quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

E A BASE?



O Brasil é um país muito grande. Um país onde jovens garotos, desde cedo, imaginam-se jogadores profissionais. Quem não quer ser um Thiago Neves, um Fábio, um Henrique? Quem não quer ser um Neymar, um Romário, um Ronaldo? No entanto, cada vez mais vemos poucos times investindo na categoria de base, com uma ou outra exceção. Na Série A, Santos e Fluminense são os que mais dão chances aos jovens. Há ainda o São Paulo, o Botafogo, o Grêmio. O Cruzeiro, há tempos, não puxa mais de um atleta. E quando o faz, vem apenas para compor o grupo. Complicado ver o profissional com Ezequiel e ver Vitinho saindo e Lucas Soares não tendo chance. Complicado ver o clube procurando lateral-esquerdo com Victor Luiz sendo uma jovem promessa. Difícil também ver sondagens a Diego Pituca, quando se tem Nonoca e o jovem promissor Maktom (foto) não sendo aproveitado. Já foram vários os atletas que saíram daqui e só foram se despontar fora. É hora de o Cruzeiro pensar em também produzir atletas.

De goleiro estamos bem servidos por um bom tempo. Além de Fábio, temos Rafael, Victor Eudes e Gabriel Brazão. Para a zaga, temos os jovens Cacá e Murilo. E do meio para frente? Ninguém. Vimos algumas chances para o jovem Marcelo em 2018, mas que não mostrou grande coisa. Será que a base celeste está carente de produção ou se seleção de jovens? É algo para se refletir.

E sempre que vem um questionamento, a "desculpa" é sempre a entresafra. Será mesmo? Não só no Cruzeiro, mas será que a seleção de atletas não está sendo feita de forma errada? Quais os critérios para se dispensar um jovem jogador? Em 2018 ouvimos falar demais no jovem Popó. Será que ele será uma promessa do profissional ou mais um que terá que sair daqui para conseguir seu espaço no cenário mundial?

Craque se faz em casa, com os melhores selecionadores e professores. É hora de haver mais cobrança, mais critério, mais futebol, em detrimento do excessivo momento de fé. E antes que me critiquem, faço um adendo: não é que desejo um time recheados de ateus. Fé cada um tem a sua. No entanto, parece que o primeiro passo para ser jogador é ser religioso. E não é bem assim. Aliás, religião não deve se misturar com futebol. Futebol é para quem sabe e quer jogar, sendo religioso ou não.

Que em 2019 vejamos mais atletas da base no profissional, principalmente sendo testados em campeonatos sem tamanha exigência, que é o caso do Campeonato Mineiro. Se tem um campeonato que devemos avaliar jovens e olhar promessas do interior, é o Mineiro e os demais regionais pelo país. Chega de ficar trazendo bonde a preço de ouro de outros clubes. É hora de voltarmos a formar craques em casa! E só contratar o que a incompetência de gestão não conseguiu produzir.

Maktom
O jovem volante sonha em renovar o vínculo com o clube. Com destaque na base do América, foi trocado por duas outras promessas do Cruzeiro. Há uma reunião marcada para que o volante renove até 2021 na próxima semana. Será que vamos deixá-lo sair? Será que vamos renovar seu contrato só para emprestá-lo para times de menor expressão até ele ir para o anonimato? Cruzeiro, cuide de seus atleta se forme novos craques!

Por: João Vitor Viana

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

SORTEIO AMIGO

O Cruzeiro se deu bem no sorteio da primeira fase da Libertadores. Cabeça de chave do Grupo B, o Maior de Minas terá pela frente o Deportivo Lara (VEN), Huracán (ARG) e Emelec (EQU). Dos brasileiros é o que terá vida menos complicada. Sorteio foi bem amigo, aliás. O mesmo não pode se dizer, por exemplo, do São Paulo. O time paulista, se passar pela fase eliminatória, entrará no Grupo A, juntamente com River Plate (ARG) e Internacional (BRA). O Alianza Lima tende a ser um participante apenas nessa chave.

O nosso rival terá o Danubio pela frente na prévia da Libertadores. Danubio é nome de rio e estou achando que vão morrer afogados, hein? E se passar pelos dois jogos, terá Cerro Porteño (PAR) e Nacional (URU), em grupo não muito fácil. O Palmeiras também entrou em grupo complicado. Terá Junior Barranquila (COL) e San Lorenzo (ARG), além de um adversário ainda a ser definido.
Confira, abaixo, os grupos da Libertadores de 2019:

Grupos da Libertadores 2019
Grupo A River Plate (ARG) INTERNACIONAL Alianza Lima (PER) G4 (chave do São Paulo)
Grupo B CRUZEIRO Emelec (EQU) Huracán (ARG) Deportivo Lara (VEN)
Grupo C Olímpia (PAR) Sporting Cristal (PER) Godoy Cruz (ARG) Universidad Concepción (CHI)
Grupo D Peñarol (URU) FLAMENGO LDU (EQU) Bolívia 2
Grupo E Nacional (URU) Cerro Porteño (PAR) Zamora (VEN) G1 (chave do Atlético-MG)
Grupo F PALMEIRAS San Lorenzo (ARG) Junior Barranquilla (COL) G2
Grupo G Boca Juniors (ARG) ATHLETICO Jorge Wilstermann (BOL) Deportes Tolima (COL)
Grupo H GRÊMIO Universidad Católica (CHI) Rosario Central (ARG) G3

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

DIA DE SORTEIO

Quem vem por aí? Vai ter brasileiro já na fase de grupos da Libertadores? Essas e outras perguntas serão respondidas na noite desta segunda-feira (17/12), quando será feito o sorteio tanto dos jogos da pré-Libertadores, onde hoje encontra-se o nosso rival, como dos grupos, onde Cruzeiro e mais outros brasileiros se encontram. O sorteio ocorrerá na sede da Conmebol, em Luque, no Paraguai. A transmissão começará às 22h e terá todo aquele clima - para variar - de megaevento, com shows, fotos, filmes, discursos, etc.

Os sites esportivos, brasileiros ou estrangeiros fazem suas apostas. Sabemos que em Minas os chutes são meio que irrelevantes, pois jornalistas, na maioria dos casos, dão lugares a torcedores. De qualquer forma, Cerro Porteño, San Lorenzo, Emelec, Flamengo, Sporting Cristal, Rosario Central, LDU, Alianza Lima, Huracán, Deportes Tolima e Universidad Concepción são os possíveis adversários do Cruzeiro. Salienta-se que pode haver encontro de times de um mesmo país na fase de grupos, contando que eles venham das prévias da Libertadores. Até o rival pode pintar por aí. Mas quem perde para Raja Casablanca a gente sempre pode desconfiar.

Bom, vamos ver o que vem pela frente.

Mais nomes na mídia

O Cruzeiro, como praxe, não comenta especulação. E a imprensa mineira, mais uma vez, jogou um nome no ventilador: Rodinei, do Flamengo. Uma hora ela acerta. espero que não seja nesse caso. Trazer jogador do nível do Ezequiel, é melhor dar chance para os meninos da base.

Por: João Vitor Viana

domingo, 16 de dezembro de 2018

MERCADO DA BOLA

O Cruzeiro vai se reforçar em posições pontuais. Ao menos é o que dizem os dirigentes celestes. Itair Machado fala em quatro contratações, sendo dois laterais, um meia e um atacante. No entanto, nunca negou que "negócios de ocasião" podem acontecer. E um desses nomes que vem circulando na imprensa é o do volante Diego Pituca, do Santos. O estranho é que o Cruzeiro tem, hoje, cinco atletas para o setor, sendo que ainda receberá Nonoca de volta de empréstimo. Será que vale a pena investir dinheiro em um jogador que além de não ser tecnicamente bom, já nem é tão jovem assim? Entre trazer um jogador mediano de 26 anos e dar chance para jovens, como Ederson, Nonoca ou outro menino da base, é melhor ir com o que temos. Pituca está longe de ser um jogador diferenciado. Vamos acompanhando.

Outros dois atletas que já tiveram os nomes ligados ao Cruzeiro podem ter outro rumo: Dodê estuda renovar com o Santos e Bruno Henrique pode pintar no Flamengo. O rubronegro carioca também deseja Gabigol, que não vai ficar no Santos em 2019. Marcinho, lateral-direito do Botafogo, segundo a imprensa carioca, interessa ao Cruzeiro. O clube não comenta especulações.

De saída?

O atacante Barcos, de 34 anos, pode não iniciar a temporada no clube. Com contrato até julho de 2019 e sabedor que Fred é o titular e que outros atletas podem ser também aproveitados em seu lugar, Barcos está estudando uma rescisão de contrato com o Cruzeiro. O atleta deixa claro que jogar com a camisa azul foi um prazer, que pôde ajudar o time quando precisou, mas que se não estiver em atividade no primeiro semestre dificilmente ele conseguiria um contrato melhor e mais longo após o fim do vínculo com o Cruzeiro. Barcos tem propostas de clubes argentinos e do Equador.

Por: João Vitor Viana

sábado, 15 de dezembro de 2018

CRUZEIRO SONDA MARCINHO, DO BOTAFOGO

O Cruzeiro está atrás de um lateral-direito. E já prevendo uma queda de Edílson num futuro a médio prazo, já pensa no seu sucessor. E o nome é de Marcinho, do Botafogo, de 22 anos. O jogador, de boa técnica e velocidade, é um dos que se destacaram no ano. E justamente pelo potencial no menino que o Cruzeiro o monitora. Internamente fala-se em R$ 5 milhões por ele. É saber se o Botafogo topa vender.

Em 2018, Ezequiel e Romero substituíram Edilson em algumas partidas. No entanto, o especialista da posição está longe de ser um jogador que ajuda o time. Já Romero, que foi bem, é volante e apenas quebrou um galho por ali. Ele até já disse que pode até tentar ser o lateral celeste e vir a atuar assim no futuro. Mas a opinião da comissão e da diretoria é ter, ao menos por enquanto, alguém que é, de fato, lateral atuando na função. Para 2019, Ezequiel, que tem contrato até o meio do ano, deverá ter o contrato estendido e ser repassado a alguma equipe até dezembro. Pode, ainda ser negociado em definitivo ou ser moeda de troca com algum clube.

Romero, um jogador mais tarimbado e que tem a simpatia de boa parte da torcida, foi assediado por alguns clubes e sondado por empresários. Mas o Cruzeiro pôs preço: ou chegam com 7 milhões de euros ou nem precisa perder o tempo vindo a Belo Horizonte.

Por: João Vitor Viana

FIM DO SONHO?

Bruno Vicintin sempre foi uma pessoa presente nas mídias sociais. Enquanto vice-presidente do Cruzeiro, durante a antiga gestão, ficou marcado por desaparecer - assim como Gilvan - quando o time não estava bem. Quem acabava respondendo às questões sobre o desempenho do time ou era o treinador - Paulo Bento e, depois, Mano - ou algum diretor de futebol, como Thiago Scuro, alguém que dependendo de mim, não punha mais os pés em Belo Horizonte, pelo diretor de futebol ruim que foi.

No entanto, Bruno nunca escondeu seu amor e carinho pelo Cruzeiro. Por diversas vezes afirmou que gostaria de ser presidente do clube um dia. Antes da última eleição, aliás, até chegou-se a cogitar a mudança no estatuto para que ele pudesse a concorrer, o que nunca ocorreu, por sinal. Assim, acabou apoiando Wagner Pires - assim como Gilvan -, mas sumiu após as eleições. Afirmou que a chapa não cumpriu com o acordo e que por isso ele estava "fora de qualquer cenário do clube". Bom, pelo visto realmente está. E no que depender dos resultados atuais do Cruzeiro e dos empreendimentos de Bruno, o sonho de ser presidente pode ter ficado no passado. Assim como sumiu do Cruzeiro, sumiu das redes sociais. Apareceu hoje, em post em um site mineiro. Mas nada a ver com o Cruzeiro, mas em notícia que mostra que sua família adquiriu um time da Terceira Divisão de Portugal, o Alverca, primeiro time do ex-jogador Deco.

O projeto, é verdade, será liderado pelo pai de Bruno, Ricardo Vicintin. Contudo, nada impede que Bruno dê seguimento a ele ou até ajude, principalmente nesse começo. Seria o fim do sonho de ser presidente celeste? Possivelmente. Após o "racha" com a chapa vencedora e o distanciamento da chapa derrotada, capitaneada por Sérgio Rodrigues fez com que Bruno ficasse ilhado politicamente dentro do clube. Se ele ainda pensar nessa ideia terá que escolher entre o time que sua família comprou e o sonho de liderar o Cruzeiro no futuro. Será que isso ainda passa em sua cabeça? Talvez o sonho tenha sido apenas um sentimento, uma vontade... que passou.

Vice-presidente
O ex-goleiro Artur Morais, reserva de Gomes e um frangueiro de mão cheia, que não deixou a menor saudade por aqui nem pelos clubes que passou, será o vice-presidente do Alverca. Quem sabe ele se dê bem na carreira? Como jogador, deu muita sorte. Ganhou muito dinheiro sendo mediano para baixo. Educado e, segundo informações, uma ótima pessoa. Mas um goleiro tecnicamente fraquíssimo, que dei "graças a Deus" quando foi embora. Ele e Alexandre Fávaro (ex-Ponte Preta) tiveram atuações horriveis por aqui. Torço pela pessoa ser feliz. O goleiro que por aqui passou... esse quero bem longe.


Por: João Vitor Viana

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

IDEIA É SE LIVRAR DE ALGUNS ATLETAS

2018 foi um ano diferente, com mudança de direção, acerto de contas e levantamento de débitos. Ainda assim a nova diretoria foi competente o suficiente para montar uma equipe qualificada, que ganhou duas competições e que vai forte para 2019. E a ideia, tanto para o próximo ano como para 2020, quando termina a atual gestão, é dissolver os maus contratos, os jogadores ruins que chegaram e que nunca serão aproveitados e se reforçar com atletas que realmente tragam retorno ao clube.

No início desse ano, vários são os jogadores que retornam de empréstimos e, alguns, com contratos findando. É o caso, por exemplo, do lateral Bryan, que terá seu vínculo rescindido e já foi comunicado sobre isso. Outros atletas deverão ser emprestados novamente ou entrarão em algum negócio, caso haja viabilidade.

Outro atleta que não interessa e que foi contratado em 2018 é Mancuello. Aliás, esse rapaz está dando uma dor de cabeça gigante para a atual diretoria. Como não rendeu dele o esperado, o clube buscará repassar a dívida que ainda tem com o Flamengo (cinco parcelas de R$ 750 mil) para o próximo clube. Caso não consiga, tentará fazer alguma composição para que o time carioca não fique no prejuízo. Afinal, se a meta é corrigir problemas causados pela gestão passada, não seria criando outro que isso ocorreria. O provável destino de Mancuello é o San Lorenzo.

Atletas ainda com vínculos

Entre os jogadores que fizeram longos contratos com o clube estão Breno Lopes (lateral-esquerdo), Pará (lateral-esquerdo), Caíque Valdívia (meia), Gabriel Xavier (meia), Joel (atacante), Luis Fernando (meia) são alguns exemplos. Fabrício Bruno (zagueiro) e Renato Kayser (atacante) poderão ser aproveitados, mas dependerão do aval de Mano Menezes.

Por: João Vitor Viana