domingo, 19 de outubro de 2014

VITÓRIA IMPORTANTE DO CRUZEIRO

POR: JOÃO VITOR VIANA

Como disse há alguns dias, o Cruzeiro precisava vencer nessa rodada. Não somente pelas três derrotas seguidas, mas devido ao confronto dos principais adversários diretos, que dificilmente tropeçariam. E foi exatamente o que ocorreu. O nosso rival venceu, o São Paulo idem. Para nossa sorte, o Internacional perdeu e o Grêmio empatou com o Goiás. No apagar das luzes, conseguimos vencer, mantivemos a diferença de sete pontos para o segundo colocado e agora vamos com tudo diante do Palmeiras para tentarmos, ao menos, manter essa vantagem. Para isso, temos que vencer o time paulista, que volta a temer o rebaixamento.

Diante do Vitória, o Cruzeiro voltou a jogar bem, muito pela volta de Everton Ribeiro, um elemento-chave que estava faltando, principalmente pela inteligência e articulação do time. O Cruzeiro criou mais, tocou melhor a bola, teve o domínio do jogo e não seria demais dizer que poderia ter saído com um placar melhor. Antes do gol de Dedé, já próximo aos 40min, o Cruzeiro já havia feito um gol que, sinceramente, para mim foi legal. O árbitro de fundo acusou falta de Manoel no goleiro Wilson, o que não vi.

Voltando ao jogo, o time jogou de forma compacta, com bom passe e boa criatividade, modo que não estava fazendo ultimamente. Rodou bem a bola, marcou firme, chutou a gol e dominou o jogo.

Parabéns ao Cruzeiro pelo jogo, pela vitória. Faltam cinco para sermos campeões. Que contra o Palmeiras a gente faça esse número cair para quatro.

Se vence é líder, se empata é líder, se perde é líder. Zeroooooooooo!


Um comentário:

cleiton Gama disse...

Apesar do gol Dede e o Manoel jogaram muito mal,o manoel não acertou praticamente nada não ganhou uma jogada aeria.Na minha opinião foi falta do Manoel que deslocou o goleiro e ate houve o penalti no everton mas o everton demorando muito em tomar as decisoes de passe e chute.E o Alisson em galera?sentiu desconforto,sera um novo borges??torço que não pois o cara ta voando e jogando muito.