segunda-feira, 13 de abril de 2015

HORAS DEPOIS, REENCONTRO EM CONFINS

Menos de cinco horas depois de terminado o primeiro clássico da semifinal do Campeonato Mineiro os jogadores de Atlético-MG e Cruzeiro estava frente a frente novamente. Mas dessa vez não era para um jogo de futebol, foi apenas um encontro casual no Aeroporto Tancredo Neves, em Confins. As duas equipes jogam foram de Belo Horizonte durante a semana, pela Copa Libertadores, e as viagens para México e Argentina causaram o segundo encontro neste domingo.

O Cruzeiro joga nesta terça-feira, contra o Huracán, em Buenos Aires, e o técnico Marcelo Oliveira relacionou 22 jogadores para o quinto compromisso pela fase de grupos da Copa Libertadores. Entre os selecionados pelo treinador a novidade em relação ao clássico é o lateral direito Mayke. Poupado, o jogador não atuou contra o Atlético e está em condições de jogar contra o Huarcán, nesta terça, às 19h, no Estádio El Palácio.

O lateral esquerdo Fabrício fez sua estreia pelo clube diante do maior rival, mas como não pode disputar a Libertadores pelo Cruzeiro, pois já atuou pelo Internacional, o jogador fica fora da viagem e passa a semana treinando em Belo Horizonte. O mesmo acontece com o atleticano Thiago Ribeiro. O atacante tinha condições de jogar neste domingo, mas por opção do treinador ele não ficou nem no banco de reservas. Como Thiago ainda não pode jogar pelo torneio continental, ele vai se preparar na Cidade do Galo para o segundo clássico da semifinal.

Apesar de jogar um dia depois do Cruzeiro, o Atlético decidiu viajar antes em função do longo deslocamento até Guadalajara, local da partida contra o Atlas. Problemas com jogadores machucados e a maratona de jogos que se iniciou há uma semana, já foram três partidas desde então, também fizeram o técnico Levir Culpi optar em levar 23 atletas. Alguns casos preocupam, como os do lateral direito Marcos Rocha e do atacante Carlos, que deixaram o jogo com o Cruzeiro mais cedo, ambos com problemas no tornozelo direito.

O clima de rivalidade fica apenas dentro do gramado. Fora dele os jogadores rivais aproveitaram para conversar, como fizeram os treinadores Levir Culpi e Marcelo Oliveira. O ambiente no aeroporto estava tão tranquilo que proporcionou até uma imagem curiosa. Como os voos são fretados e abertos aos torcedores, alguns atleticanos e alguns cruzeirenses tiveram contato com jogadores rivais.

O pedido de foto mais curioso ficou por conta do atleticano Eduardo Ávila, que usando uma camisa "Partiu Riascos..." posou ao lado do atacante colombiano. Riascos levou numa boa e até gostou de ver a camisa do atleticano, que faz referência ao pênalti defendido pelo goleiro Victor em cobrança do atacante que em 2013 disputou a Libertadores pelo Tijuana, do México.

3 comentários:

Tales Cristian Esteves disse...

Só uma dúvida. Nesse próximo jogo é o Cruzeiro, junto com FMF, que define a data do jogo? Ou o atletico pode se intrometer?

Gilberto do c. santos jr Santos disse...

Gilvam é um frouxo FMF faz o quer com Castelar franga estão passando o jogo para domingo para favorecer as frangas vamos arrombar coaclas de frangas rosas vamos arregaçar atretiaia rede bobo fmf lixo agora é obrigação.

rodrigo gontijo disse...

Bom, entendo que se é lei o número mínimo de horas entre partidas, a FMF é obrigada a mudar a data, sob pena de descumprimento da.lei. Onde está o departamento jurídico do Cruzeiro? Lei é lei.