quarta-feira, 9 de agosto de 2017

O QUE FALTOU?

O primeiro turno do Cruzeiro foi marcado por inúmeros desperdícios, principalmente contra equipes menores ou de pior elenco. Foram muitos os pontos deixados pelo caminho, o que, no final, poderia ter favorecido, e muito, uma melhor posição na tabela ao final de 19 rodadas. Faltou muita coisa e sobraram razões para tais equívocos. O G-6, diferentemente dos últimos dois anos, era uma realidade. Mas escapou pelos dedos.
2015 e 2016 foram anos complicados. Num ano, o Cruzeiro terminou o returno na zona de rebaixamento; no outro, a três pontos no Z-4. Dessa vez, com a corda bem menos frouxa no pescoço, esteve em sétimo, podendo ter ficado em quinto, se não fosse o tropeço na última rodada. Aliás, se não fossem os tropeços, não seria demais dizer que poderia estar até entre os três ou quatro primeiros. Perder pontos para Chapecoense, Botafogo e Vitória, no Mineirão, por si só, já é um enorme erro, principalmente pelas circunstâncias. Foram sete pontos só aí.
O que faltou? Em vários jogos, humildade. Diante da Chape, uma soberba fez o time jogar de forma completamente incompetente, sendo envolvido e dominado por um time completamente desfigurado. Diante dos reservas do Botafogo, por pouco não perdeu a partida. Marcos Vinícius, no fim do jogo, perdeu chance incrível de levar os três pontos.. Contra o Vitória, a ineficiência ofensiva fez com que a bola não entrasse. Culpa da bola? Fatalmente que não. Esse papo que "a bola não quis entrar" é algo que não entra na minha cabeça e deveria sair da mente dos jogadores. Se trabalhar, se insistir, se criar, consegue. Pode ser que por azar ou falta de capricho isso não ocorra. Mas jamais será porque "a bola não quis".
Para uma melhor colocação no primeiro turno faltou competência. O Cruzeiro, pelo tamanho que tem, não pode se contentar com um sétimo lugar. Na verdade, por sua gigantesca importância, é obrigação estar entre os três primeiros. O elenco não é ruim, tem atletas diferenciados, como Thiago Neves e tem feito boas apresentações contra equipes grandes, dentro e fora do Mineirão. Aliás, no segundo turno fica uma dica: que o Mineirão volte a ser o local do diferencial positivo. O fato de não perdermos não nos faz temidos quando estamos em casa. Empatamos jogos que poderíamos ter vencido. E não vencemos, a maioria, por incompetência. Que sejamos melhores na reta final do Brasileiro, que façamos um balanço para tirar proveito disso, também, na Copa do Brasil. Estamos a quatro jogos da Libertadores de 2018 e a 19 rodadas do fim do Brasileiro. Qual será o nosso destino? Difícil prever. Afinal, bola de cristal não rola no futebol. Mas uma coisa é certa: com treino, dedicação, foco e competência, o Cruzeiro pode ser muito melhor do que foi no primeiro semestre desse ano. É hora do Cruzeiro colher resultados melhores, dando ao torcedor aquilo que dele se espera: entrega, futebol e títulos.

9 comentários:

Pedro Lage disse...

A questão da posição na tabela, terminado o 1º turno, é secundária em relação ao baixíssimo aproveitamento de um time que representa um clube gigante. Esses 7 pontos foram jogados fora, e deveríamos ter conquistado mto mais q esses 7, pelo dinheiro q gastamos, pela tradição q temos, e pela torcida apaixonada q tem apoiado mto. 27/57 = 47% de aproveitamento. Ainda bem q existe G6, e q os outros times estão fracos tb. Senão era pra desistir de Libertadores. 47% de aproveitamento ñ é digno de Cruzeiro. Aliás, tem mta coisa no Cruzeiro q ñ é digna de Cruzeiro: jogadores, DM, técnico, diretoria.

Revétria disse...

Faço minha, as suas palavras!
Tem muita coisa pra ser melhorada e já vejo lampejos de melhoria, como a contratação feita para o tão justamente criticado DM.
Aguardar o retorno do melhor jogador do elenco (Arrascaeta) e também a volta do mito,melhor zagueiro do Brasil. Tenho quase certeza,que aqui nesse blog,é reduto de frangas(até mesmo da diretoria das rosadas),que por motivos óbvios não se atrevam a opinar e claro,preferem o anonimato,daí o meu receio de indicar contratação para o CRUZEIRO.
Queria saber da comissão técnica,quando o CESINHA da base vai ter oportunidade de treinar com os profissionais,afinal, é muito mais jogador que esse tal de Zé Rafael do Bahia.
Sobre esse jogador,quero saber a opinião do companheiro do blog "Observandotudo". No aguardo de um parecer do colega.

Luan Correa disse...

Ze Rafael seria uma otima contratação,muito bom jogador..

Observandotudo disse...

Oi Revetria acabei de responder no post novela de messidoro.
Fiquei muito chateado pois sou baiano moro região metropolitana salvador e conheço bem o jogador.
Não é mais uma promessa é uma realidade. Infelizmente os times da terrinha não tem estrutura para manter as revelações mas são ótimos para negociar. Vai render muito ao Bahia e os parceiros donos dos direitos federativos.
O Vitória usa os cofres do CRUZEIRO para ter um time razoável. Comprou 50% do Marinho ano passado cantei aqui que venderia por 10 milhões de reais, pensando no mercado nacional, foi pra China por 10 milhões dólares. Cruzeiro 30% dos direitos 5,2 milhões reais, Vitoria 12,8 milhões. 20% do empresário e jogador.
Willian Farias voltando de contusão jogando muito aqui Capitao e ídolo Vitoria já comprou 50%.
Após arrumação com diretores se licenciando e demissão em massa no staff disse que Vitoria cresceria e valorizaria Neilton, não deu outra, Mancini chegou disputou 09 pontos ganhou 07 com CRUZEIRO e Flamengo fora de casa.
Final do ano China vai levar Neilton palpite USD 15 milhões. Tomara o Cruzeiro não venda 50% de novo.
É dar dinheiro aos outros.
Queria que nossa base tivesse dois ou três Zé Rafael e outros tantos da base do Bahia e Vitoria que estão jogando, jovens, e titulares.
Mas em primeiro lugar zeroooooooooooooooooooooooo em segundo Galícia azul e branco da Bahia levou 17 anos na 2a. divisão estadual jogou um ano e já voltou pra segundona.
Abração

Pedro Lage disse...

Observandotudo, como vc mesmo disse, os times baianos tem seus méritos, e a diretoria do Cruzeiro seus deméritos. Essa panela vai acabar só com a aposentadoria de uns aí, nossos deuses.

Jose Tadeu Fioravanti disse...

O que faltou...faltou futebol de qualidade,incisivo,vertical.Faltou o que vêm faltando a essa diretoria há três anos:Visão,planejamento,ousadia,execução.Faltou tudo isso,justamente porque temos à frente do comando do clube uma figura patética,apática,sem empatia alguma com a torcida,e sem o menor traquejo para conduzir com competência um clube dessa dimensão...simples não?E essa incompetência toda têm nome e sobrenome:Gilvan de Pinho Tavares.

Revétria disse...

Observandotudo...Morei aí na Bahia ,mais precisamente em Pojuca(BA),perto de Catu, 80 km de Simões Filho..etc... Sempre torci pro nêgo(Vitória), por causa do meu irmão que serviu a Marinha na base Naval de Aratu, na década de 70 e vivia me enchendo a paciência com elogios ao ponta esquerda do Vitória,um bigodudo de nome Mário Sérgio ( Posteriormente conhecido em todo território nacional). O que me irritava, era que o meu irmão dizia que ele era melhor que o ponta esquerda do meu CRUZEIRO, o Rodrigues ( O tempo provou que ele estava certo).
Um abraço irmão!
Ah,quero dizer que que torço pro azul e branco do Galícia, e torço pro Bahia contra qualquer time,exceto Cruzeiro,Vitória ou Galícia.

Observandotudo disse...

Incrível eu sou do interior da Bahia
Comecei torcer pro CRUZEIRO em ,1966 naquele jogao contra o Santos de Pelé.
Vim para salvador e comecei torcer pro Galícia por ser azul e branco e tive muitas alegrias era uma academia de futebol revelava jogadores aos montes Armadinho- Palmeiras, Toninho - Seleção, Washington - Fluminense, alguns exemplos. Depois do Zerooooooooooooooooooooooooooo ainda sou Galícia demolidor de campeões. Conheço todas as cidades e lugares que vc falou.Não vou dizer onde moro mas vc vai saber: A 30 minutos de Salvador com belas praias. Kkkkk
Grande abraço irmão celeste.


Revétria disse...

Guarajuba e Imbassaí são as minhas praias favoritas. Eu passava ali por Dias D'Ávila!