quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

COM QUE TIME, EU VOU...


O Cruzeiro tem seus 11 definidos. Ao menos, temporariamente. Na cabeça de Mano Menezes, o time parte de uma base do ano passado, que está entrosada e se conhece muito bem. Com a chegada de alguns reforços, aos poucos eles tendem a ser inseridos no grupo, no time. Mas tudo sem pressa. Afinal, Mano pretende que todos estejam no mesmo nível físico e técnico para que, dentro de dois a três meses, todos os testes tenham sido feitos e os titulares, finalmente, tenham sido definidos.

Mano vai dar chance a todos. Logicamente, alguns terão menos oportunidades, casos, por exemplo, dos goleiros Lucas França e Lucão, que talvez nem entrem em campo, uma vez que Fábio estará apto a retornar aos gramados dentro de 20 a 30 dias, pelas previsões médicas. Outro que também deve ser pouco utilizado é Edimar, já que a concorrência na lateral-esquerda é alta e, hoje, a briga pela vaga de reserva está entre Bryan e Fabrício. Outros, pela concorrência com jogadores mais "rodados" e experientes, também podem esperar mais tempo para jogarem: Alex e Raniel. Lucas Romero, hoje reserva, terá que brigar muito por "um lugar ao sol". Hoje ele está atrás de Henrique e Ariel. Além disso, Lucas Silva chegou recentemente e vai dar "uma boa dor de cabeça ao Mano". Hudson também não quer ficar de fora dessa disputa.

E que time vai a campo nos próximos jogos? Mano tem um planejamento, feito desde dezembro, juntamente com toda a comissão técnica. O treinador quer ser justo e dar oportunidade ao máximo de jogadores possível. Além de permitir que cada um se destaque e mostre o seu valor, como consequência, ele dá ritmo aos atletas, o que, no futuro, será primordial para a utilização de todo o elenco.

O próximo desafio do Cruzeiro é diante da Chapecoense, no Mineirão. Como noticiado, na noite desta terça-feira, na nossa página no Facebook, a Chape vai vir com reservas, uma vez que o calendário montado pela federação catarinense "embolou o meio-de-campo e marcou para hoje uma partida diante do Avaí. O técnico Vagner Mancini, então, como não houve adiamento de uma das partidas, vai mandar uma equipe "b" para jogar amanhã, diante do Cruzeiro. A tendência, então, é que seja uma partida com cara de jogo-treino, como foi diante do Tricordiano e como será diante outras equipes no Campeonato Mineiro. Jogo às 19h30, com ingresso a R$ 40,00 o de menor valor... É, o Mineirão estará novamente às moscas. E diante de um público baixo, Mano deverá escalar o que tem de melhor, já visando um entrosamento maior e o jogo de quarta-feira, contra o Volta Redonda, no Rio de Janeiro. Isso implica em dizer que, em tese, a equipe que jogará no sábado, diante do Tupi, em Juiz de Fora - até prevendo que não haverá um intervalo mínimo de 66 horas entre uma partida e outra - será formado por uma equipe alternativa.

Notas da Toca!

"Não pedi, mas vou usar"
Mano, em entrevista ao canal Fox Sports, disse que não solicitou a contratação de Lucas Silva. Contudo, gostou da contratação. "A gente achava que já tinha os jogadores ideais para a posição. Não pedi outro volante. Mas é a história da oportunidade de mercado e por isso não podemos inchar, de cara, um grupo no início de temporada. Houve, depois, a possibilidade do Lucas vir, ele chegou, fez os exames e está à nossa disposição. Será uma peça muito importante nesse grupo", disse.

60% já utilizado
Mano, em sua estratégia de utilizar o maior número de jogadores nesse início de ano, já usou 60% do elenco celeste. E a tendência é que esse número aumente, principalmente pela sequência de jogos que o Cruzeiro terá nesse início de temporada. Só em fevereiro serão oito jogos.

Quem dá mais?
Se o Cruzeiro ainda estivesse esperando, estaria com a bunda doendo de tanto ficar sentado. Isso porque Marcelo Moreno, diferentemente do que chegou a ser veiculado em algumas mídias, ainda não definiu seu destino para as próximas temporadas. Não bastasse ele sequer dar uma resposta ao Cruzeiro, ao menos justificando que no momento preferia ouvir ofertas mais vantajosas financeiramente, o jogador tem se posto em leilão. Recentemente recusou uma oferta de R$ 1,6 milhão mensal de um clube da Segunda Divisão daquele país. Pelo visto, ele quer mais. E frise-se: recusou um valor três vezes maior oferecido pelo Cruzeiro. Realmente, a chance de ele voltar ao Brasil, em especial ao clube que ele diz amar, nunca esteve próxima.

Vai voltar, mas não agora!
Everton Ribeiro está se destacando bastante no Oriente Médio. Por lá, andou dizendo que vai voltar ao Brasil, porém, não por agora. Afinal, Everton, o dinheiro que se paga aí é alto, certo? Faz bem em fazer a independência financeira. O povo do Oriente Médio e da China estão torrando o dinheiro. E por que não aproveitar? Quando quiser, o Cruzeiro está à disposição, certo torcedor?

3 comentários:

welington vieira goulart Goulart disse...

Temos 2 times fortes

Thiago disse...

Eu acho que o Diogo Barbosa não deveria ser poupado dois jogos seguidos ele também precisa de ritmo e é mais jogador que Bryan.

Revétria disse...

Dar ritmo de jogo ao zagueiro Caicedo!