, por sua gigantesca importância, é obrigação estar entre os três primeiros. O elenco não é ruim, tem atletas diferenciados, como Thiago Neves e tem feito boas apresentações contra equipes grandes, dentro e fora do Mineirão. Aliás, no segundo turno fica uma dica: que o Mineirão volte a ser o local do diferencial positivo. O fato de não perdermos não nos faz temidos quando estamos em casa. Empatamos jogos que poderíamos ter vencido. E não vencemos, a maioria, por incompetência. Que sejamos melhores na reta final do Brasileiro, que façamos um balanço para tirar proveito disso, também, na Copa do Brasil. Estamos a quatro jogos da Libertadores de 2018 e a 19 rodadas do fim do Brasileiro. Qual será o nosso destino? Difícil prever. Afinal, bola de cristal não rola no futebol. Mas uma coisa é certa: com treino, dedicação, foco e competência, o Cruzeiro pode ser muito melhor do que foi no primeiro semestre desse ano. É hora do Cruzeiro colher resultados melhores, dando ao torcedor aquilo que dele se espera: entrega, futebol e títulos.

CONTRATO RENOVADO!

O futuro está garantido: assim pode comemorar a torcida do Cruzeiro. Isso porque o goleiro Rafael assinou contrato por mais quatro temporadas e meia, ficando no clube, ao menos, até o fim de 2021. O novo vínculo com a Raposa é a mostra que o Cruzeiro já reserva o futuro do goleiro e do próprio clube após o contrato de Fábio, que termina no ano que vem. Tudo leva a crer que o atual titular não fique mais tanto tempo no Cruzeiro, até por causa da idade. O recordista de jogos peo clube irá completar 37 anos em 30 de setembro. Já buscando o substituto, o Cruzeiro aposta em Rafael na sucessão.
Rafael Pires Monteiro tem 27 anos. Nascido em Coronel Fabriciano, é cruzeirense desde a infância e está no clube desde 2002. Como jogos cruciais em sua história no clube, está a defesa de pênalti na final da Copa São Paulo, em 2007, quando o Cruzeiro sagrou-se campeão e o jogo por 6 a 1 diante do nosso maior rival, em Sete Lagoas. Além disso, nos 87 jogos que esteve em campo, sempre buscou honrar o manto sagrado e, também por isso, tem todo o respeito e respaldo do Maior de Minas. Cartada certeira da diretoria celeste, pensando no presente e também no futuro.
Contrato
O vínculo atual do jogador já teve sua rescisão publicada no BID da CBF. O novo vínculo deve ser publicado entre amanhã e quinta-feira, o que não o impede de estar na relação de atletas aptos à partida contra o São Paulo, domingo, às 11h, no Morumbi.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

DM SOB NOVA DIREÇÃO


O excesso de lesões, combinado com a saída de profissionais e a pressão da torcida fizeram o Cruzeiro procurar no mercado um profissional capacitado para gerir todo o departamento médico do clube. Sob os olhares desconfiados do torcedor, chega ao clube um profissional de currículo invejável:Dr. Fernando Lopes, 65 anos, e que, atualmente, é coordenador do serviço e residência médica em ortopedia e traumatologia do Hospital Mater Dei. 
Dr. Fernando assume a função no Cruzeiro após a saída conturbada de dois profissionais do clube: José Cesário da Silva Almada Lima e Daniel Baumfeld.Os profissionais entregaram seus cargos, segundo informações, por não concordarem com a postura do clube em certas situações. Experiente e profissional do Mater Dei há 30 anos, Dr. Fernando chega para, ao menos, amenizar todo o histórico de lesões recentes no Cruzeiro.
Em entrevista ao site oficial do clube, Fernando Lopes afirmou encarar o convite feito como um grande desafio: "Deverei coordenar toda a parte assistencial de atletas profissionais e da base, incluindo setores de medicina, fisioterapia e fisiologia. É uma atividade complexa e desafiadora. Mas me sinto animado em contribuir com o clube do qual sou torcedor fervoroso". O novo médico do clube disse ainda que encontrou um departamento médico bem organizado, formado por profissionais de alto nível. Bom, quanto a isso, a torcida não compactua. Para haver tantas lesões, há algo de errado no Cruzeiro, principalmente quanto à recuperação dos jogadores, haja vista as lesões recentes de Dedé e Arrascaeta. O uruguaio, que pouco se machuca, somente esse ano vai ficar quase cinco meses sem atuar.
Fernando Lopes ainda afirmou que pretende "contribuir com este grupo, ajudando a prosseguir com um trabalho homogêneo, humano e científico, buscando a melhor qualificação possível merecida e necessária ao tamanho do glorioso Cruzeiro Esporte Clube". Então, doutor, aqui vai um recado: se o problema do Cruzeiro não são os profissionais, favor averiguar os equipamentos disponíveis. Se preciso for, recomende a troca de tudo. Afinal, se tivermos equipamentos realmente deficientes e ultrapassados, assim como tudo na vida, devemos mudar. Então, que assim seja. Não está tudo "às mil maravilhas". Se estivesse, não haveria tantos questionamentos dos torcedores e, principalmente, de profissionais que entregaram seus cargos por não concordarem com as políticas do clube.
Fernando Lopes é especialista e membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), além de membro internacional da AOFAS – Sociedade Americana de Cirurgia do Pé e Tornozelo. 

Ficha de Fernando Lopes

- Graduação em Medicina na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
- Especialização em Ortopedia e Traumatologia no Hospital Felicio Rocho - BH/MG
- Especialização em Cirurgia de Pé e Tornozelo no Hospital San Rafael em Barcelona - ESP
- Especialização em Ortopedia Pediátrica - Clinica Universitária de Navarra, Pamplona - ESP
- Estágio em Cirurgia de Pé e Tornozelo no Union Memorial Hospital, Baltimore - USA
- Membro Titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia - SBOT
- Membro Titular da Sociedade Brasileira de Medicina e Cirurgia do Pé e Tornozelo - ABTPé
- Membro Internacional da American Orthopaedics Foot and Ankle Society - AOFAS
- Coordenador do Serviço e da Residência Médica em Ortopedia e Traumatologia do Hospital Mater Dei