segunda-feira, 29 de junho de 2020

CENTENÁRIO NA B



Há quatro anos, quando entrevistei, para um canal de internet, o atual presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, ouvi dele um relato curioso e animador.
Naquele momento, Sérgio sonhava em ser presidente do Cruzeiro e planejava, em seis anos, fazer do clube um time com mais de 100 mil sócios e campeão mundial.
Bom, a história que veio com a derrota dele e a vitória de Wagner Pires, a gente ficou sabendo à posteriori.
E hoje, estamos amargando uma situação bem complicada financeiramente e, pior, política.
O ex-presidente do Conselho Gestor do Cruzeiro, Saulo Froes, afirmou que a crise política, inclusive, era pior que a econômica.
Mesmo com o clube devendo quase R$ 1 bilhão.
E na esperança que as coisas caminhem melhor agora, ainda que em mandato tampão, uma coisa é certa: o centenário será na Série B.
No dia 2 de janeiro estaremos, ainda, jogando campeonatos relativos à 2020, já que a previsão da CBF, por enquanto, é que tudo termine entre fevereiro e março do ano que vem.
Contudo, isso ainda pode ser pior, já que o governo de Minas afirmou, por meio de nota, que não acredita na volta do Campeonato Mineiro em julho, como quer a Federação Mineira.
Aliás, o presidente Adriano Aro, sobrinho de Elmer Guilherme, queria que tudo voltasse dia 26 do próximo mês.
Ou seja, daqui menos de um mês.
Com vários estados tendendo ao lockdown (Goiás decretou isso nesta segunda-feira) e com Belo Horizonte tendo sua flexibilização retroagindo, tudo vira uma incógnita.
E quanto mais se adia o reinício, mais para frente o calendário será jogado.
Acordos com sindicatos de atletas têm sido tratados, mas pouco têm avançado.
A realidade será muito diferente daquela sonhada por Sérgio Rodrigues anos atrás.
Mas vamos sair dessa.
Não teremos o centenário que queríamos, mas esperamos, ainda que de forma adiada, voltar ao topo, à elite, à divisão da grandeza do Cruzeiro.

Por: João Vitor Viana

sábado, 27 de junho de 2020

O CAPITÃO ESTÁ BEM



O volante Henrique, que recém voltou ao clube, sofreu um acidente de carro nesta sexta-feira (26). O atleta, de 35 anos, estava sozinho no carro, que acabou caindo em um desfiladeiro, na região de Brumadinho. Não se sabe ainda o que aconteceu. Segundo relatos, Henrique estava confuso no momento do resgate, que precisou ser feito por rapel, devido ao local ser de difícil acesso. O carro do jogador ainda está no local até o fechamento dessa matéria. A queda foi de 200m, mas o jogador teve apenas ferimentos leves.
O Cruzeiro, por nota, informou que o atleta está bem e que ficará sob observação nas próximas 24 ou 48h. Ele está sendo acompanhado por médicos do clube e do hospital Mater Dei.

Por: João Vitor Viana

quinta-feira, 25 de junho de 2020

BATE-PRONTO DE QUINTA



- O Cruzeiro oficializou, na noite desta quarta-feira, a contratação do lateral-direito Raúl Cáceres, de 28 anos, ex-Cerro Porteño. Ele assinou contrato até o fim de 2022. Esse foi o segundo anúncio do dia. Antes dele, a Raposa já havia confirmado o retorno do volante Henrique, que estava emprestado ao Fluminense. O Cruzeiro ainda vai trazer ao menos outros dois atletas: um lateral e um atacante.

- Falando em atacante, Angulo, que chegou, mas ainda não jogou, está de volta aos treinos na Toca. Depois de ter teste para covid-19 dando resultado inconclusivo, ele fez novas duas testagens e constatou negativo. O volante Adriano também voltou, assim como, infelizmente, João Lucas.

- Já o tal banco Digi+, que chegou com toda a pompa, aos poucos vai perdendo espaço e não seria surpresa se ele saísse do Cruzeiro, sob alegação de pandemia. Nunca deu lucro algum, o serviço é ruim e a média de avaliação dele é inferior a 2, num total de 5 estrelas. O Cruzeiro precisa se aliar a marcas fortes, a fim de que o torcedor também tenha benefícios.

- Por fim, falemos do volante Henrique, 35 anos, que saiu de uma forma estranha do Cruzeiro e que, seis meses depois e sete jogos pelo Fluminense, está de volta. Com contrato até dezembro de 2021, o jogador tem alinhavado uma carreira pós-atleta no próprio Cruzeiro. Contudo, algo para daqui dois ou três anos, quando ele pretende pendurar as chuteiras. A aceitação do nome dele foi unânime na diretoria e na comissão técnica. Já na torcida, há uma grande divisão.

Por: João Vitor Viana

domingo, 21 de junho de 2020

PARA TER ROMERO, CLUBE TERÁ QUE POR DINHEIRO

O capilé foi pouco.
Pelo menos, na visão do Independiente, time que detém os direitos de Romero até 2023.
E mesmo passando por um perrengue financeiro, o time argentino exige recuperar o mesmo investimento feito no jogador, algo em torno de US$ 5 milhões.
Por isso, o Cruzeiro vai precisar fazer uma imensa engenharia financeira se quiser ter o jogador, que já avisou, quer voltar.
No entanto, com o dólar na altura que está, ao Cruzeiro custaria quase R$ 30 milhões para ter o retorno do jogador.
Será necessário conversar muito, fazer um projeto de convencimento e, de fato, negociar.
O Cruzeiro tentou a volta de Romero por empréstimo, mas em nada seduziu o "Rojo".

Por: João Vitor Viana

sexta-feira, 19 de junho de 2020

ADEQUAÇÕES SÃO NECESSÁRIAS


O Cruzeiro não vai fazer uma limpa no time. 
Mas fará adequações.
Junto às saídas de Edilson e Robinho, outros vão deixar a Toca II.
Rafael Santos indo para a Chapecoense, Jhonata Robert já retornou ao Grêmio.
Outros seis podem deixar o clube.
Chances de Marcelo Hermes, Roberson e João Lucas aumentam.
O clube não quer rescindir o contrato deles, para não ser oneroso.
Tanto é que Robinho já acionou o clube na justiça e Edilson deverá ir pelo mesmo caminho.
Outros processos também estão em curso, todos trabalhistas.
Junto a esse turbilhão, atletas também serão relocados e outros chegarão.
O presidente Sérgio Santos Rodrigues afirmou que acredita que o time seja forte para a Série B, mas cogita a chegada de pelo menos três atletas.
Na live desta quinta-feira, anunciou novidades.
Mas nada de jogador.

Por: João Vitor Viana













sexta-feira, 5 de junho de 2020

CRUZEIRO DISPENSA EDILSON E ROBINHO



A gestão Sérgio Rodrigues tinha dado um recado: era preciso acertar as finanças. Em busca da concretização do discurso, o presidente do clube anunciou medidas e, agora, anuncia dispensas. O lateral-direito Edilson e o meia Robinho foram dispensados na manhã desta sexta-feira. Ambos já foram comunicados da decisão que, segundo o mandatário celeste, é estritamente financeira.
“Infelizmente, devido ao cenário que envolve o clube nos últimos anos, precisamos chegar a essa decisão extrema. Robinho e Edilson são atletas vitoriosos, que contribuíram para o time com grandes conquistas, e nós os agradecemos muito. Mas a realidade e necessidade de austeridade do Cruzeiro daqui pra frente nos impõe essa mudança. Um dos principais compromissos da nossa gestão é preservar a saúde financeira do clube, e foi isso o que pesou na decisão. Continuamos, porém, atentos ao mercado para reforçar o elenco dentro da nossa realidade e contamos com a compreensão dos nossos torcedores para o nosso momento”, disse Sérgio.
Com salários acima do teto, ambos aceitaram a readequação salarial proposta pelo Conselho Gestor, que esteve à frente do clube até o final do mês de maio. A economia com ambos será de quase R$ 1 milhão mensais. Contudo, como eles aceitaram parcelar a dívida que o clube tem com eles, pelos próximos 20 meses continuarão recebendo o valor acordado, mais os direitos trabalhistas por causa de rescisão, que se faz em cima do salário real.
Por: João Vitor Viana