quarta-feira, 26 de abril de 2017

SEQUÊNCIA FORTE


O QUE ACONTECE COM A TORCIDA?

POR: MARCÃO ANTI-FRANGA

O que acontece com a torcida? O melhor é sempre o jardim do vizinho? Quanta chatura nas redes sociais! É gente falando que o Cruzeiro tem que contratar fulano, que o técnico é fraco e tem que trazer outro, que cicrano é ruim, que o melhor é o jogador que chegou recentemente e sequer jogou. Caramba! Por que esse mimimi chato? Cadê aquela torcida vibrante do Cruzeiro?

Ao que parece, tem gente que gosta de viver em crise, que não vê graça em nada e que não deve ter muito o que fazer da vida. Ler um livro, namorar, passear, dormir... isso faz bem, ok, pessoal?

Não acho que está tudo às mil maravilhas. Mas também não está toda essa meleca que muitos pregam. Tem jogador que não está rendendo? Tem. Podíamos estar jogando melhor? Podíamos. Mas temos um elenco bom? Um dos melhores do país! Temos um técnico bom? Talvez, o melhor do país na atualidade. Nada de ficar falando de Cuca, de Marcelo Oliveira ou Levir Culpi. Estamos muito bem servidos, tanto de atletas, quanto em comando técnico. Como disse uma vez o atacante Rafael Sóbis, "não sei se é o melhor, mas é o melhor para o Cruzeiro no momento".

Aliás, o próprio Rafael Sóbis vem sendo sobrado nas redes sociais. Sério mesmo que o querem fora do time? Sabem a importância que ele tem para o time? Com certeza não. É um líder, dentro e fora de campo. É o cara que joga para o time, que dá raça. Pode, às vezes, não fazer gol, mas é o cara que abre espaço, que dá o passe, que pressiona o adversário. Futebol não é apenas gol. É necessário ver todo o contexto.

Por isso, a torcida tem que parar de ficar nesse mimimi chato, de achar que Lennon é o melhor lateral do mundo. Pode até ser bom, mas vamos esperar jogar para ver. Temos o Dedé voltando, temos o Lucas Silva querendo uma vaga no time, temos no banco o que muito time não tem no time titular. Não é hora para choradeira, encheção de saco ou corneta de plantão. É hora da torcida estar junto. Temos uma final nos próximos dois fins de semana. E se a torcida ficar nesse trelelê enjoado, em nada vai ajudar a equipe.

terça-feira, 25 de abril de 2017

PANEJAMENTO: RECUPERAÇÃO


POR: JOÃO VITOR VIANA

O Cruzeiro terá a tão esperada "semana cheia" para se preparar para o primeiro jogo da final do Campeonato Mineiro. Mais do que isso, buscará a recuperação de atletas, que estão no Departamento Médico do clube, uns há mais, outros em menos tempo.

São os casos de Robinho e Thiago Neves, dois jogadores "pensadores", que fazem muita falta no esquema de Mano Menezes. O primeiro, aliás, parece até mais "insubstituível", uma vez que, até o momento, rendeu mais e, pelo visto, mostrou não ter, no grupo celeste, um substituto à altura. Já Thiago, que foi bem em alguns jogos, tem mostrado um desempenho bem alternado. Contudo, inegável sua qualidade técnica, principalmente na bola parada. Desde domingo, são seis dias para que Mano Menezes tenha de volta dois de seus principais jogadores. Se não para iniciar o jogo, para participar no decorrer da partida.

Lá vem a Polícia!
Estava demorando! A corporação afirmou que a final, semana que vem, no Independência, deve ser com torcida única. Talvez pelo fato de não querer trabalhar ou querer ganhar dinheiro fácil. Ao se pronunciar desta maneira, a própria Polícia colabora para o comportamento agressivo de "torcedores", que vão ao estádio para extravasar suas mazelas na vida. É dever da Polícia, que é bem paga para esse tipo de evento, garantir a segurança daqueles que querem participar. Hoje haverá reunião para tratar do assunto. Mais um posicionamento lamentável da PM Mineira, que há muito deixou de ser exemplo de competência. Se ela não garante a segurança, contratem seguranças privados. Ponto.

Expirou!
O alvará de funcionamento do estádio Independência expira hoje. É o que mostra o registro imobiliário do estádio. A Prefeitura disse que até que se avalie alguma alteração, o alvará será constantemente prorrogado até que o Conselho de Meio Ambiente (Coman) analise a licença de operação. Esta averiguação está sendo feita desde outubro do ano passado. Vergonha tamanha lerdeza!


segunda-feira, 24 de abril de 2017

ESTAMOS A DOIS PASSOS... DO PARAÍSO


POR: JOÃO VITOR VIANA

O Cruzeiro venceu, ontem, o América, por 2 a 0, no Mineirão, qualificando-se como o segundo time a chegar à final do Campeonato Mineiro de 2017. Mais cedo, nosso rival venceu a URT e confirmou sua presença para os últimos dois jogos.

Serão duas partidas, possivelmente nos dois próximos domingos. Jogos que irão definir o campeão Mineiro deste ano. Jogo que colocará, mais uma vez, os arquirivais frente a frente. Até agora, nas duas vezes que se enfrentaram no ano, deu Cruzeiro.

As duas equipes, assim, estão a dois passos do paraíso, como diz aquela antiga música. Paraíso sim. Muita gente vai falar que o Campeonato Mineiro não vale nada. Mas a gente sabe que, caso não vença, terá torcedor dizendo por aí "nem Mineiro ganha". Ou ainda: "Mineiro é obrigação". Em se tratando de um título disputado pelos dois maiores clubes do estado, disputa de dama na Praça Sete tem valor incomensurável. Que o Cruzeiro mantenha seu tabu dos últimos dois anos e vença o rival, de preferência, nos dois jogos.

Preocupação
Thiago Neves saiu de campo com dores no joelho direito. Em entrevista, disse que ia começar a tratar das dores desde já, para que pudesse estar em campo no fim de semana, diante do rival. No entanto, até lá, o jogador fará uma série de exames e é dúvida, inclusive, para os dois confrontos. Tudo vai depender do que os exames mostrarem. Que não seja nada grave.

domingo, 23 de abril de 2017

MELHORES MOMENTOS: CRUZEIRO 2 X 0 AMÉRICA

video

Créditos: Lance TV

CRUZEIRO VENCE E, DOIS ANOS DEPOIS, VOLTA À FINAL DO MINEIRO


POR: JOÃO VITOR VIANA

O Cruzeiro voltou a campo neste domingo e, diferentemente do fim de semana passado, quando jogou bem abaixo, esteve bem. Venceu o jogo através de jogadas construídas individualmente e teve em Arrascaeta o finalizador da noite, autor dos dois gols celeste. Placar final: 2 a 0 para a Raposa, que nos próximos terá o rival pela frente. Mais cedo, às 16h, bateu a URT, por 3 a 0, no Independência. O jogo marcará a volta do Maior de Minas à final do Campeonato Mineiro, o que não aconteceu nos últimos dois anos.

O jogo
A partida entre Cruzeiro e América alternou o time que propunha o ataque. O América, em alguns momentos, foi melhor, em outros, foi o Cruzeiro. Porém, como no futebol quem vence é aquele que é objetivo e eficiente, brilhou o time que tinha no seu elenco os jogadores decisivos. Foram os casos de Diogo, Hudson, Rafael e Arrascaeta. Enquanto os dois deram assistências para os gols celestes, Arracaeta apareceu como centroavante nas duas oportunidades, mandando para a rede de João Ricardo, ambas sem chances ao guarda-metas. No primeiro lance, bola bem cruzada por Diogo, que encontrou o uruguaio na área, livre, que de primeira, escorou a bola, que veio do lado direito do Coelho. Já o segundo gol também veio pelo lado esquerdo da Raposa, mas com o volante Hudson, que aventurando-se como ponta, fez bela jogada, passou pela zaga e entregou, de bandeja, para Arrasca finalizar, meio que de bico, para o fundo das redes americanas.

Já o goleiro Rafael voltou a brilhar: quando acionado, buscou a bola. No segundo tempo, defendeu bela cabeçada do ataque americano no ângulo direito. Durante a partida ainda fez ótimas intervenções. É, Fábio... do banco você assistiu e até sorriu da bela atuação do atual titular e seu amigo há quase 10 anos. Pelo jeito... vai esperar mais um pouco para ter nova oportunidade. O cara tem sido monstro.


FALA AÍ, MANO!

video

A 90 MINUTOS DA FINAL


POR: JOÃO VITOR VIANA

90 minutos: tudo que separa Cruzeiro e América da final do Campeonato Mineiro. 11 jogos na primeira fase e mais um na semifinal e lá se foram pelo menos 1.080 minutos de futebol. Claro que vez ou outra -  ou boa parte desse tempo - vimos um futebol pouco convincente, às vezes com a equipe sendo formada por jogadores reservas e outras vezes com o time focado na partida que ainda estava por vir. No entanto, a partida deste domingo é a determinante para a final e tanto Cruzeiro quanto América sonham em poder alcançar esse feito.

Para o Cruzeiro, dois resultados servem: vitória e empate. Ao América, somente a vitória. Sem decidir o título há dois anos, o time de Mano Menezes entra em campo com o tempo ao seu favor. Contudo, diferentemente da partida contra o São Paulo, pela Copa do Brasil, não há vantagem por gols, não permitindo, assim, jogar defensivamente, deixando o tempo passar. Se sofrer o gol primeiro, terá que correr dobrado para empatar, ao menos. Hoje, sem dúvida, é uma decisão.

Mano Menezes já tem o time em mente, mas não revela. Sem Manoel e Ariel, que se recuperam de cirurgias, Caicedo e Henrique devem ser os escolhidos. Na lateral, seria uma surpresa a presença de Lennon entre os titulares. Mayke, em tese, continua, já que Ezequiel sequer foi relacionado. Faltam 90 minutos para saber qual dos dois times será um dos finalistas do Campeonato Mineiro. A partida de hoje será às 18h, no Mineirão.


CRUZEIRO X AMÉRICA

CRUZEIRO
Rafael; Mayke, Leo, Caicedo e Diogo Barbosa; Henrique e Hudson; Rafinha, Arrascaeta e Thiago Neves; Rafael Sobis. Técnico: Mano Menezes

AMÉRICA
João Ricardo; Auro, Messias, Rafael Lima e Pará; Gustavo Blanco, Juninho, Gérson Magrão e Renan Oliveira; Felipe Amorim (Mike) e Hugo Almeida. Técnico: Enderson Moreira.

Motivo: jogo de volta das semifinais do Campeonato Mineiro
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data e horário: 22 de abril (domingo), às 18h
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira (Asp.Fifa/MG)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo (FIFA) e Magno Arantes Lira (CBF)

sábado, 22 de abril de 2017

MANO: EM BUSCA DA PRIMEIRA DECISÃO


POR: JOÃO VITOR VIANA

Até hoje, Mano à frente do Cruzeiro significou ser "bombeiro". Em duas ocasiões, o treinador chegou para ajustar o time, tirar de uma zona perigosa, a de rebaixamento, fazendo aquilo que era necessário para que o Cruzeiro não tivesse uma mancha em sua história. Duas vezes e dois sucessos. Agora, chegou a vez de Mano buscar sua primeira decisão.

À frente do Cruzeiro desde o ano passado, o técnico gaúcho foi o responsável pela montagem do elenco deste ano. Quem não queria na equipe, vazou. E quem ele pediu, chegou. Trabalhando com aqueles jogadores de sua confiança, Mano pretende levar o Cruzeiro não somente à final, como ser campeão de vários torneios em 2017. Pela ordem, o primeiro desafio de se chegar à final é o Campeonato Mineiro. Para isso, basta não perder para o América, neste domingo, às 18h, no Mineirão.

Quanto ao time que entra em campo, Mano não dá pistas. Aliás, Mano tem adotado o "mistério" nos jogos decisivos. Foi assim contra nosso rival, na primeira fase; contra o São Paulo, na Copa do Brasil; e contra o América, no primeiro jogo da semifinal do Mineiro. Certo é que não poderá contar com Ariel e Manoel, que passaram por procedimento cirúrgico recente, e dificilmente terá Ezequiel, que se recupera de um desgaste muscular. Vai haver novidades? Henrique retorna ao meio, ao lado de Hudson? Na zaga, Caicedo entra? E na lateral? Mayke ou Lennon? Como o próprio Mano costuma dizer, "uma hora antes do jogo, todos saberão".

FALA AÍ, MANO!


sexta-feira, 21 de abril de 2017

CRUZEIRO, NÃO SEJA IGUAL O RIVAL!

POR: MARCÃO ANTI-FRANGA

A mídia atleticana, bastou o time dela tomar uma "carcada" do Libertad, já voltou a fazer cobrança. Falou de intimação da Fifa, tanto no "Caso Ábila" como no "Caso Pisano". No primeiro, uma dívida no valor de US$ 1,5 milhão, na outra, US$$ 750 mil. Aí vocês podem me perguntar: você defende um possível calote do Cruzeiro? Eu respondo: não.

Aliás, a fama de caloteiro em Minas Gerais, quiçá no Brasil, é do nosso rival, que constantemente está na mídia nacional (a mineira corrobora com a falta de pagamento e raramente divulga) tendo algum bem penhorado para que alguma quantia seja paga. Aliás, a venda do Lucas Pratto, do Bernard... pouco se viu do dinheiro ali do outro lado da Lagoa. Isso porque a dívida é imensa e só cresce.

Você já ouviu algum amigo atleticano falando que "Ricardo Guimarães é atleticano e, por isso, ele não cobra juros do dinheiro que ele emprestou?", já ouviu que o "Atlético, na Era Kalil, saneou toda a dívida?". Pois é. No Fantástico Mundo de Bobby que nossos amigos, torcedores do rival, vivem, é assim: praticamente um "Alice, nos país das maravilhas".

Esse cenário, contudo, não é aquele que a torcida celeste está acostumada, Gilvan, até para parar com toda essa ânsia da imprensa em falar que o Cruzeiro deve, pague logo tudo isso e pronto. O Cruzeiro tem um nome e, por isso, caso não tenha dinheiro em caixa, peça auxílio a empresários e os pague quando puder! Nós não somos iguais o rival, que deve até hoje a compra do goleiro Vitor, que recentemente fez um acordo com o armador colombiano Cárdenas e que coleciona uma série de jogadores e funcionários em seu clube de credores. Gilvan, pague! O Cruzeiro nunca teve fama de mau pagador! E essa morosidade é chata demais! Principalmente ao cruzeirense, que sempre se vangloriou de ser não apenas um time saneado, como um time vencedor. Não seja como o rival!

quinta-feira, 20 de abril de 2017

CRUZEIRO PEGA A CHAPE NAS OITAVAS DA COPA DO BRASIL


POR: JOÃO VITOR VIANA

O Cruzeiro já sabe quem vai enfrentar na próxima fase da Copa do Brasil: a Chapecoense. As datas e horários ainda serão definidos. O sorteio aconteceu nesta quinta-feira, às 12h, na sede da CBF, no Rio de Janeiro.

A próxima fase marcará confrontos importantes. O Palmeiras enfrentará o Internacional. Já o Grêmio pega o Fluminense. 

Por muito pouco não deu Cruzeiro x Atlético. Faltando duas bolas, o ex-atacante Washington sorteou o nome do Cruzeiro que, então, pegou a Chape. Se ele tivesse pego a outra bola, teríamos um clássico regional e um encontro entre Chapecoense e Paraná.

O primeiro jogo será no Mineirão. O retorno, na Arena Condá. As datas ainda serão definidas, assim como os horários, tendo a participação da TV detentora dos direitos para decidir alguns jogos.

JÁ ESTAMOS QUASE EM MAIO... E AÍ, MANO?

POR: JOÃO VITOR VIANA

A torcida clama por um futebol melhor. Faço parte dessa parte. Alguns irão questionar que há alguns dias eu justifiquei que o Cruzeiro veio de uma sequência de jogos, de partidas complicadas e desgastantes e que, por isso, caiu de rendimento. Mas até agora o time não teve um rendimento razoável. Teve, sim, uma sequência invicta boa, soube jogar vários jogos na inteligência, mas não encheu os olhos da torcida em nenhum deles.

Nem precisa disso, aliás. Jamais cobrarei show todos os jogos. Mas a torcida não está vendo, ainda, empenho. Talvez, lapsos disso diante do nosso rival e no primeiro jogo contra o São Paulo, quando soubemos ser eficientes. Mas não vemos uma sequência. Diante do jogo no Mineirão, contra o São Paulo, parecia que fazíamos um jogo qualquer, quando, na verdade, era uma decisão. Vão falar de cansaço? Vão falar de sequência? Estamos ainda em março! Como pode ser que o físico dos atletas esteja tão deficiente? Cadê o preparador físico para dar seu veredicto?

O Cruzeiro precisa de um padrão, de mostrar empenho, de mostrar que quer chegar a algum lugar. O início do ano se mostrou promissor. Discurso, os mais bonitos; treinos, jogos-treinos, resultados amplos em amistosos contra equipes inexpressivas. Tudo muito bonito. Mas nem diante de equipes mais fracas, no Campeonato Mineiro, vimos o Cruzeiro jogar para cima, propondo o jogo, sendo aquele time eficiente. Desculpa que o time estava desmotivado, de olho em outra competição mais importante, a Copa do Brasil. Quando não rendia na Primeira Liga, a desculpa era que o torneio não era atrativo. Agora, na Copa do Brasil é o cansaço? O treinador rodou a equipe várias vezes e só agora dá sequência aos titulares. A maioria já jogava junto no ano passado e se conhece bem. Não é para culpar, ainda, o desentrosamento.

É hora de por na cabeça que o ano já começou, que precisamos de um padrão. Não é para ficar jogando como na pior fase de Marcelo Oliveira por aqui, quando basicamente pedia aos jogadores para levantar bolinha na área. O Cruzeiro não pode ser um amontoado de jogador, principalmente por aquilo que tem no papel. O Cruzeiro precisa por em prática, aquilo que sabe na teoria. Chega de desculpas! Hora de ir a campo, mostrar empenho, jogar como Cruzeiro e parar de mimimi interno. Se a torcida, quarta-feira, fez sua parte, os jogadores ficaram devendo. E muito.

NÃO É HORA PARA TEIMOSIA

POR: MARCÃO ANTI-FRANGA

Eu sou e sempre serei defensor daquele que trabalha, que é coerente e que ganha: qualidades estas que Mano Menezes sempre mostrou à frente do Cruzeiro. No entanto, algo tem me incomodado recentemente. As várias modificações lunáticas do treinador tem posto tudo isso em xeque, o que é algo bem ruim.

Mano tem o apoio da maioria do torcedor. Mas até aquele que antes estava com ele - e que ainda continua, meu caso - começa a questionar o modo de pensar e a leitura de jogo do comandante. Diante do São Paulo, a modificação era clara: Rafinha não podia continuar, não tinha perna; Sóbis pouco produziu; Thiago Neves viveu de bolas paradas; Mayke estava em um mundo paralelo. Desses, apenas Mayke saiu. E para quem entrar? Henrique, jogador de liderança, titular, mas que obrigou Hudson a se deslocar para a lateral, posição que não conhece. Resumo: Cruzeiro não ganhou um lateral e perdeu um volante. Na pressão são-paulina, perder o meio foi quase um tiro no pé. Arrascaeta saiu e deu lugar a Alisson; e Caicedo substituiu Manoel, lesionado. A última alteração foi por causas anormais. Já a entrada de Alisson em nada acrescentou.

Qual teria sido a melhor medida?

O Cruzeiro parecia não querer jogar. Entrou em campo sonolento e só acordou depois de estar atrás do marcador. Por cerca de 15min, tomou conta do jogo, empatou e teve chance de virar. Depois disso, recuou novamente e sofreu pressão no final, que poderia ter resultado em algo pior. O que Mano poderia ter feito? Tirado Rafinha e posto Henrique, para reforçar o meio, usando Thiago e Arrascaeta no contra-ataque. Mais adiante, poderia ter posto Alisson, para forçar a velocidade em contra-golpes. Mas teria que ter reforçado o meio. Mayke não estava bem, mas por Hudson ali, fez o time ficar ainda mais perdido. Mano, quero muito te apoiar, mas as alterações que vem fazendo, começam a tirar meus argumentos...

Dois meses fora!

Manoel, que saiu de campo lesionado, passou por exames e terá que passar por procedimento cirúrgico. Ficará afastado por cerca de dois meses. Assim, Caicedo deve herdar a vaga, ao menos por agora. Isso porque Dedé, titular indiscutível, está retornando aos poucos.

QUARTA: O DIA DAS ZEBRAS


POR: RAPOSO SENSATO

Ontem foi o dia de muitas zebras.

Cruzeiro perdeu sua invencibilidade ao perder para o São Paulo.

O Corinthians saiu para o Internacional.

O rival perdeu para o Libertad.

O Barcelona... bom, sair pela Juve não é tão zebra assim...

Enfim, um dia que muitos resultados "previstos" acabaram não ocorrendo.

Que bom que classificamos.

Afinal, em meio a um futebol ruim, de pouca doação em campo, pelo menos alcançaram a classificação.

Prêmio de consolação para um futebol que ainda precisa ser encontrado.

Aliás, o futebol mineiro em 2017 ainda não disse a que veio.

Nem Cruzeiro, nem o rival - cujos elencos são elogiados - mostraram algo esse ano.

Quando mostrarão?

O Cruzeiro, esperamos, pode começar por domingo.

Mais uma decisão.

Que encare esta como tal.

Diante do São Paulo, mais parecia um amistoso.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

FIM DA INVENCIBILIDADE. MAS CLASSIFICAÇÃO GARANTIDA


POR: JOÃO VITOR VIANA

Os 21 jogos sem perder já era. Mas, ao menos, o Cruzeiro saiu classificado na noite desta quarta-feira, no Mineirão. Um jogo tenso, de um placar final de 2 a 1 para o São Paulo, mas que foi suficiente para o Cruzeiro passar de fase. A torcida fez sua parte do início ao fim, muito diferente do nível do futebol mostrado pelo Cruzeiro em campo. E desta vez não tem desculpa de cansaço. Jogou bem menos que o São Paulo e se não fosse algumas defesas de Rafael, a sorte e a incompetência de alguns jogadores do time paulista, algo pior poderia ter ocorrido. Literalmente, o Cruzeiro jogou com o regulamento debaixo do braço.

O Cruzeiro iniciou o jogo dormindo e foi sendo engolido pelo São Paulo, que mostrou, desde o início, vontade de jogar. O Cruzeiro, com a vantagem, tentou cozinhar o jogo. E o diferencial de atitude resultou no placar da primeira etapa: 1 a 0 para os visitantes, marcado por Lucas Pratto.

Na segunda etapa, o Cruzeiro voltou melhor, mais atento. Cresceu nas adversidades, empatou em cobrança de falta, de Thiago Neves, mas voltou a recuar e esperar o São Paulo. Perdeu chances de matar o jogo e a partir dos 30min do segundo tempo, abdicou da partida novamente. Passou a tocar bola, engalobar o jogo, deixar o tempo passar. E nessa "plasta", nessa nhaca de vontade, o São Paulo fez mais um, com Gilberto. Antes do tento, por duas vezes o ataque visitante parou em duas defesas de Rafael. O goleiro celeste já havia, no primeiro tempo, feito uma defesa excelente em chute de Pratto. 

No fim, quatro minutos de acréscimo, que revoltou o técnico Rogério Ceni, que queria mais tempo, devido aos minutos "perdidos" com a contusão do zagueiro Manoel. Faltando os quatro minutos finais, viu-se apenas chutões e desespero do São Paulo. A derrota acabou se confirmando com o apito final do árbitro, que teve atuação bem contestada pelo São Paulo e também não agradou aos cruzeirenses. A derrota aconteceu, mas a classificação veio. À duras penas, é verdade. Mas veio.

Alterações
Não entendi, novamente, a substituição de Mayke por Henrique. Sem Hudson no meio, o Cruzeiro perde na marcação. Melhor seria ter colocado Romero. Na zaga, Caicedo entrou e deu conta do recado. No ataque, Alisson não acrescentou em nada.

Sorteio
O Cruzeiro, agora, aguarda o sorteio para saber quem será seu adversário nas oitavas de final. Isso acontecerá amanhã, às 12h, na sede da CBF, no Rio de Janeiro. As equipes que disputam a Libertadores ficarão no Pote A e não poderão se enfrentar nessa fase. Poderão haver, assim, confrontos regionais.

UM DOS MELHORES GOLEIROS DA ATUALIDADE REBATE UM DOS MELHORES GOLEIROS DO PASSADO


PRINCÍPIO DA TRANSPARÊNCIA


DIRETRIZ AO TORCEDOR


POR: JOÃO VITOR VIANA

Hoje é dia de ir ao Mineirão, de lotar, de gritar, de empurrar. De torcida ser torcida e de Cruzeiro ser Cruzeiro. A gente tem cobrado muito uma postura do time, para jogar com garra, com afinco, com foco, com determinação, com técnica. Não precisa jogar bonito, mas precisa jogar um futebol que sustente aquilo que tem no papel. E esse papel, hoje, também cabe ao torcedor.

Do que estou falando? Da participação ativa da torcida, que sempre foi presente, que tem o recorde jamais igualado de 132.834 pessoas, que está acostumada a títulos e que, junta ao time, deixa o Maior de Minas ainda mais forte. Por isso mesmo, a presença maciça da torcida, hoje, no Mineirão, é fundamental. Ir para gritar, empurrar o time para cima do São Paulo. Não há nada garantido, ainda mais tendo do outro lado, um time de história, tão copeiro quanto nós. Por isso deve haver respeito da nossa parte. E o maior respeito que se pode dar a um time rival é fazendo aquilo que mais sabemos: torcer.

E torcedor, fica, aqui, um recado: não deixe de ir na última hora. Saia um pouco mais cedo do serviço, estacione seu veículo ou outro veículo. Tente chegar mais cedo para evitar confusão. Dia de decisão, a muvuca é grande e o torcedor é quem mais sofre com tudo isso. Até para não jogar a culpa toda na organização, que sempre é falha nesses momentos. Por isso, para acompanhar o Maior de Minas, do início ao fim, chegue com tranquilidade, consuma aquilo que está acostumado com toda a calma e torça com todo o fervor. O Cruzeiro precisa de você para passar por mais essa etapa! 

Vamos juntos, para que hoje o Cruzeiro saia de campo com essa classificação!

CRUZEIRO X SÃO PAULO

CRUZEIRO
Rafael; Mayke (Ezequiel), Leo, Manoel e Diogo Barbosa; Hudson, Ariel Cabral, Rafinha e Thiago Neves; Arrascaeta e Rafael Sobis
Técnico: Mano Menezes

SÃO PAULO
Renan Ribeiro; Wesley (Bruno), Maicon, Lucão e Junior Tavares; Rodrigo Caio, Jucilei e Cueva; Thomaz, Lucas Pratto e Luiz Araújo
Técnico: Rogério Ceni

Motivo: jogo de volta da quarta fase da Copa do Brasil
Estádio: Mineirão
Data: quarta-feira, 19 de abril de 2017
Horário: 19h30
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa/GO)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa/GO) e Bruno Raphael Pires (Fifa/GO)

terça-feira, 18 de abril de 2017

BASTIDORES: AMÉRICA 1 X 1 CRUZEIRO

video

Créditos: TV Cruzeiro

JOGO EM HORÁRIO DIFERENTE, MAS ANTES...


POR: JOÃO VITOR VIANA

Em reunião, ontem, na Federação Mineira de Futebol, Cruzeiro e América souberam que dia e que horas farão a partida de volta das semifinais do Campeonato Regional. O local, o Mineirão, já havia sido definido. No entanto, ainda faltavam decidir dia e horário. Havia a possibilidade de o jogo ser sábado, o que seria ruim para o Cruzeiro, já que teria um dia a menos de descanso em relação ao jogo contra o São Paulo, quarta-feira à noite. Foi decidido que a partida será domingo, às 18h, horário diferente do habitual.

Contudo, antes disso, pensamento total na Copa do Brasil. Ontem, os reservas foram a campo, com os titulares e aqueles que jogaram um pouco mais, fazendo trabalho regenerativo. Um treino hoje deve definir os jogadores que iniciarão a partida.

Em relação ao time que enfrentou o América, poucas devem ser as alterações. Talvez, no máximo, duas. A primeira, na lateral-direita. Mayke, que teve um rendimento muito abaixo diante do Coelho e ainda saiu com dores nas costas, deve ser substituído por Ezequiel, que ficou fora dos últimos compromissos por causa de um desgaste muscular. Durante o jogo, Mano Menezes até fez uma experiência em caso de ter que substituir Ezequiel em outra oportunidade. Testou Hudson no setor. Mas como perdeu o meio ao deslocar um volante marcador para a direita, Romero passa a ser, novamente, um reserva imediato no setor. Outra modificação pode ser a entrada de Henrique. Nesse caso, Hudson ou Ariel sairiam do time. Como Hudson vem jogando bem, mas fez falta ao meio quando foi para a lateral, criou-se uma dor de cabeça para o treinador.

Vencedor do primeiro confronto, o Cruzeiro pode até perder por um gol de diferença que segue na competição. Como o gol fora conta como fator de desempate, o São Paulo precisa fazer, ao menos, 2 a 0 para levar a decisão para os pênaltis. 3 a 1 é favorável ao time paulista. Lembra-se que o Cruzeiro está a 21 jogos invicto e isso será posto em jogo novamente na quarta-feira.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

NÃO É PARA TANTO ALARDE


POR: RAPOSO SENSATO

Empate no primeiro jogo.

Um bom resultado?

Digo que, pelas circunstâncias, foi.

Ficamos no lucro.

Não perdemos por incompetência do América somada à grande atuação de Rafael.

Mais uma vez, o nosso goleiro foi um diferencial.

Mostrou que é uma parede.

Li, nas redes sociais, torcedores crucificando-o.

Vamos parar com isso!

Para mim, se falhou, o que nem concordo, se redimiu com juros nas defesas que fez.

Muito alarde na rede social!

Não é para isso!

Temos um jogo importante na quarta e a torcida tem que parar com esse comportamento horrível.

Tentam achar pelo em ovo.

Tentam achar chifre em cabeça de cavalo.

Tem idiota que até lembra do Deivid no ano passado, dizendo que foi demitido em apenas um jogo.

Como se ele fosse reverter o placar.

Não ia.

O time não jogava, foi mal montado e não tinha esquema.

Esse ano é diferente, a começar por quem comanda.

Em 2017 temos técnico.

Por isso, menos, pessoal...

COLETIVA: MANO MENEZES

video

Créditos: Donos da Bola Br

MELHORES MOMENTOS: AMÉRICA 1 X 1 CRUZEIRO

video

Créditos: Top Game

domingo, 16 de abril de 2017

EMPATE NO HORTO



POR: JOÃO VITOR VIANA

As semifinais do Campeonato Mineiro foram iguais, ao menos, no resultado. Assim como o rival empatou mais cedo, por 1 a 1, contra a URT, no Mineirão, Cruzeiro e América também finalizaram o primeiro duelo no mesmo placar. Contudo, diferentemente do jogo das 11h, quando várias foram as oportunidades criadas, o jogo entre Raposa e Coelho foi bem mais minguado. O América teve mais oportunidades, quase surpreendeu no fim, mas parou nas boas defesas do goleiro Rafael, o melhor em campo.

O jogo

O primeiro tempo não foi muito bom. Diferentemente do que alguns repórteres viram e até postaram no Facebook e Twitter, vi um Cruzeiro bem diferente do que esteve em campo na quinta-feira, diante do São Paulo. Time que não finalizou, que não foi eficiente. O América foi mais objetivo. A Raposa não conseguiu focar e nem jogou para decidir. Ficou nessa de ter o regulamento debaixo do braço e isso foi um erro grande. Por mais que o Cruzeiro tenha chegado no início, deu espaço para o América, que cresceu no jogo e teve as melhores oportunidades. Rafael foi muito bem e responsável pelo zero não ter saído do placar.

A fim de mudar o cenário da primeira etapa, na volta do intervalo, o técnico Mano Menezes colocou Henrique em lugar de Mayke, um dos jogadores mais fracos do primeiro tempo. Nessa troca, Henrique voltou a ser capitão do Cruzeiro, tendo a faixa sendo, então, repassada por Manoel, que iniciou o jogo no posto.

Mas a modificação não surtiu efeito. Parecia que os jogadores não estavam se importando muito com a partida. Tanto que nos primeiros 15min da segunda etapa, nada aconteceu. A cabeça dos caras parecia estar no jogo de volta da Copa do Brasil. E tanto parecia, que o América, time limitado, mas que martelava= dentro do possível, abriu o marcador, com Messias, após cobrança de escanteio de Gerson Magrão.

O gol acordou o Cruzeiro, que minutos depois empatou, com Thiago Neves, escorando bela jogada de Diogo pela esquerda. O fogo que o jogo teve, acabou arrefecendo aos poucos, até se apagar, no apito do árbitro. Contudo, antes do final, o Coelho teve duas chances de marcar: uma com Blanco e outra com Mike, A última, do atacante americano, foi defendida de forma monumental por Rafael, que garantiu o empate e a vantagem do Cruzeiro para o próximo jogo. Mais do que isso, a invencibilidade no ano, que não foi abalada.

O jogo deste domingo serviu para o Cruzeiro ver que não pode achar que é melhor, que pode fazer o gol quando quer e que vai ganhar fácil de todo mundo. Precisa de humildade, focar na partida e esquecer outros compromissos. Se jogar como jogou diante do América ante o São Paulo, vai passar maus bocados. Vamos, Cruzeiro! Saia da zona de conforto! Empate com certo sabor de vitória. Futebol mesmo, ficou em São Paulo.


VÍDEO: RECORDAR É VIVER (2013) - AMÉRICA 1 X 4 CRUZEIRO


video


INCÓGNITA NA ESCALAÇÃO


POR: JOÃO VITOR VIANA

Quem entra em campo hoje? Só sabe-se que haverá um América x Cruzeiro, às 16h, no Independência. Quem entra em campo, no entanto, é um mistério. Pode e deve haver mudança na escalação do Cruzeiro que venceu o São Paulo, na última quinta-feira, dia 13. Após a partida pela Copa do Brasil e em seguida, o técnico Mano Menezes deixou claro que alguns aspectos decidem escalações. E diante do pouco tempo de recuperação e atletas que estão se recuperando de grande inatividade, a torcida celeste poderá ver uma equipe com até três alterações diante do Coelho.

Rafael está mantido no gol. Ezequiel, ainda recuperando-se de desgaste muscular, ficou de fora da lista de convocados. Assim, Mayke será mantido no time. Na zaga uma dúvida: embora Leo e Manoel tenham formado a dupla titular, Caicedo pode aparecer entre os 11. Na lateral-esquerda, Diogo Barbosa não deverá ser poupado. A dupla de volantes tende a iniciar com Hudson e Ariel, que vinham jogando na ausência de Henrique. O capitão, no entanto, está relacionado pela primeira vez após um mês de fora. Mas as chances de Henrique começar são menores. Contudo, deve entrar no decorrer da partida para saber se aguenta a partida de quarta-feira. Não está descartada, ainda, que seja preservado. Na armação, Thiago Neves, Rafinha e Arrascaeta devem formar o trio. No ataque, Rafael Sóbis deve retornar. Ele foi poupado no último jogo por desgaste, mas já treinou e está bem fisicamente. Assim, Ábila deve voltar ao banco. Mas tudo isso é puro chutômetro. A escalação só será liberada uma hora antes da partida.Ou seja, a escalação é uma incógnita.

Páscoa

A torcida do Cruzeiro, nas redes sociais, dizem que apesar de ser Páscoa, o Cruzeiro não pode deixar o Coelho se dar bem e que deve dar o chocolate. Não sei se é para tanto, mas uma vitória garante um importante passo para a final da competição. Que o Cruzeiro entre em campo com sangue nos olhos, com inteligência, sabendo o que deve fazer e que proponha o jogo. O Cruzeiro tem uma capacidade ímpar. Tem um elenco melhor e deve mostrar que é superior em campo. Como o próprio Mano diz, o Cruzeiro mostra respeito quando entrega-se ao máximo nas partidas e faz o seu melhor. E a torcida espera que isso seja feito hoje, às 16h. A torcida, aliás, pouco motivou-se. Como postado em nossa página, ontem, no Facebook. menos de mil cruzeirenses adquiriam ingressos até o fechamento de ontem. Os ingressos caros, a transmissão aberta, o jogo importante na quarta e a questão do mês estar além da metade são fatores que influenciaram. Ademais, como é feriado prolongado, muita gente viajou e vai ver a partida de longe.

FICHA DO JOGO

AMÉRICA
João Ricardo; Auro , Messias, Rafael Lima e Ernandes; Gustavo Blanco, Juninho, Christian (Gérson Magrão) e Renan Oliveira; Mike e Hugo Almeida. Técnico: Enderson Moreira.

CRUZEIRO
Rafael; Mayke, Leo, Manoel e Diogo Barbosa; Hudson e Ariel Cabral; Thiago Neves, Arrascaeta e Rafinha (Alisson); Ramón Ábila. Técnico: Mano Menezes.

Motivo: jogo de ida das semifinais do Campeonato Mineiro
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data e horário: 16 de abril de 2017 (domingo), às 16h
Árbitro: Igor Júnio Benevenuto (MG)
Assistentes: Pedro Araújo Dias Cotta (MG) e Ricardo Júnio de Souza (MG)

TREINOU E FOI RELACIONADO: HENRIQUE, O CAPITÃO


Foi liberado pelo Departamento Médico e já foi relacionado para a partida. O capitão voltou!

Veja a lista dos 23 jogadores relacionados para o jogo:

Goleiros: Rafael, Fábio e Lucas França
Laterais: Bryan, Diogo Barbosa e Mayke
Zagueiros: Dedé, Kunty Caicedo, Léo e Manoel
Volantes: Ariel Cabral, Henrique, Hudson, Lucas Silva e Lucas Romero
Meias: Alisson, Arrascaeta, Elber, Rafinha e Thiago Neves
Atacantes: Rafael Sobis, Ramón Ábila e Raniel

sábado, 15 de abril de 2017

HORA DA VINGANÇA


POR: JOÃO VITOR VIANA

Vingança não é a palavra que gosto de usar em nenhum dos sentidos. Contudo, levando para as quatro linhas, para o jogo, para o futebol, não há como não fugir dela. Principalmente porque um ano atrás, esse mesmo time, o América eliminava o Cruzeiro do Campeonato Mineiro que, aliás, acabou sagrando-se campeão.

Ano passado, no entanto, entramos em campo com todos os "desconfiômetros" ligados. Em nenhum momento até então, o Cruzeiro havia convencido. Mesmo sendo líder na primeira fase, os números não traduziam o que o time realmente era ou tinha capacidade para ser. Dessa vez, porém, o Cruzeiro chega forte, vindo de uma vitória importante contra um dos maiores time do Brasil, o São Paulo, fora de casa.

E para por os devidos "pingos nos ís", Mano Menezes alerta que o Cruzeiro tem que entrar em campo focado, principalmente levando-se em conta o confronto do ano passado: "Não podemos deixar o América nos surpreender", disse. O treinador, em princípio, conta com a volta de Rafael Sóbis, que ficou de fora contra o São Paulo. Assim, Ábila retornaria ao banco. E hora de vencer, de continuar convencendo e de vingar o ano passado. Esse ano não só temos time como também temos técnico. Para cima do Coelho, Cruzeiro! Na Páscoa, quem tem que ditar as regras é a Raposa!

VIDEO: BASTIDORES DE SÃO PAULO X CRUZEIRO

video

Créditos: TV Cruzeiro

sexta-feira, 14 de abril de 2017

IMPRENSA LAMENTANDO A NÃO IDA DE MANO AO SÃO PAULO


POR: RAPOSO SENSATO

Gosto de ver o pós-jogo.

Principalmente quando a imprensa paulista ou carioca ficam lamentando.

Depois da vitória do Cruzeiro ante o São Paulo... mais lamentação.

A Fox Sports parecia o Muro das Lamentações.

Um comentarista disse que "por pouco Mano não foi para o São Paulo em 2016".

Outro ainda disse que para tê-lo, o Cruzeiro agiu rápido, demitindo Paulo Bento e fazendo a oferta.

Outro completou: "Se o Cruzeiro tivesse demorado, o São Paulo tinha levado".

Mas, pessoal, o Mano é nosso!

Mano Menezes, hoje, depois de Tite, é o melhor técnico do Brasil.

Torcedor, pare de chatisse!

Para de compará-lo a Deivid, a Paulo Bento!

Para de querer Marcelo Franga de volta!

A imprensa paulista não vê a hora do nosso treinador sair e assumir um time de lá.

Querem derrubar o Dorival, no Santos.

Questionam Rogério Ceni.

Metem o pau no Eduardo Baptista.

Pressionam o Carile.

Caras, a gente tem o Mano.

E Mano é a cara do Cruzeiro.

Mano é vencedor e aqui vai conquistar muito ainda.


E AGORA, JOSÉ?

POR: MARCÃO ANTI-FRANGA

Eu sou cruzeirense, eu apoio esse time e repudio esse pessoal que fica querendo a perfeição do time em todos os sentidos. Quer que o Cruzeiro entre em campo, dê show, goleie, humilhe e ganhe tudo. Sabemos que o futebol não é assim, que não é ciência exata. Ainda assim, tem cara chato enchendo o raio do saco falando para por fulano, cicrano, zicrano e que Mano é isso ou aquilo. Chega!

Falavam que o Cruzeiro não tinha enfrentado ninguém no ano. Pegou o rival duas vezes, venceu as duas. Pegou o São Paulo, no Morumbi, e mandou um 2 a 0, dando show tático no time da casa. Ainda assim vai ter gente se queixando nas redes sociais. Aliás, quando o jogo estava 0 a 0, no intervalo, verifiquei alguns comentários. Um falando que Ariel e Hudson não davam certo. Outro metendo o pau no Thiago Neves. E como são as coisas: os três foram monstros no segundo tempo. TN30 deu dois passes para gol, Hudson fez um dos gols e Ariel jogou muito. Como tirar os caras que estão jogando e decidindo? Vamos parar de criticar, torcedor? Já diria o poeta: e agora, José?

Eu respondo: agora a torcida para de ser enjoada e passa a ir com o time. Somos mais fortes quando torcida e time andam juntos. Ontem, demos um importante passo rumo à próxima fase. E precisar-se-á da torcida demais na partida de volta, na semana que vem. Nosso time é bom, nosso treinador é bom, nosso time tem potencial. Nossos números não são à toa. Torcida, acredite no time! Jogue junto! Seja torcida, assim como o Cruzeiro, ontem, foi Cruzeiro. 

quinta-feira, 13 de abril de 2017

SIMPLESMENTE IMPECÁVEL


POR: JOÃO VITOR VIANA

A torcida, antes do jogo, questionava o time do Cruzeiro, seus atletas, seu treinador. Após o jogo diante do São Paulo, quando o Maior de Minas venceu, no Morumbi, por 2 a 0, o que dizer? Reclamar? Certamente que não. Elogiar? Sim. O Cruzeiro foi impecável. Foi inteligente - o que pedimos no nosso post mais cedo - e soube jogar a partida. Bem postada, impetrou uma defesa sólida, dominou o ataque do time da casa e aproveitou as oportunidades que teve. Se caprichasse, poderia ter vencido por mais. Contudo, após os 30min do segundo tempo, o time passou a recuar, chamou o São Paulo para o seu campo e a defesa acabou tendo que atuar ainda mais.

Primeiro tempo de pouco futebol. Domínio do jogo por parte do São Paulo, mas nada que traduzisse lances naquilo que pudesse assustar. Rafael fez uma defesa muito boa, mas que não foi de chute, mas de uma disputa de bola. Na segunda etapa, o Cruzeiro voltou mais ligado e Thiago Neves, que pouco apareceu no primeiro tempo, acabou sendo decisivo: os dois gols, primeiro de Lucas Pratto, contra; e o segundo, de Hudson, partiram de cobranças de falta batida por ele. 

Elogios a Mano Menezes, que leu bem o jogo, soube motivar os jogadores e fez com que o time entrasse em campo como Cruzeiro. Nada de mimimi nas redes sociais. Até porque é hora de elogiar a postura tática, um posicionamento que inviabilizou os ataques são-paulinos, anulou Nem, Prato e cia., e soube esperar sua chance. No segundo tempo, manteve sua postura, marcando em pressão, mas adiantou ainda mais essa linha, o que dificultou ainda mais para os donos da casa. O Cruzeiro não teve posse de bola, não fez mais cruzamentos na área, mas deu chutão quando era preciso e marcou quando teve chance. Foi eficiente, objetivo e inteligente. Parabéns ao Cruzeiro!

Números

Vigésima partida do time no ano e, mais uma vez, saiu de campo com um resultado positivo. Único time invicto entre aqueles que disputam a Série A. Hora da torcida parar de procurar chifre em cabeça de cavalo e passar a elogiar os jogadores que tanto pega no pé. Diante do São Paulo, Hudson, Ariel e Diogo Barbosa foram impecáveis. Rafael foi seguro e Mano soube a hora certa de modificar o time e esfriar o jogo. Vamos juntos!

SEM RECEITA PARA VENCER


POR: JOÃO VITOR VIANA

No futebol não há uma fórmula para vencer. E outra: cada jogo é um jogo. Não importa se o time vem de uma série ruim e o adversário está bem; se você está invicto (caso do Cruzeiro) e pega um time que está se acertando (caso do São Paulo); se os dois times estão mal. O que importa é o jogo, ali, no dia. 

Assim, não há receita para vencer. Logicamente, há certas posturas que podem levar o time a vencer ou a perder. Por exemplo, como foi retratado aqui ontem, se um time fica só atrás, dificilmente vence. Talvez, sequer empata. Concordo plenamente com o amigo colunista desse blog: time que joga para empatar, perde. Jogar de forma covarde, na defesa, não é a melhor saída, principalmente diante de uma equipe tradicional, de torcida grande e que incentiva sempre, como é o caso do nosso rival desta noite. Com todo o respeito ao São Paulo, o Cruzeiro tem que entrar em campo para vencer, para se impor, jogando de forma inteligente e aproveitando as oportunidades criadas.

Sem Rafael Sóbis, vetado, Ábila deve ser o escolhido. Mano não confirma, diz que apenas uma hora antes do jogo vai soltar a escalação. Mas não deve fugir do pragmatismo na escalação. Não teremos surpresas. Não é a cara do Mano surpreender nesse sentido. Já no quesito inflamação, motivação, a torcida espera que ele faça um grande trabalho, como faz no dia a dia dos treinamentos. Hoje é a primeira decisão do ano e uma passagem curta, que nos leva à Libertadores, se vencermos a competição. Assim, se quisermos jogar a Liberta no ano que vem, temos que encarar esse jogo como uma final e trazer um resultado importante para Belo Horizonte.

SÃO PAULO X CRUZEIRO

SÃO PAULO
Renan Ribeiro; Buffarini, Maicon, Rodrigo Caio (Lucão) e Junior Tavares; Jucilei, Thiago Mendes e Cícero; Wellington Nem, Luiz Araújo e Lucas Pratto
Técnico: Rogério Ceni

CRUZEIRO
Rafael; Ezequiel (Mayke), Leo, Manoel e Diogo Barbosa; Hudson, Ariel Cabral, Thiago Neves e Rafinha (Alisson); Arrascaeta e Ramón Ábila
Técnico: Mano Menezes

Motivo: jogo de ida da quarta fase da Copa do Brasil
Estádio: Morumbi, em São Paulo
Data: quinta-feira, 13 de abril de 2017
Horário: 21h30
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa-RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves e Leirson Peng Martins (ambos do RS)