terça-feira, 9 de junho de 2015

HORA DO "HAT-TRICK"

POR: MARCÃO ANTI-GALO

Chegou a hora do Cruzeiro emendar mais uma vitória, a terceira seguida. Seria uma espécie de "hat-trick", expressão usada no exterior para definir três gols de um mesmo jogador na partida. Nesse caso, três vitórias seguidas de um time numa competição.

O Cruzeiro tem tudo para ganhar do Vasco. Têm as baixas de Gabriel Xavier e Alisson, vetados por lesão. Alisson, aliás, que drama, hein? Cinco lesões em oito meses. Esses médicos do Cruzeiro ou estão comendo mosca ou é um caso a ser estudado. Não é possível alguém machucar tanto. Seria Alisson a "versão Guilherme" do Cruzeiro? Gabriel também vem se mostrando propenso a lesões. Talvez valha a pena a comissão técnica atual, especificamente a preparação física e o departamento de fisiologia ficarem bem perto desses dois a fim de evitar mais complicações no futuro.

No mais, o restante do time deverá ser o mesmo. Diante do nosso rival já vimos uma postura melhor. Bruno Rodrigo errou bem menos, a marcação foi bem feita no meio. Há a possibilidade da volta do volante Henrique. No caso, Charles voltaria ao banco. Na armação está o "x" da questão. Quem vai armar? Marquinhos? Espero que não. Willian? Sozinho não consegue nada. Mais um problemão para o Luxa resolver.

Mas isso não deve ser problema. Até porque, em entrevistas recentes, os jogadores disseram que o ambiente se transformou no Cruzeiro. Claramente dizendo que com Marcelo as coisas não eram como agora. Pará e Willian disseram que com Luxa a chama reacendeu. Não é para menos. Afinal, com aquele jeito moroso, de foca dorminhoca, ninguém realmente poderia se motivar. Luxa chegou chutando a porta e cobrando disposição. Quem não mostrar vai sair do time. 

Bom, pensemos já no Vasco, como já está fazendo, desde ontem, o "novo Cruzeiro". Que esse time volte a mostrar gana! Sabemos que falta qualidade técnica, mas Luxemburgo, junto com a diretoria, já está agindo nos bastidores em busca de reforços. Segundo fontes serão três ou quatro nomes para chegar e mudar a realidade combalida do meio-campo. Esperemos.

2 comentários:

Carlos Guilherme Viana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
gouveamafra disse...

Não seria o caso de, na falta de um armador, mudar um pouco o sistema? Vanderley já fez isso aqui mesmo no Cruzeiro. Três volantes, contando que um deles não seja o W.Farias ou três zagueiros. Com isso os laterais, que têm uma vocação mais agressiva, ficariam com uma liberdade maior para o apoio, e o meio de campo ficaria melhor destribuido em campo, ocupando os espaços que, em jogos passados, se mostraram gritantes.