sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

QUEM MANDA NO FUTEBOL? OS TIMES OU OS EMPRESÁRIOS?

POR: JOÃO VITOR VIANA

Quem manda no futebol brasileiro? Acho que, a cada dia, os clubes estão perdendo autonomia sobre si mesmos, deixando-se levar pela conversa mole e atrativa de empresários. No início, prometem mundos e fundos. Em pouco tempo, esses mesmos empresários querem recuperar o que investiram, com lucro e correção e o clube que se dane.

Explico: um empresário chega por exemplo ao Cruzeiro e diz: "Tenho um jogador 'X'. Você não precisa investir nada. Só pagar os salários. Se o atleta for bem e tiver proposta de fora, te passo 'y%' e todos saem ganhando"; Foi assim que Eduardo Uram e tantos outros convenceram os dirigentes do Cruzeiro para ter alguns atletas. Só que quando Egídio, por exemplo, se destacou, o Cruzeiro sequer participou das negociações, aceitando tão somente aquela fatia que foi acordada lá atrás. Da mesma forma que o empresário põe o atleta no clube, ele tira.

Li, ontem, no site LanceNet, que a Teisa, fundo de investimento que auxiliou o Santos a contratar Mena junto ao Universidad de Chile, não quer mais que o jogador atue no Peixe. Quer colocá-lo no Cruzeiro, por ser uma vitrine maior. O Santos, até de forma lógica, não aceita essa postura, pois tem também 50% do jogador e só aceitaria uma venda. O mesmo fundo tem parcelas de Arouca e Cicinho, e pelo fato de o Santos não estar na Libertadores, também querem tirar os dois de lá e, quem sabe, fazer o lucro que tanto almejam.

Será que vemos parceria no futebol? Ou vemos oportunismo de empresários e amadorismo de dirigentes? Até que ponto o presidente do clube tem que se sujeitar a essa manobra de mercado e essas ações, que só afundam os clubes em dívidas e cada vez maior dependência de investidores? Não será essa uma das causas da maioria dos times estar endividada até o pescoço?

No meu modo de ver, qualquer dia os clubes não precisarão ter mais presidentes. E o futebol vai ser tão somente um balcão de negócios de empresários. Um põe o atleta aqui, outro ali e tudo certo. Ninguém tem compromisso com cada. Nem o atleta com o clube, nem o dirigente com o torcedor. Só mesmo o empresário com o dinheiro, cada vez maior, em seu próprio bolso. E os clubes, depois, ficam com o pires na mão, pedindo "pelo amor de Deus", por adiantamento de cotas, entre outras coisas.

2 comentários:

cleiton Gama disse...

Esses empresários só pensam em lucrar é obvio e todos os clubes brasileiros estão falidos e ficam de mãos atadas.Ja comentei aqui algumas vezes que o certo seria o empresário por o jogador no clube e o clube aos poucos ir pagando o empresario ate ter no minimo 50% do atleta.Ainda bem que a fifa esta tentando mudar isso.Hoje o Cruzeiro gasta mais do que ganha e enriquesse a minas arena

RUTILHO disse...

Espelho disso é a"seleção brasileira". As convocações com meros desconhecidos. Esses são escalados como titulares e dessa forma, na vitrine, acabam sendo negociados. Ganham: o técnico, a cbf, a globo,os empresários e o jogador. Assim funciona essa máfia. Resultado, nosso futebol está caindo ladeira abaixo. Enquanto isso, gol da ALEMANHA.