segunda-feira, 17 de julho de 2017

EMPATE E SÉTIMA POSIÇÃO

Empatar com o Flamengo, no Rio ou em Belo Horizonte, não é um resultado incomum. Aliás, jogo entre duas equipes que pleiteiam algo a mais que simplesmente jogar a Série A do Brasileiro tende a ser igual, se decidindo no detalhe. E num lance ou outro, o Cruzeiro tende a lamentar não ter saído de campo com a vitória. Apesar de ter saído atrás, o time de Mano Menezes buscou o empate e teve a chance de virar, mas pecou na finalização em duas oportunidades. O empate por 1 a 1 deixou o Cruzeiro com 21 pontos, em sétimo, mas próximo do grupo que briga por uma vaga na Libertadores. O líder, por enquanto, é questão a não ser debatida no clube. O Cruzeiro figura num fictício G-7, uma vez que está empatado em pontos com o Sport, mas que nos critérios de desempate está uma posição acima. O clube pernambucano pode melhorar um pouco mais sua posição na classificação se vencer, nessa segunda-feira, o Botafogo, no Rio de Janeiro.
O Flamengo teve mais posse de bola, mas não foi eficiente. Fábio trabalhou pouco, se for analisado bem. Já Thiago, teve que fazer defesas difíceis e, no segundo tempo, Sassá perdeu a "bola do jogo", deixando de passar para Rafael Sóbis e preferindo o chute a gol. O chute foi para fora, é de se lamentar, mas, como disse Mano Menezes após a partida, o saldo do jogo é mais positivo que negativo.
A defesa soube se portar. Falhou no gol, é verdade. No lance que o Flamengo abriu o placar, Romero marcava dois jogadores, Diego e Everton. Este acabou escorando, de cabeça, no canto direito de Fábio. A bola ainda bateu na trave antes de entrar. Depois disso, o Cruzeiro não se abalou, igualou a partida e criou jogadas de gol. No primeiro tempo, Thiago Neves chutou e Thiago defendeu. Alisson ainda quase marcou na segunda etapa, não chegando em cruzamento pela esquerda. Aliás, por ali o Cruzeiro chegou à igualdade. Em belo passe de Diogo, Sassá, em sua primeira participação, tocou no lado esquerdo de Thiago, igualando a partida.
Suspenso
O atacante Rafael Sóbis levou o terceiro cartão amarelo e está fora da partida diante do Fluminense, na próxima quinta-feira. Já Henrique, que não pôde atuar justamente por esse motivo, retorna ao time. Quem também pode aparecer é Ezequiel. Nesse caso, Romero voltaria ao meio e Mano Menezes tenderia a formar o time, novamente, com três volantes, tendo Lucas Silva no banco.
CRUZEIRO 1 X 1 FLAMENGO

Cruzeiro
Fábio; Lucas Romero, Murilo, Leo e Diogo Barbosa; Ariel Cabral e Lucas Silva; Elber (Sassá), Thiago Neves e Alisson; Rafael Sobis (Rafael Marques). Técnico: Mano Menezes.

Flamengo
Thiago; Rodinei, Réver, Rafael Vaz e Renê; Márcio Araújo e Cuéllar (Mancuello); Everton Ribeiro (Geuvânio), Diego (Berrío) e Everton; Paolo Guerrero. Técnico: Zé Ricardo.

Gols: Everton (aos 8’2ºT) e Sassá (aos 14’2ºT)
Cartões amarelos: Lucas Silva, Rafael Sobis, Lucas Romero (Cruzeiro); Geuvânio (Flamengo)
 
Público presente: 43.480
Público pagante: 39.976
Renda: R$ 1.349.516,00

Motivo: 14ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data e horário: 16 de julho de 2017 (domingo), às 16h
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR/FIFA)
Assistentes: Bruno Boschilia (PR/FIFA) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR/CBF)

12 comentários:

Cruzeiro Sempre disse...

O time fica muito frágil sem um volante com pegada. Deu agonia ver o Flamengo ficar com 68% de posse de bola em determinados momentos do jogo, sobretudo pois jogávamos em nossa casa. Ariel Cabral de volante é osso. Muito lento pra posição. Não desarma, só pratica a marcação ocular. Ele jogou como meia a maior parte do tempo no Vélez. Aqui virou volante incontestável. Não entendo pois volante tem que chegar junto, desarmar, caso contrário abrem-se buracos no meio como ocorreu ontem. A posse de bola é toda do adversário que se encaixar as jogadas já era. Como Lucas Silva também não marca muito bem, assim como o Henrique, fico preocupado com o restante da competição com Lucas Romero na lateral. Uma alternativa seria colocar o Ariel de meia e sacar o Elber, mas como o Ariel não sabe chutar e tem dificuldade pra tabelar na frente com os atacantes, não sei se seria uma boa. Poderíamos sacar o Ariel e repetir a escalação contra o Atlético PR, afinal, segundo o próprio MM, foi a apresentação mais consistente do time na temporada. Mas acho difícil o MM sacar o queridinho Ariel assim como faz com o Léo, Henrique, Fábio, fez com o Rafinha, Caicedo etc. Enquanto isso temos o Romero na lateral, o Nonoca pedindo passagem, tínhamos o Hudson e assim vai MM e suas coerências incoerentes.

Pedro Lage disse...

A culpa é do Fábio

Cruzeirense vencedor disse...

Torcer pro Sasá arrebentar na quinta pra poder pegar a vaga de titular em definitivo do Sóbis, Arrascaeta vai aumentar muito a qualidade do ataque e agora que o Thiago Neves está jogando muito vejo um quarteto ofensivo com Sasá, Thiago Neves, Arrascaeta e Alissom como um bom ataque. Cabral pra mim sobrecarrega a defesa acho muito lento pra ser um volante, Cabral é meia e com ele em campo a defesa sempre vai estar sobrecarregada.

Jose Tadeu Fioravanti disse...

A despeito de ter tido muito menos posse da bola,o Cruzeiro,quando a teve,jogou bem.O flamengo é qualificado,estamos desfalcados há tempos,e mesmo assim poderíamos ter vencido.Élber é jogador de segunda divisão,para mim deveria ser sacado.Assim como Sóbis,que praticamente pouco faz.Como muitos,também concordo que Ariel não é volante,não marca,mas sabe dar bons passes.Henrique Méssi,infelizmente vai voltar,o que torna ainda mais frouxa a marcação no setor.Thiago Neves vêm fazendo partidas consistentes,muito boas.Alisson,mais maduro e consciente também se transformou em um jogador agudo e produtivo.Sassá é forte e rápido,deve dar caldo.Para mim,Nonoca pode entrar no meio,favorecendo a marcação e saída de bola,no lugar do inútil Henrique.Embora novo ele é muito mais jogador.Romero,dispensa comentários,vêm jogando muito.Custou,mas o Cruzeiro vêm colocando em prática um potencial que estava adormecido.Em frente,e que continuemos a melhorar e crescer.Confesso que com esse time,só lutaríamos para permanecer na elite,mas com essa melhora perceptível,quem sabe possamos aspirar algo mais.Tomara.

CONTABILIDADE GERALDO RIBEIRO disse...

só um debilmental pra defender MM, o cruzeiro tava desfalcado do Sassa no primeiro tempo porque se entra de cara a gente ganhava o jogo.uma vergonha este rafael sobis, quantas vezes este cidadao pegou na bola ontem??

CONTABILIDADE GERALDO RIBEIRO disse...

mais um jogo de 6 pontos dentro de casa entregue por MM.

CONTABILIDADE GERALDO RIBEIRO disse...

Cabral é titularissimo, MM, que tem que definir esquema para ter ele no time, nada de arrascaeta, no meio tem que ser 2 volantes(como 2013-2014) mais ariel e TN, Sassa e Allison ou arrascaeta.

CONTABILIDADE GERALDO RIBEIRO disse...

Tecnico tem que saber aproveitar os jogadores, CASO DE ROMERO NA DIREITA, ACABOU, ROMERO É LATERAL PONTO FINAL.

Max Silva disse...

Já estou vendo a historia se repetindo. Povo reclama de cabral, o cara machuca e depois todo mundo lamenta a queda de produção do time.

CONTABILIDADE GERALDO RIBEIRO disse...

NEHUM FILHO DA PUTA FALA QUE O TIGRES PERDEU A LIBERTADORES GRAÇAS A ESTE CIDADÃO CHAMADO RAFAEL SOBIS, QUE EM TODAS AS VEZES QUE A BOLA CHEGOU A SEUS PÉS, ELE FEZ CAGADA COM A BOLA, MATANDO O RITIMO DO ATAQUE COM SUA LENTIDÃO E FALTA DE OBJETIVOS.

Unknown disse...

Rafael Sobis e osso pqp vai ser imprestavel no ataque lá na pqp.

Cruzeiro Sempre disse...

Esse argumento de queda de produção também foi usado recentemente para o Fábio, o Henrique e o Rafinha. Caicedo nem precisou machucar para "sentirmos" sua falta. Antes de Everton Ribeiro e o Goulart chegarem, Diego Souza tambem era considerado imprescindível para o time. Ele saiu fomos apenas bi-brasileiro. Difícil não achar o Cabral importante, pois se ele sai o Henrique joga. Quando vimos a dupla de volantes com Romero e mais um que não seja Henrique e Cabral? Romero e Hudson nunca ocorreu. Romero e Nonoca é impensável para o MM, assim como Romero e Lucas Silva. Daí acomodarmos com Cabral, um jogador que nunca ganhou um campeonato mineiro pelo Cruzeiro. Pelo contrário, contribuiu para brigarmos para não cair. Apenas.