sexta-feira, 3 de novembro de 2017

VAMOS SAIR DO POLITICAMENTE CORRETO, JOGADORES?

As entrevistas coletivas, ao menos no Cruzeiro, parecem que acabam virando palco para pseudojornalistas nervosinhos ficarem fazendo perguntas idiotas aos jogadores. E, infelizmente, vários não se assemelham ao Rafael Sóbis, esse sim, um exemplo de bom entrevistado.

A maioria fica no politicamente correto e isso, às vezes, irrita. A entrevista coletiva de Lucas Silva, esses dias, ilustra bem isso que digo. Um debilóide (com todo o respeito aos deficientes mentais), perguntou ao Lucas se ele continuava pescando e porque não parava de jogar, já que conquistou muita coisa no futebol. Custei a acreditar nisso. De onde esse idiota tirou essa pergunta? Talvez porque o time dele esteja ainda com risco de rebaixamento ou porque a esposa dormiu de calça jeans. No lugar de Lucas, eu teria perguntado ao repórter o porquê de ele estar ali trabalhando, já que há tantos outros, melhores, que poderiam estar fazendo um trabalho melhor. Nessas horas, ser politicamente correto é ruim.

Logicamente deve haver um respeito entre entrevistado e entrevistador. Mas alguns jornalistas cadastrados para estar ali, no Cruzeiro, são torcedores de outros times e deixam isso bem claro quando fazem as perguntas. Alguns, como esse imbecil, tenta tumultuar e jogador, às vezes, não percebe ou, constrangido, tenta responder sem ser ofensivo. Lucas, você perdeu uma boa oportunidade de por esse energúmeno em seu lugar.

Em Minas Gerais, assim como no Brasil, a imprensa se deteriora por si só. E é uma pena. Eu tenho orgulho de ter esse diploma. Contudo, alguns jornalistas colocam toda uma classe na merda fazendo um trabalho porco, de péssima qualidade.

Não sou a favor de cerceamento de imprensa, mas a diretoria de comunicação atual bem que podia acionar o veículo que os "cretinos de plantão" estão lotados e questionaram o posicionamento deles ou saber qual a pauta do dia. 

Gostaria, muito, que os jogadores dessem respostas no mesmo nível das perguntas. Seria sensacional.

Por: João Vitor Viana

3 comentários:

P. disse...

A blusa 3 do Cruzeiro TA LINDA!!!

Revétria disse...


Rindo muito do comentário... "A blusa 3 do Cruzeiro TÁ LINDA!"
Pois muito bem ... Yustrich, não existe mais,Adilson Batista não tem oportunidades de trabalho e o voltante Fabrício parou de jogar.Então,me diga como sair do politicamente correto com essa geração "nutella"? Geração mi mi mi da desgraça. EM MG, onde reina a gaylopress,qualquer inverdade divulgada vira verdade incontestável. Futebol meu caro é nojento, é uma pena que eu tenha contraído esse vício desgraçado e não consigo largar. Quantos"jornalistas" do mundo do esporte passaram por uma faculdade e tem diploma registrado? Lembram da educação à distância, do INSTITUTO UNIVERSAL BRASILEIRO,quem tem mais de 18 anos (gargalhando aqui) deve lembrar.Não curto jornalismo e jamais queria sê-lo, mas vejo que tem muitos dinossauros que aproveitaram o momento e fizeram jornalismo à distância...E eu fui ficando para trás... Deveria ter feito o meu curso de medicina à distância...Vocês teriam coragem de ser meu paciente? srsrsrs... Hoje temo a geração nutella,os "pau mandados" de editores e chefes de redação,que não tem autonomia de expôr a sua visão de algum acontecimento,de dar a sua opinião. Os politicamente corretos,não saem nunca de cima do muro, e o resultado é uma geração de bosta,superficial,não é contra nada, e quando você fala alguma coisa é taxado de preconceituoso e os cambal. Os valores morais cada vez mais em declínio e os "Nero" da nossa época tocando a sua harpa e seguindo em frente...!

Juvenal Mendes disse...

A nova camisa ta show de bola mesmo P.