terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

E O MARKETING?

Há tempos questionamos o funcionamento do Marketing do Cruzeiro. Já listamos uma série de fatores que têm sido prejudiciais ao torcedor e, por conseguinte, ao clube. E qual o fim dessa história? Queda nas vendas e na adesão de sócios. Era o caminho óbvio para decisões tomadas tardiamente ou mesmo de forma equivocada. Há tempos, o clube vem tropeçando em suas próprias decisões, o que acarreta em um problema para si próprio.
Com um discurso ultrapassado, diretores e dirigentes em geral buscaram maquiar uma situação: a que para haver promoções, não podem ser tomadas decisões que "prejudiquem" os sócios existentes. Contudo, a visão linear dos responsáveis pelo departamento no clube acabam por não somente não conseguir novas adesões, como ainda tem perdido aqueles que já estavam no programa. Por que? Alto custo e pouco benefício.
O discurso que vem da direção não é agradável. O discurso dos diretores de Marketing também falha. Não encontram saídas para manter quem já está e nem para trazer mais sócios. Em uma gama de oito milhões de torcedores, o Cruzeiro, que tinha cerca de 78 mil sócios e esperava fechar o ano com 100 mil, viu 18 mil debandarem de dezembro a janeiro, acarretando um prejuízo de milhares de reais ao clube. E nenhuma solução tem sido encontrada e sequer levada a público, para ser debatida com o próprio torcedor, maior interessado. Ao contrário, em vez de procurar o porquê de tantos cancelamentos, buscam estratégias para trazer novos sócios, esquecendo daqueles que saíram. E ai já começa o erro celeste.
Não sabem o motivo da saída. Mas é nítido e claro: o valor de ingresso, a contrapartida, os valores altos para se chegar ao Mineirão (de carro paga-se um valor absurdo de estacionamento, assim como nas refeições) e em várias competições há transmissão direto pela televisão aberta. De que vale ao torcedor estar no campo se ele pode, num custo menor, ver de casa com quantas pessoas quiser? Para uma família ir ao estádio, no mínimo vão gastar R$ 200,00. Isso sem contar aquilo que vão consumir. E na atual conjuntura brasileira, não há como ter esse devaneio. Principalmente durante o Campeonato Mineiro, Primeira Liga e primeiras rodadas da Copa do Brasil. Mas para Marcone Barbosa, ao menos em uma entrevista que ele deu a um site esportivo mineiro, a culpa é mais da crise que o país passa. Será que é só isso? Será mesmo que a crise é a culpada? Ela não põe ingresso a R$ 120,00 para um jogo diante do Tricordiano. Não é apenas como você disse em entrevista, que "havia pessoas que dividiam o sócio" e por isso benefícios como a retirada de mais ingressos por sócio findou. Nem também culpa somente da crise financeira do país. Marcone, o buraco é mais embaixo! 
O problema do Cruzeiro é que o gerenciamento do Marketing é feito como uma loja de roupa. Querem por o produto na vitrine, falam que é bonito, útil e tentam vender. Se vendem, batem a meta. Mas não buscam o pós-venda. Não buscam fidelizar o cliente. E é nessa manutenção que o Cruzeiro peca. Não pode usar o mesmo peso para Brasileiro e Mineiro. Não pode usar os mesmos valores. E o pior: esse plano anual é uma brincadeira de mau gosto. Se o Cruzeiro focasse em "pacotes", ninguém desistiria. Como assim? Explico.
O Cruzeiro deveria fazer como as televisões fazem: pacotes. Você compra um campeonato e ganha o outro; compra dois e ganha o terceiro; compra três e ganha o quarto ou também o quinto. Quer ver só o Campeonato Mineiro, há o pacote separado. Quer só Sul-Americana? A mesma coisa. Quer ver todos? A gente também tem essa solução! Mas não é assim que pensa o pessoal do Marketing. Eles reduzem as promoções, preferem o Mineirão vazio, às moscas, a ver o sócio pagando R$ 10,00 e levando a família inteira. Nas palavras de Marcone, querem "parar de beneficiar amigo de sócio e querem beneficiar o sócio". Não vai ser tomando atitudes fracas como as que estão sendo tomadas que sócios irão voltar ou outros irão chegar. Não adianta prometer um plano de aumentar sócios da noite para o dia, como um governo federal provisório o fez tempos atrás, como medidas emergenciais. O que falta ao Marketing do Cruzeiro é dialogar, se abrir para novas ideias, aceitar que o público precisa de benefícios. O que mantém o clube não é o dinheiro, é sua torcida. E a torcida do Cruzeiro é diferente e, por isso, precisa ser melhor tratada.
O torcedor precisa de ter acesso mais facilmente ao ingresso gratuito para as crianças até 12 anos. Precisa comunicar melhor com o torcedor, precisa ter o torcedor ao seu lado. Hoje, o Marketing parece tratar a torcida do Cruzeiro como concorrente, quando, na verdade, é o cliente final. O Marketing celeste não engatinha. Para isso, precisa melhorar muito. E, para melhorar, precisa beneficiar sua torcida, melhorar o acesso dela, diminuir os custos, proporcionar um lazer, um momento de distração por algumas horas. Onde está a estratégia de crescimento? Onde está a torcida? Ela serve só para dar dinheiro e comprar camisa? Ela serve só para pagar e dane-se se vai ou não ao estádio? A torcida é fundamental para o clube e o Marketing, o quanto antes, deve abaixar a orelha, o nariz e começar a trabalhar em parceria com a torcida. Se não o fizer, não serão apenas 18 mil que vão debandar, mas um número muito maior, por melhor que o time esteja esse ano. O Marketing tem que parar de dar desculpas e achar soluções para o sócio atual e futuros.

4 comentários:

Sangue Azul disse...

Eu msm deixei de pagar, as mentiradas do Gaga me fez chegar a essa decisão , , enquanto aquele mentiroso caloteiro estiver na presidência eu não mais serei sócio, ,,cadê o dinheiro? ? Das vendas ,dos sócios,das cotas,dos patrocínios, ,é um mentiroso safado esse Gaga,,não pagou ao Huracan até hj pq?? Ao invés de pagar ele tem a cara de pau dizer que o presidente do Huracan que é apavorado,, ahhh vaiii

Anônimo disse...

já mandei vários emails para o cruzeiro, possuo 2 sócios da minas arena e 1 sócio do cruzeiro, sendo que da minas arena pago 100,00 por mês e fico no setor roxo, já o do cruzeiro pago 94,00 pra ficar atras do gol. porque não fazer promoção? 50,00 reais atras dos gols e 100,00 reais vermelho e outra campeonato mineiro tem que ser ingresso 10,00 a 20,00 no máximo.

Cruzeiro Online disse...

pois é. O que batemos na tecla é o seguinte:o sócio tem o direito de ir. Mas se não se manifesta, por que não dar chance aos outros torcedores de irem?

Cláudio Pereira Pereira disse...

E ninguém quer jogar a primeira liga todos times jogando com time misto entre Flamengo e grêmio nem o técnico Renato Gaúcho irá no jogo sinal que a primeira liga nem começou e ja esta dando sinal de acabar