quarta-feira, 22 de outubro de 2014

CRUZEIRO PRESSIONA, ERRA, PECA, LEVA GOL E QUASE PERDE O JOGO NO MINEIRÃO

POR: JOÃO VITOR VIANA

A vitória já estava contabilizada. E o início da Raposa foi muito bom, pressionando, obrigando Fernando Prass a ótimas defesas. Com o passar do tempo, porém, o dever de jogar em casa, ao que pareceu, começou a pressionar ainda mais os jogadores, que passaram a errar não só nas finalizações como também nos passes. O nervosismo passou a tomar conta no segundo tempo e vendo esse cenário, o Palmeiras encontrou brechas para atacar. Teve duas chances, marcou uma, com Mouche, já ao final do segundo tempo. Na base do desespero, o Cruzeiro chegou ao empate, quatro minutos depois, com Dagoberto.

A partida foi melhor no primeiro tempo que no segundo. A segunda etapa, por final, mais parecia um jogo de várzea, com chutões, caneladas e erros básicos de passe. Além disso, a defesa do Cruzeiro parecia uma peneira, já que o meio-campo marcava mal e os laterais muito menos. Tanto que no final do jogo, o Palmeiras encontrou suas duas chances. Nas costas de Mayke, depois de um lance bobo de Everton Ribeiro, que insistia em levantar bola na área do Palmeiras, os paulistas marcaram. 

Aliás, o Cruzeiro voltou a insistir nas bolas alçadas na área. Algumas, de fato, foram aproveitadas, mas mal concluídas. Mas viver só disso é de uma burrice muito grande. O Cruzeiro tem que tocar a bola, fazer a bola rodar, colocar o adversário na roda, cansar o adversário que vem ao Mineirão. Hoje, ao final da partida, o Cruzeiro estava muito mais extenuado que o Palmeiras. Por que? Porque correu errado. Porque errou bastante e teve que correr além do programado para recuperar a bola.

O Cruzeiro voltou a fazer um segundo tempo ruim, similar ao que jogou contra o ABC, em Natal, mas com uma vantagem: com Everton Ribeiro, Ricardo Goulart, entre outros. 

Se o Cruzeiro ficar dependendo de sorte e de tropeço dos adversários, a vantagem só vai cair. É bom Marcelo Oliveira fazer essa moçada trocar passe, parar o jogo, criar situações. Mas principalmente fazer com que finalizem melhor. Ricardo Goulart, Everton Ribeiro e Marcelo Moreno desperdiçaram chances boas de marcar. E num campeonato onde o detalhe faz a diferença, no detalhe, o Cruzeiro empatou o jogo contra um dos piores elencos do futebol brasileiro. Resultado final: 1 a 1.

7 comentários:

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Unknown disse...

Sabe aquele cara que esta andando na rua ,de repente olha no chão ... uma carteira..abre... mil reais em notas de cem ...um cheque do presidente do banco central assinado em branco.. e um bilhete da Mega-Sena premiado único ganhador...Esse cara se chama CRUZEIRO ESPORTE CLUBE ... SORTE DE CAMPEÃO CHORA GALINHADA

jose newton starling moreira disse...

Técnico incompetente. Moreno e Marquinho no ataque, não fazem nada. 10.000 reais para quem ver e me mostrar o Moreno conseguindo driblar um jogador. Nunca vi.So faz gol de penalti ou de cabeça sozinho sem marcação.Ele é pior que criança. Vejam a qualidade dos ataques de SP, Corintians,Inter,Santos. Tem que vender urgente estes dois pernas de paus.

Boa Nerge disse...

Vai tirar o Marcelo Moreno e colocar quem? Só se for o Borges que ainda consegue ser pior que ele? Tirar o Marquinhos e colocar quem? O William, que depois que foi comprado não vem tendo o mesmo desempenho? O Dagol, que bate mais do que joga?

Ontem faltou capricho e maldade. Era so caprichar nas oportunidades que tivemos. No gol do Palmeiras, o Dede estava no meio de campo e perdeu a dividida com o Henrique do Palmeiras, poderia ter matado a jogada com falta. Está faltando experiência e maldade ao nosso time.

Todos nos sabemos que os times aprenderam a jogar contra o Cruzeiro. Vem fechados e apostam nos contra atraques. Jogam como times pequenos, foi assim com Inter, Corinthians, Patético, Palmeiras, São Paulo, etc. Temos que furar as retrancas com dribles e passes rápidos. Chuveirinho na area adversária não vai adiantar pois essa jogada ja está "manjada."

Se o Cruzeiro quer ter time ano que vem pra disputar a Libertadores, terá que aprender a jogar contra times retranqueiros pois todos jogam assim. Já passou da hora do Cruzeiro ter um aproveitamento melhor contra times que jogam fechados. Tem que ter orientação, tem que aprender logo!

Boa Nerge disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Boa Nerge disse...

Temos que jogar com o que temos de melhor, e até ontem, o Marquinhos vinha jogando melhor que o William e Dagol. Ele é um jogador obediente táticamente falando e o MO valoriza isso.

O problema é que a partir da metade do segundo tempo, o time começa a mostrar os sinais de cansaço pois fez um esforço danado para furar a retranca adversária durante todo o jogo sem sucesso. O adversário toma proveito disso pois não se cansou tanto durante o jogo e começa a achar espaços. O time não pode se abater, tem que fazer gol logo no início, assim como fez contra o Inter, para forçar o adversário a sair pro jogo e aí sim, poder ampliar a vantagem. Vamos pra cima com tudo. ZEEEEEEEEROOOOOOO!

Cruzeiro Online disse...

Temos que apoiar, primeiramente. Ate o fim. Seja com Marquinhos ou Willian ou Dagoberto. Péssimo a torcida vaiar, ainda mais em reta final. Não é hora de cornetar, mas de prestigiar quem aí está. Não é hora de mudança no futebol, apenas na política.