quarta-feira, 15 de março de 2017

VITÓRIA COM SOBRAS E SEM SHOW

Classificado e à espera do sorteio para o próximo confronto na Copa do Brasil: eis a realidade que define o Cruzeiro, após mais uma vitória no ano. Dessa vez, passou tranquilamente pelo Murici-AL. Já vencedor no primeiro jogo, o Cruzeiro controlou a partida, ditou o ritmo e, mesmo não sendo brilhante, venceu com facilidade. E ainda teve uma ajudinha: dois dos três gols marcados foram feitos por atletas do próprio Murici, em gols contra.
E a vantagem poderia ter sido maior. Não, como dito, pelo fato de o Cruzeiro se impor, ser brilhante, criativo. Mas a fragilidade era tanta, que em dois, três toques, entrava-se na zaga do time alagoano. Perdido, a equipe de Roberval Davino ainda fez um pênalti bizarro, semelhante ao do América, no fim de semana. Inocência da zaga ou falta de senso? Não há uma resposta. Mas o certo é que Rafael Sóbis foi derrubado e ele mesmo converteu. Os gols contra do Murici foram marcados por Cláudio e Deysinho. E a vantagem seria maior: o goleiro Dias esteve em noite inspirada, defendendo lances importantes, inclusive um pênalti, batido por Thiago Neves.
Aliás, fica um adendo: errou Mano Menezes ao pedir que Ábila - que cobraria a penalidade - passasse a bola para Thiago. Talvez no pensamento de que fazendo um gol, Thiago tiraria a pressão de si pelo primeiro gol, o treinador desautorizou Ábila, que briga por uma vaga entre os titulares e, através de gols, tenta por dúvidas na cabeça do treinador. Bom, no final das contas, o Cruzeiro desperdiçou a oportunidade, que deixaria o placar ainda mais dilatado.
O adversário celeste na próxima fase será conhecido em sorteio, este marcado para a próxima sexta-feira, na sede da CBF.

CRUZEIRO 3X0 MURICI-AL

CRUZEIRO
Rafael; Ezequiel, Leo, Kunty Caicedo e Diogo Barbosa; Hudson e Ariel Cabral (Lucas Silva); Thiago Neves, Robinho (Elber) e Alisson; Rafael Sobis (Ramón Ábila). Técnico: Mano Menezes

MURICI-AL
Dias; Cláudio, Sinval e Edson Veneno; Paulo Sérgio, Edvaldo Rambo, Gueba (Thalison), Júnior Murici, Deysinho e Patrick; Paulo Victor (Katê). Técnico: Roberval Davino

Gols: Cláudio (contra, aos 31’1ºT), Rafael Sobis (aos 36’1ºT) e Daysinho (contra, aos 38'2ºT)
Cartões amarelos: Patrick (Murici)

Público pagante: 6.963
Público presente: 9.106
Renda: R$106.677,00

Motivo: jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data e horário: quarta-feira, 15 de março de 2017, às 21h45
Árbitro: Sávio Pereira Sampaio (DF)
Assistentes: Daniel Henrique da Silva Andrade (DF) e Lucas Costa Modesto (DF)

2 comentários:

Pedro Lage disse...

Ah que saudades de ver o maior de MG jogando com mais vontade, contra times bons... não os culpo, fizeram o que tinham que fazer, estão se poupando, estão ganhando etc. Mas que dá saudades de ver um jogo bem disputado do Cruzeiro, isso dá! O jogo de ontem, contra o Murici, 22h, transmitido pra BH, não anima ninguém. Como que o torcedor vai a um jogo assim? Eu só iria se morasse ali perto. Tô doido pra começar a ter jogos bons pra ir ao campo apoiar esse clube que já me deu tantas alegrias...

Cláudio Pereira Pereira disse...

E que saudades de 2013 e 2014 o time era uma máquina de fazer gols, mais estou confiante esse ano pelo menos um título o Cruzeiro tem que ganhar OBS Mineiro não conta, o Cruzeiro poderia ter trazido gedoz ta jogando o fina da bola no Atlético PR