quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

PRONUNCIAMENTO CONFUSO DEIXA CLARO O INCÔMODO DA DIRETORIA

POR: JOÃO VITOR VIANA

Ontem, o supervisor do Cruzeiro, Benecy Queiroz, fez um pronunciamento à imprensa para esclarecer a infeliz declaração que deu a um programa de televisão a respeito de compra de arbitragem. Nitidamente constrangido, o dirigente falou sem permitir perguntas. Fez apenas o seu pronunciamento, negando tudo o que havia dito, dizendo que "tudo não passou de uma brincadeira".

A questão é que ficou a imagem que o dirigente estava ali por pressão da cúpula celeste, manifestamente incomodada com a repercussão que tomaram as palavras de Benecy. Nas redes sociais, boa parte da torcida do Cruzeiro achou inadmissível o que fora falado, exigindo a demissão por justa causa do funcionário, opinião que este blog também tem.

Depois do pronunciamento de Benecy (que leu, e mal, um pedaço de papel), que tentou desmentir tudo, a história ganhou ainda mais um tom de verdade. Não só passou a ideia que ele estava obedecendo orientações internas, que era para desmentir tudo, como, pela forma que falou, claramente mostrou ter "cagado", por entender que aquilo não teria a repercussão que teve. Foi um depoimento patético, que acha que torcedor, imprensa e autoridades são bobas e de memória curta. Que se investigue e se puna, se for, de fato, verdade!

O Cruzeiro é muito grande e não precisa de árbitro para ganhar nada. Aliás, não é grande, é gigante. A gente não precisa apagar luz de estádio para não ser eliminado de forma vexatória. Assim como não precisamos ser amadores e ridículos para comprar árbitro. Dizer que foi entrevista descontraída? Não foi. Até porque deixou transparecer, no próprio depoimento de ontem, que a "mala branca" é normal, pois "os clubes pequenos precisam de dinheiro". E, quem viu o pronunciamento, observou a cara de "poucos amigos" de Guilherme Mendes ao final, quando recebeu o papel lido por Benecy. O pronunciamento, afirmo, mais pareceu, aí sim, um causo criado. Infeliz entrevista, infeliz pronunciamento e o que mais me espanta: a pressão dele aumentou de uma hora para outra. Antes disso estava tudo ótimo. Estranho, né? Para mim, quem recomendou o afastamento dele não foi médico algum, mas o próprio presidente Gilvan. 

Um dirigente tem que ter o discernimento para saber que uma palavra sua, hoje em dia, principalmente levando o nome do clube em que trabalha, tem proporções inimagináveis, principalmente por causa da Internet. E por mais que o programa não tenha muita audiência, basta que um veja e propague a notícia. E aí vira o "boom" que virou.

A diretoria do Cruzeiro, por meio do presidente Gilvan, deverá se pronunciar em breve, segundo informou o vice-presidente de futebol, Bruno Vicintin. Como foi informado aqui nesse BLOG SITE, que sempre prima pela informação correta e analisa a notícia com opinião de torcedores, Bruno se esquivou. Mas informações dão conta que o presidente Gilvan ficou muito irritado com o que disse Gilvan, cogitando, de imediato, afastá-lo de suas funções. Em pronunciamento à imprensa, disse que diminuiria o ritmo, por questões médicas. Se é ou não verdade, não sabemos. Mas que ele foi informado que deveria esperar a poeira abaixar para voltar à ativa... isso foi.

A demissão do funcionário não chegou a ser cogitada, segundo informações. Isso porque foi levado em conta toda a história que ele tem no Cruzeiro, em mais de 40 anos de função no clube. Se fosse novato, como era Isaías Tinoco, fatalmente teria sido convidado a se retirar.

Eu penso que a imagem do clube ficou manchada por essa declaração infeliz. Todo o esforço que o Cruzeiro faz, há décadas, pois é, sim, prejudicado pela arbitragem, passa a ser questionado e ganha um tom até jocoso. Benecy Queiroz, querendo ou não, queimou a imagem do Cruzeiro diante da torcida, da imprensa e dos rivais de Série A. Se presidente fosse, não levaria em conta os anos de trabalho desse senhor. Ao contrário, mostraria para todos que ninguém ali está para brincadeira e que corrupção é coisa séria. 

A diretoria ficou incomodada. E a torcida também. E continuamos querendo ouvir o que vai falar o senhor Gilvan de Pinho Tavares, que sempre se mostrou íntegro e honesto. Manter pessoas que não colaboram com a boa imagem do clube é um erro crasso. Ano passado a torcida exigiu a saída do Tinoco, profissional de péssima qualidade por sinal. E agora pede a saída de outro. Que a torcida ganhe, novamente, a queda de braço. Porque ficou muito incômoda a situação que esse senhor deixou todos nós.

10 comentários:

Loki disse...

Fora Beneci, fora Cunha.

Rafael Mendes disse...

Eu acho que este episódio está tendo uma repercussão muito maior que precisava.

O cara foi muito infeliz na entrevista, sem dúvida, mas foi um descuido totalmente despretensioso. Ele nunca imaginava que faria tanto barulho.
Acho que ele já teve o que merecia e que a história com o Cruzeiro tem sim que ser levada em conta.

Eu vejo Paulo Schimit falando que vai abrir inquérito contra ele... a maior hipocrisia do mundo.

Sinto pelo do Benecy, porque tenho certeza que ele tem sangue azul e não teve, em nenhum momento, a intenção de prejudicar o Cruzeiro.

Jaeder Natal Ribeiro disse...

A Diretoria não está sabendo lidar com o problema. Foi um grande erro mandar o Benecy dar explicações. Ficou pior a emenda do que o soneto. Merda quanto mais mexe mais fede. Deveriam apenas demiti-lo e publicar uma pequena nota na imprensa para que o caso caísse no esquecimento.

Jaeder Natal Ribeiro disse...

A Diretoria não está sabendo lidar com o problema. Foi um grande erro mandar o Benecy dar explicações. Ficou pior a emenda do que o soneto. Merda quanto mais mexe mais fede. Deveriam apenas demiti-lo e publicar uma pequena nota na imprensa para que o caso caísse no esquecimento.

Marvictei disse...

Discordo da analise que diz que a fala do Benecy ontem mostra o incomodo da diretoria, para mim, mostra que a diretoria acredita mesmo ser maior que o clube pois tentaram poupar um membro do conselho, um membro dela, em detrimento da historia do Cruzeiro, quiseram por panos quentes. Se houvesse algum incomodo Benecy teria sido demitido na segunda feira e um processo seria aberto contra ele na quarta.

Benecy será lembrado, para sempre, como o dirigente que confessou ter comprado um juiz de futebol e o Cruzeiro como o clube em que um de seus mais antigos funcionários confessou que comprou um juiz para ganhar um jogo e terá TODOS os seus títulos maculados com esta alegação.

Quanto mais tempo levar para ele ser demitido e processado pelo clube mais feia será a situação e se ele for banido do futebol enquanto funcionário do clube a macula será ainda mais vergonhosa.

Rafael Mendes disse...

Esse texto seu é pra mim a definição perfeita de drama.

Carlos Nogueira disse...

Benecy foi "convidado" a sair de licença médica. Vai anunciar sua aposentadoria nos próximos dias, para sair de forma honrosa, mas na verdade está sendo demitido. Até pelos serviços prestados nesses 45 anos de Cruzeiro, foi a alternativa encontrada pelo clube para afasta lo, sem ficar mal com ele e com a torcida. Não será demitido por justa causa, mas TB não permanecerá no clube. Para mim, está de bom tamanho.

Carlos Nogueira disse...

Eu não queria mais estrangeiros, mas é importante ouvir a proposta dos investidores. Jogador viria sem custos e clube receberia percentual de vitrine para manter o jogador como titular, situação que valorizados atleta que interessa a 3 clubes da Itália, um de Portugal e dois da Espanha. Não me lembro desse moço, mas deve ser bom jogador, para despertar o interesse de tantos clubes do velho mundo...

Aislam Cezar disse...

Isso deve ser o calleri, vi um comentario do lelio em q ele estava exigindo isso

tadjo disse...

De maneira NENHUMA que TODOS os títulos que o Cruzeiro conquistou BRILHANTEMENTE ao longo de sua história,sejam maculados!Nem pense nisso!!Eu acompanhei quase todos,de 1976 até os dias de hoje,e posso assegurar-lhe que TODOS foram ganhos na mais perfeita lisura,de forma incontestável,inclusive,pulverizando e estabelecendo recordes,alguns dos quais, que permanecem até hoje!!