terça-feira, 10 de março de 2015

FALTA UM ARMADOR, MAS FALTA TAMBÉM TESTAR QUEM NÓS TEMOS

POR: MARCÃO ANTI-GALO

Não que eu vá elogiar o time do outro lado da Lagoa, mas lá o técnico Levir Culpi tem dado oportunidade a todos do grupo. Até por ter um grupo mais enxuto, as lesões e outros problemas tem feito o treinador promover atletas, dar chance aos que estavam afastados e testar novos esquemas táticos. Até pelo fato de haver um Campeonato Mineiro entremeado à Libertadores, esses testes são saudáveis e podem até mesmo virar soluções para futuras substituições.

No Cruzeiro, ao contrário, não tenho visto isso acontecer. Há jogadores que sequer estrearam esse ano e outros que nem meia hora jogaram se somadas as participações. Com um grupo mais amplo, Marcelo, ao meu entender, deveria promover alguns testes, principalmente contra equipes de menor expressão, até para motivar aqueles que sequer foram relacionados para essa primeira fase da Libertadores, caso de Neílton que, friso, não entendi sua ausência de uma lista de 30 nomes.

Tudo bem que o treinador busca um melhor entrosamento, mas acredito que partidas contra Mamoré, URT, Tupi, Boa Esporte, com todo respeito a essas equipes, não dará o entrosamento que o time precisa. É melhor o time treinar ou fazer amistosos fora do país a ser testado contra equipes desse porte. E olha que falei de uma equipe da Série C e uma da D. Há clubes que sequer estão nessas divisões!

Nitidamente há um problema na armação do Cruzeiro. Arrascaeta, sozinho, não tem conseguido ser o cérebro do time. Marquinhos tem tido a incumbência de armar, bater falta, escanteio, o que não é lá a melhor opção. Apesar do esforço do jogador, é limitado e não dá para ser titular do Cruzeiro. Assim como não dá para Willian, hoje, também figurar entre os 11. Apesar de eu entender que o camisa 25 é muito bom jogador, a fase não ajuda. E nessa de não ajudar, é melhor dar passagem a quem pode render. Alisson, no meu modo de ver, hoje, está preparado para a tarefa.

Entendo ainda que Gabriel Xavier e Neílton também deveriam ser testados. Judivan tem entrado bem, mas parece render mais entrando no segundo tempo. Os dois mencionados poucas oportunidades tiveram e Neílton entrou sempre bem. Diz estar motivado mesmo estando de fora da relação da Libertadores. O Mineiro, então, seria a chance de se mostrar. Mas Marcelo tem que querer ver.

Diante do Villa Nova, amanhã, vários jogadores não jogarão. Um deles, Willian. Será que dessa vez Gabriel e Neílton serão convocados? Ou será que veremos novamente dois volantes e dois zagueiros no banco de reservas? Vamos lá, Marcelo! Vamos observar quem aqui está para sabermos se temos ou não que contratar mais! Sem testar, vamos inchar o grupo ainda mais, o que financeiramente não é o melhor e, até por ética, com os contratados, é sacanagem.

3 comentários:

Marlúcio Moreira disse...

Concordo. Gabriel xavier nem sequer foi relacionado para o jogo do vila. O cara é muito bom, e pode ser a solução do meio de campo. Para o arrascaeta ficar mais solto.

Luciano Andrade disse...

SO UMA COISA: CADE NOSSO DINHEIRO? Gedoz, Bryan Ruiz e Tiago Neves tinham que estar na Toca! Quanto custaria? Um terço do valor arrecadado! Ta juntando nosso dinheiro para comprar fazenda igual ao Perrela? Nao eh tao gaga assim neh, velhaco! E Marcelo Oliveira, seu eterno atleticano: sua ultima chance! Vc tem Gabriel Xavier, Riascos, Allisson e Judvan para botar neste time! Dos quatro, dois vao jogar melhor que Marquinhos Cachaça e Willian. Sua batata esta assando...

rodrigo gontijo disse...

Gabriel Xavier e Neilton tem que ter oportunidade de jogarem, senão nunca saberemos se eles vão render. Realmente não dá para entender porque improvisar se temos jogadores na posição. O Neilton desde o ano passado está se preparando para ter uma oportunidade e o que ele ganha, fica fora da lista da libertadores. Gosto do Marcelo, mas realmente não dá para entender porque ainda não deu oportunidade para esses jogadores.