quinta-feira, 25 de setembro de 2014

PRIMEIRO TESTE: CRUZEIRO APROVADO

POR: JOÃO VITOR VIANA

O Cruzeiro passou no primeiro teste de fogo. Primeiro porque era um jogo crucial, que marcava a disputa do líder contra uma equipe que já havia derrotado o vice-líder. Além do mais, o Tricolor Paulista jogaria em casa e um tropeço do Cruzeiro com vitória paulista poderia voltar a inflar os pulmões dos oportunistas de plantão, os chamados comentaristas.

A classe, aliás, deve ter ficado bastante decepcionada com o que aconteceu ontem. Afinal, os principais times paulistas tropeçaram e viram, agora, outro time de fora do "eixo" assumir a vice-liderança: o Internacional. Os amadores comentaristas, bairristas, devem estar se rasgando com a unha de raiva. Talvez no tapetão, ou com a ajuda do STJD, eles consigam com que o Cruzeiro perca algum mando de campo. Mas agora já são nove pontos de diferença, tendendo a aumentar em algumas rodadas.

Vencer o Coxa foi primoroso, um espetáculo. Pode não ter dado show, mas vencer lá sempre foi difícil. Já presenciei, no Couto Pereira, uma derrota enigmática por 4 a 0. Ano passado fomos derrotados lá. Em 2003, vencemos num jogo de sete gols. Vencer e ainda ter nossos principais rivais levando tinta foi simplesmente sensacional.

O próximo jogo complicado será o Sport, que tem sido uma "mãe" quando deixa Pernambuco, mas complicadíssimo quando atua em casa. Não é a toa que ainda busca o G-4. Mais um jogo complicado, mas que podemos acreditar em ponto. Ou melhor: pontos. Com um time equilibrado e fazendo o básico, sem inventar e caprichando nas horas que a chance aparecer, somos quase imbatíveis. 

O pensamento, agora, é chegar aos 55 pontos.

2 comentários:

cleiton Gama disse...

O Cruzeiro não deu show mas jogos fora de casa o importante é vencer.Agora 3 coisas que me chamaram atenção:1ºEverton Ribeiro parecia que não queria jogar contra seu ex clube,2ºCeara não acertou um cruzamento(Fora isso jogou bem),3ºMarquinhos não acertou nada só fez correr.

¶Azul•H(«MG»)¶® disse...

E ainda criticam o Júlio Batista! Raça e força de vontade não faltam ao La Bestia negra,todavia, é sempre alvo de críticas por parte dos pseudo entendidos. Dagoberto é uma boa para a vaga do William,Marquinhos pode esperar. Marlone também,já passou da hora de ser utilizado na segunda etapa,Goulart,6.35 está exausto!