terça-feira, 12 de agosto de 2014

OLHA O ROMBO AÍ GENTEEEEE! E AINDA QUER SER DEPUTADO FEDERAL.

O total que cada clube deve para os cofres da União é quase um mistério. Isso porque com tantas ações na Justiça, contestações e cobranças, os órgãos públicos não conseguem fechar o montante exato. O Ministério do Esporte usa o valor de cerca de R$ 4 bilhões de débitos, considerando todos os times do Brasil. Entre os que estão inscritos na dívida ativa da União, o Atlético-MG é o maior devedor do país, superando paulistas e cariocas.

A reportagem teve acesso à lista da PGFN, das grandes equipes do sul e sudeste. Segundo o levantamento, o Flamengo é o segundo maior devedor, com R$ 253 milhões de dívidas, e o Botafogo vem logo em terceiro, com R$ 199 milhões a pagar. São Paulo é o que menos deve. Veja abaixo.

1) Atlético-MG: R$ 272 milhões
2) Flamengo: R$ 253 milhões
3) Botafogo: R$ 199 milhões
4) Corinthians: R$ 172 milhões
5) Fluminense: R$ 162 milhões
6) Vasco: R$ 153 milhões
7) Santos: R$ 65 milhões
8) Palmeiras: R$ 46 milhões
9) Grêmio: R$ 40 milhões
10) Cruzeiro: R$ 14 milhões
11) Internacional: R$ 8 milhões
12) São Paulo: R$ 7,8 milhões

"Os clubes devem muito e, mesmo assim, não sentavam para tentar um acordo. Demoramos até que conseguimos pegar dois pontos que fazem com que eles tenham de vir renegociar, que é a renda da venda dos jogadores e as cotas de televisão. Passamos a bloquear este dinheiro o que chamou a atenção dos clubes", afirmou a diretora do Departamento de Gestão da Dívida Ativa da União/PGFN, Anelize Lenzi Ruas de Almeida, ao site da ESPN.

"Mesmo após a renegociação, o dinheiro que já está bloqueado não volta para os cofres do clube. Ele fica retido em juízo, para o caso de o clube não honrar com o acordo. A venda do Wellington Nem é um exemplo disso. Está todo com a Justiça", completou.

Neste ranking, no entanto, não estão incluídas as dívidas com Imposto de Renda, cujos valores não podem ser divulgados. 

De acordo com a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, "os valores informados referem-se, somente, ao montante da Dívida Ativa inscrita cobrada pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. A Dívida Ativa alberga todos os créditos públicos para com a União não pagos a tempo e modo devidos".

Além disso, "esses créditos podem ter natureza tributária, por exemplo Imposto de Renda, COFINS, PIS, Contribuições Previdenciárias; não-tributária, como ressarcimento, multas administrativas, taxa de ocupação; e FGTS, débitos para com o Fundo não recolhidos. Deve ficar claro que os débitos inscritos já foram remetidos pelos órgãos de origem para a inscrição, mas não significa que, no âmbito desses órgãos, como a Receita Federal ou as Delegacias do Trabalho, não hajam outros débitos dos mesmos devedores".

Lei de Responsabilidade

A Lei de Responsabilidade Fiscal, que refinancia as dívidas dos clubes, deve ser aprovada em outubro, depois das eleições, pelo menos segundo o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves. Depois de lá, a medida vai para o Senado e em seguida vai para a presidente Dilma Rousseff, quem deve sancionar no final.

Com o novo plano de parcelamento, os clubes devem ganhar um respiro, especialmente aqueles que estão com bens penhorados, como cotas de televisão e recursos de transferência de jogadores bloqueados.
A lei, desta vez, deve ser aprovada acompanhada de punições desportivas, para caso as regras não sejam cumpridas. De acordo com o projeto, os times devem mostrar suas Certidões Negativas de Débitos a cada início de campeonato. Os que não estiverem com os pagamentos em dia, serão rebaixados.

Comentário da notícia:
Só uma besta vota em um presidente que deixa o clube na pindaíba. Candidato a deputado federal e será eleito. Tudo porque em mais de 100 anos de história o time não vencia três títulos em dois anos. Fazer o que?

Um comentário:

¶Azul•H(«MG»)¶® disse...

Kalixo! Uai,a AL QAEDA,não vai socorrer,ESSE TIME DE VERMES RASTEJANTES?