domingo, 16 de abril de 2017

EMPATE NO HORTO



POR: JOÃO VITOR VIANA

As semifinais do Campeonato Mineiro foram iguais, ao menos, no resultado. Assim como o rival empatou mais cedo, por 1 a 1, contra a URT, no Mineirão, Cruzeiro e América também finalizaram o primeiro duelo no mesmo placar. Contudo, diferentemente do jogo das 11h, quando várias foram as oportunidades criadas, o jogo entre Raposa e Coelho foi bem mais minguado. O América teve mais oportunidades, quase surpreendeu no fim, mas parou nas boas defesas do goleiro Rafael, o melhor em campo.

O jogo

O primeiro tempo não foi muito bom. Diferentemente do que alguns repórteres viram e até postaram no Facebook e Twitter, vi um Cruzeiro bem diferente do que esteve em campo na quinta-feira, diante do São Paulo. Time que não finalizou, que não foi eficiente. O América foi mais objetivo. A Raposa não conseguiu focar e nem jogou para decidir. Ficou nessa de ter o regulamento debaixo do braço e isso foi um erro grande. Por mais que o Cruzeiro tenha chegado no início, deu espaço para o América, que cresceu no jogo e teve as melhores oportunidades. Rafael foi muito bem e responsável pelo zero não ter saído do placar.

A fim de mudar o cenário da primeira etapa, na volta do intervalo, o técnico Mano Menezes colocou Henrique em lugar de Mayke, um dos jogadores mais fracos do primeiro tempo. Nessa troca, Henrique voltou a ser capitão do Cruzeiro, tendo a faixa sendo, então, repassada por Manoel, que iniciou o jogo no posto.

Mas a modificação não surtiu efeito. Parecia que os jogadores não estavam se importando muito com a partida. Tanto que nos primeiros 15min da segunda etapa, nada aconteceu. A cabeça dos caras parecia estar no jogo de volta da Copa do Brasil. E tanto parecia, que o América, time limitado, mas que martelava= dentro do possível, abriu o marcador, com Messias, após cobrança de escanteio de Gerson Magrão.

O gol acordou o Cruzeiro, que minutos depois empatou, com Thiago Neves, escorando bela jogada de Diogo pela esquerda. O fogo que o jogo teve, acabou arrefecendo aos poucos, até se apagar, no apito do árbitro. Contudo, antes do final, o Coelho teve duas chances de marcar: uma com Blanco e outra com Mike, A última, do atacante americano, foi defendida de forma monumental por Rafael, que garantiu o empate e a vantagem do Cruzeiro para o próximo jogo. Mais do que isso, a invencibilidade no ano, que não foi abalada.

O jogo deste domingo serviu para o Cruzeiro ver que não pode achar que é melhor, que pode fazer o gol quando quer e que vai ganhar fácil de todo mundo. Precisa de humildade, focar na partida e esquecer outros compromissos. Se jogar como jogou diante do América ante o São Paulo, vai passar maus bocados. Vamos, Cruzeiro! Saia da zona de conforto! Empate com certo sabor de vitória. Futebol mesmo, ficou em São Paulo.


7 comentários:

Cruzeiro Online disse...

Estou aguardando alguém falar que eu queimo o Rafael... kkkk

tadjo disse...

Algumas ponderações quanto ao jogo:O Cruzeiro continua sem ter criatividade,não há jogadas trabalhadas,nem tabelas,nem infiltrações dos jogadores do meio e de ataque.O américa envolveu por várias vezes o Cruzeiro com tabelas curtas e incisivas,e só não venceu devido a má pontaria de seus jogadores,e do goleiro Rafael.Continua invicto mas o bom futebol,de toques,intenso e envolvente,sinceramente,não há.Com exceção dos primeiros jogos.Mano é um bom estrategista com relação a armar a defesa,contudo,é preciso fazer com que esse time melhore seu setor de criação.

Cruzeiro Online disse...

Concordo que a criatividade foi tensa. Mas não podemos deixar de analisar a sequência dos jogos. Quando isso passar, a tendência é que o time cresça mais. Mas é um tal de respirar que não acontece. Espero que quarta o time jogue melhor.

tadjo disse...

A clara constatação de que o Cruzeiro de Mano têm se dado bem fazendo jogos onde se prioriza a parte defensiva,é notória.Quando o time,diante de adversários menos expressivos,têm que propor o jogo,há muita dificuldade!Repito,há que se equilibrar isto para chegarmos com reais condições de brigarmos pelos vários torneios que estamos e vamos disputar.

Diego Pedrosa disse...

Concordo que faltou criação no Cruzeiro ontem, assim como aconteceu em outros jogos do Mineiro também.
Mas pra mim ficou nitidamente claro que o time não queria jogar ontem . Me refiro a motivação. Não teve ! Não estou dizendo que estão certos ( julgo como errado ), mas pra mim esse time ainda não se interessou pelo Mineiro. Vai se interessar se chegar na final contra as frangas. Somente jogos desse porte me pareceram empolgar o time até então ( e diga-se de passagem, nesses tipos de jogo o time se comportou muito bem ).
Agora, para quarta-feira , esqueçam essa história de cansaço e que vençam mais uma vez o São Paulo!
Vamos, vamos Cruzeiro!

Max Silva disse...

Concordo 100% com as palavras de Diego Pedrosa. Pra mim o cruzeiro simplesmente não se interessou pelo jogo, acho que o placar ia se resolver sozinho.

Observandotudo disse...

Estou aqui JV vc esta melhorando reconheceu Rafael como melhor em campo; ha alguns dias pedia a titularidade de Fabio de qualquer maneira; reconheça a contradiçao; se Fabio jogasse adeus invencibilidade; ja comentei no dia do jogo cruzeiro jogou mal, ainda esta
instavel, o america mereceu ganhar o jogo nao ganhou graças A QUEM???? E cuidado com o SP na quarta ja perdemos de 0 x 5 no Mineirao e ganhamos 1 x 5 no Morumbi eh um jogo meio louco; temos que entrar concentrados e matar logp o jogo.
No mais concordo com tadjo em gerero, numero e grau. Queremos zerooooooo penta no brasileirao, na copa do brasil, tri na liberta e campeao mundial que ainda nao temos.