quinta-feira, 25 de maio de 2017

BASTIDORES: DOIS PARA LÁ E DOIS PARA CÁ?



A contratação de Sassá pelo Cruzeiro é dada como certa na Toca da Raposa II. O atacante, de 23 anos, tem contrato com o Botafogo até o final desta temporada e sempre esteve bem longe de renovar. Fora dos planos da atual comissão, Sassá, que é conhecido mais fora de campo por suas atitudes impensadas que pelo currículo, é o alvo principal do Cruzeiro. Para tê-lo no elenco, o Cruzeiro se predispôs a ceder Elber. Contudo, o atacante, querendo ser aproveitado pelo Maior de Minas, pediu "mundos e fundos" ao clube carioca, que o descartou.

Nova conversa foi retomada, ainda por telefone, uma vez que toda a comissão técnica e diretiva do Botafogo encontram-se fora do Brasil, pois o clube está na disputa da Libertadores. Outros nomes foram postos na mesa: o armador Marcos Vinícius e o lateral Fabrício. A prioridade do Botafogo é ter Marcos Vinícius no elenco, mas não descarta também o defensor celeste, nada querido do torcedor. Até domingo pode-se ter uma definição. Inicialmente, o Cruzeiro em nada se opôs à troca, que seria em definitivo.

Joel

O Botafogo estuda devolver o camaronês Joel ao Cruzeiro. O atacante, que se destacou no Londrina e foi contratado por uma valor alto (R$ 2,5 milhões por 50% dos direitos) não vem sendo aproveitado no clube. Por isso, o interesse em Fabrício pode ficar ainda maior, com Joel sendo devolvido e o defensor indo para o Rio de Janeiro.

Por: João Vitor Viana

OPÇÃO POR HUDSON


Hudson é o jogador que irá atuar na lateral-direita, domingo, às 16h, na Vila Belmiro, diante do Santos, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. Ainda sem Ezequiel, que se recupera de uma inflamação  no quadril, Mano Menezes não gostou do que Lucas Romero mostrou em Recife, diante do Sport. Na avaliação do treinador, o time pernambucano "deitou e rolou" naquele setor, que precisa ser melhor protegido. Para a função, Hudson, que foi bem no segundo tempo da partida, foi o escolhido.

Mano Menezes acredita que o time celeste pode render com o camisa 25 por ali, mesmo tendo que abrir mão de sua marcação no meio, onde é dominante. Aliás, desde que entrou na equipe para substituir Ariel Cabral, há dois meses e meio, não mais saiu do time. Ganhou a posição e, pela disposição e habilidade, acabou sendo uma espécie de "coringa" do treinador. Diante do Peixe, nova função a fim de que o Maior de Minas possa voltar do estado paulista com, ao menos, um ponto na bagagem.

A meta celeste é pontuar, sempre. Como diz o treinador, o "importante é propor o jogo, buscando a vitória e, caso ela não seja possível, que venha o empate, principalmente considerando o fator casa, que muitas equipes se utilizam muito bem". Cabe ao Cruzeiro ir à Vila e fazer-se presente, sendo Cruzeiro.

Outras opções podem pintar

Mano Menezes gostou do pouco que viu de Rafael Marques e não seria surpresa se o ex-atleta do Palmeiras figurasse no time titular também. O armador Thiago Neves também pode ganhar nova chance. Ontem ele treinou normalmente.


quarta-feira, 24 de maio de 2017

UMA SEMANA PARA TRABALHAR

Quem volta? Quem inicia o jogo? Qual o esquema tático? Perguntas que Mano Menezes irá responder, possivelmente no final dessa semana, quando definir e treinar a equipe que vai a campo diante do Santos, domingo, na Vila Belmiro. Do lado de lá, um importante desfalque: Lucas Lima. O jogador, convocado recentemente para integrar a Seleção Brasileira, ficará afastado dos gramados por um bom tempo e é uma baixa substancial no elenco santista.

Mas nada que tire o foco e torno o Santos um adversário mais fácil. Pelo contrário: jogar na Vila é sempre um desafio e, assim como diante do Sport, caberá ao Cruzeiro jogar com inteligência e eficiência. Faltou atenção e disposição em boa parte do último jogo, embora o resultado final não tenha sido ruim, se olharmos a tabela. Pelas circunstâncias - o Cruzeiro foi muito bem na segunda etapa - merecia sorte melhor, mas nada que abale o time, que tem tudo para também pontuar em Santos.

Vários são os jogadores do Departamento Médico. O principal deles é Robinho, que há mais de dois meses não entra em campo e não tem um substituto no elenco. Thiago Neves também pode reaparecer. Já Rafael Sóbis e Ezequiel... esses ficam afastados por um bom tempo ainda. 

No ataque, Ábila é a opção. Na lateral, no entanto, há uma carência gritante. Romero vinha preenchendo bem o setor, mas defensivamente deixou a desejar contra o Sport, o que fez o técnico Mano Menezes pensar em improvisar Hudson por ali e por Ariel no meio, ao lado de Henrique. Diante do Santos eu, na condição de técnico, não faria isso, optando por um esquema com três volantes. Mas Mano, até agora, não se mostrou favorável a esse esquema tático, embora tenha sido aquele que deu certo em suas passagens pelo Cruzeiro, principalmente em 2015.

Uma semana. Vamos ver o que Mano decide. Que seja o melhor para o Maior de Minas.

Por: João Vitor Viana

terça-feira, 23 de maio de 2017

DESTINO SALVADOR?


O atacante Neílton interessa a alguns clubes, um deles, o Vitória. Encostado no São Paulo e "bode expiatório" da torcida, da comissão técnica e da direção do clube, o jogador, revelado pelo Santos, pode ter um novo destino em breve: Salvador.

Isso porque o clube baiano fez uma proposta para adquirir parte dos direitos de Neílton ao Cruzeiro, clube com quem tem contrato até o final de 2018. Contratado pelo Maior de Minas, Neílton não se firmou, sendo emprestado nos três anos posteriores. Nos clube por onde passou, apenas no Botafogo o jogador foi destaque. Contudo, sem dinheiro, o clube carioca acabou tendo que desistir de Neílton. Atualmente surge como outra alternativa para o atacante voltar à velha forma. No entanto, como a proposta do Vitória é para adquirir o atleta em definitivo, a possibilidade do jogador ir para Salvador é maior.

O Vitória poderia requerer o atleta por empréstimo não fosse uma regra: pelas leis que regem o futebol no Brasil, um clube de uma mesma divisão não pode ter mais de três jogadores emprestado em seu elenco. O Vitória já tem três jogadores do Cruzeiro em seu elenco por empréstimo.

Mimimi nas redes sociais
E pensar que parte da torcida do Cruzeiro foi contra a troca de Neílton por Hudson. Enquanto um treina em separado porque o Cruzeiro não aceitou a devolução do jogador, Hudson é titular absoluto de Mano Menezes. O volante, aliás, surge como potencial lateral depois da boa apresentação em Recife, contra o Sport. Ariel Cabral agradou e pode iniciar a partida contra o Santos, domingo, às 16h, na Vila Belmiro. Romero, assim, deve voltar ao banco. E o agente dele vai ficar ainda mais nervoso...

segunda-feira, 22 de maio de 2017

CRUZEIRO VOLTA DO RECIFE COM UM PONTO NA BAGAGEM

POR: JOÃO VITOR VIANA

O discurso anterior ao jogo era que o Cruzeiro não poderia perder. Nas entrelinhas do que disse o técnico Mano Menezes, o Cruzeiro teria que ser eficiente para, se possível, buscar os três pontos. Digamos que ao ouvir isso, os próprios jogadores tivessem assimilado que a vitória seria um detalhe. E, pelo que se viu em boa parte do primeiro tempo, foi mais ou menos isso. Embora o Cruzeiro tenha saído na frente, com Alisson, era o Sport o dominante da partida, exigindo de Fábio boas intervenções. Até o primeiro gol do jogo, o goleiro celeste era a principal figura em campo, com duas boas defesas, uma delas em chute dentro da pequena área.

Quisera o destino, no entanto, que o mesmo destaque, por um momento, tivesse virado vilão. Isso porque o goleiro derrubou um atacante do Sport na área. Pênalti que Diego Souza bateu bem e empatou o jogo. Nas redes sociais, os tradicionais extremistas já crucificavam o arqueiro do Cruzeiro. Torcedor modinha e chato demais. Vendo o lance de vários ângulos até agora tenho dúvidas se foi ou não. Mas o torcedor chato não vê assim. Talvez nem veja o jogo, gostando de aparecer por falar muita asneira e ficar "famosinho no Face". Menos!

Bom, o gol não abalou o time, que cresceu no segundo tempo. Ao contrário da primeira etapa, o Cruzeiro passou a ditar o ritmo da partida, exigindo boas defesas do veterano Magrão. Hudson deu belo chute cruzado, quase mudando o placar. Alisson também finalizou com qualidade, exigindo do arqueiro do Sport outra intervenção. No fim, empate por 1 a 1. Resultado que não é ruim mas que, pelas circunstâncias, principalmente pelo volume de jogo do Cruzeiro no segundo tempo, merecia uma sorte melhor. Um ponto na bagagem e, agora, pensar na próxima rodada: Santos fora.

Estreante
Rafael Marques estreou na partida, tendo uam atuação ainda discreta.

Próximo jogo tem encontro marcado!
A diretoria do Cruzeiro vai se reunir, aproveitando o jogo diante do Santos, dia 28, para reunir-se com a diretoria do São Paulo. Em pauta a contratação em definitivo do volante Hudson.

MELHORES MOMENTOS: SPORT X CRUZEIRO




sábado, 20 de maio de 2017

INTELIGÊNCIA E EFICIÊNCIA: O SEGREDO PARA O SUCESSO NO DOMINGO

POR: JOÃO VITOR VIANA

Uma parada torta pela frente. Domingo, às 19h, o Maior de Minas terá, em Recife, a missão de enfrentar o Sport, time que faz sempre boa campanha em casa, principalmente pelo fato do gramado ser bem ruim e a torcida pressionar. Além do mais, a equipe é qualificada, finalista da Copa do Nordeste e tem Diego Souza, que vem sendo o fator diferencial da equipe já há algum tempo. Assim, teremos que ser bem inteligentes para pontuar no campo do adversário.

É o caso de jogar defensivamente? Mais ou menos. Isso porque o estilo de jogo do Cruzeiro, em casa ou fora, é de jogar no contra-ataque. Mano Menezes orienta seus comandados a criar dentro do erro do adversário e, assim, fazer a diferença. Mano não é adepto do jogo "circense". Até porque, segundo sua visão, firula demais não ganha jogo e, por isso, a eficiência deve determinar o placar.

E esse eficiência passa, primeiro, por um bom desempenho defensivo. Uma linha de quatro jogadores na defesa sendo protegida por dois volantes, dois pontas apertos, um meia que mais se assemelha a um segundo atacante e um centroavante. Essa é a formação de Mano, talvez inspirada na histórica formação do Chelsea, que tinha, entre outros, Damien Duff, Lampard e Drogba. Mas, obviamente, com peças bem mais modestas.

E nessa formação celeste - que terá novamente Romero na lateral, Dedé na zaga e Ábila no ataque - que Mano aposta para voltar, ao menos, com um ponto do Recife. O empate não é visto como um sinal ruim. Mas o Cruzeiro não pode jogar por esse placar. Sabemos que quem joga para empatar, perde. E não seria inteligente jogar somente atrás, levando pressão. Afinal, água mole em pedra dura, tanto bate até que fura. Vamos ser inteligentes e eficientes, Cruzeiro!